Quem tem acompanhado o sucesso do Windows 10 desde seu lançamento, em julho deste ano, deve imaginar que a empolgação do público com os recursos do sistema operacional – e o upgrade gratuito para usuários de versões antigas – deve ter feito as vendas dos PCs subirem consideravelmente, não é? Infelizmente, essa não é a realidade atual. Segundo dados divulgados tanto pela Gartner como pelo IDC, a comercialização desses produtos sofreu uma queda entre 7,7 e 10,8% no último trimestre em relação ao mesmo período de 2014. A culpa desse cenário, porém, não é exatamente da Microsoft.

De acordo com as análises liberadas no último dia 8, parte dessa queda brusca no setor pode se originar no fato de que muitas companhias ainda estão repondo os estoques do varejo com equipamentos já lançados anteriormente, mas, agora, rodando o novo sistema operacional. Na teoria, a estratégia faz com que o consumidor não se sinta tão atraido a investir nesses computadores do mesmo modo que faria caso fossem peças realmente novas. Assim, vai ser preciso ficar de olho nas novidades do mercado daqui para frente para saber se os números sobem ou se o segmento está realmente em perigo.

Do lado das fabricantes, outros fatores também são levados em conta na equação para explicar essa época de “vacas magras” do comércio de PCs. Para os analistas, o grande empecilho seria uma combinação da transição forçada do hardware com Windows 8/8.1 para o novo sistema e a atual força que o dólar tem mundialmente. A alta da moeda norte-americana pode ser benéfica para o público dos EUA, mas faz com que os preços subam exponencialmente em diversas nações mais fragilizadas economicamente – algo que vem sendo sentido na pele no Brasil, por exemplo.

Enquanto os grandes nomes do setor estão segurando as pontas com perdas mínimas – como é o caso de Lenovo, HP, Dell e Apple –, outras empresas não estão tendo a mesma sorte e podem ter que rever seu modelo de negócios. A Acer, que marca presença no Top 5 do segmento, sofreu um baque forte, anotando uma redução entre 19,9 e 25,9% em suas vendas. A ASUS também não teve um bom terceiro trimestre, com queda de cerca de 10% no número de computadores vendidos no período. Espera-se que novas máquinas com Windows 10 e os processadores Intel Skylake ajudem a reverter esse quadro.

Windows 10 sozinho não dá conta de manter as vendas de PCs no azul. Comente sobre o cenário de negócios no Fórum do TecMundo!

Cupons de desconto TecMundo: