Com a pirataria ainda rolando solta, a Microsoft resolveu ir atrás de usuários suspeitos de compartilhar software e chaves de produtos roubadas para Windows 7 e Office 2013. De acordo com o ComputerWorld, a MS pediu uma permissão federal com uma intimação para realizar essa "busca".

"Apesar dos esforços razoáveis, incluindo várias técnicas de investigação, a Microsoft tem sido incapaz de identificar os suspeitos envolvidos. Atualmente, a melhor informação que temos para identificar essas pessoas é o IP infrator e as datas e horas utilizadas na hora da ativação das chaves de produto", declara a companhia no processo, que você pode acompanhar clicando aqui.

A Microsoft comenta que encontrou um dos IPs suspeitos que ativou milhares de chaves de produtos em vários dispositivos diferentes — e também em regiões geográficas fora de onde elas eram destinadas.

O Windows 7, para ser ativado, exige uma sequência alfanumérica de 25 caracteres. Para mudar isso, a Microsoft está trabalhando com a ativação digital do Windows 10, deixando a atualização para o novo sistema operacional mais suave e segura, segundo a companhia.

Com o requerimento, a Microsoft espera que a Comcast (operadora norte-americana) forneça mais informações sobre os IPs suspeitos.

Programas piratas em sistemas originais: o que acontece? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: