(Fonte da imagem: Reprodução/Daily Mail)

Um estudo realizado pela Penn State University descobriu que cerca de 60% dos artigos disponíveis na Wikipedia contêm pelo menos um erro grave em suas informações. Como o site se tornou uma das principais referências para pesquisar assuntos na internet, isso significa que muitas pessoas estão se baseando em dados falsos para escrever trabalhos acadêmicos.

Embora as páginas do serviço possam ser editadas por qualquer pessoa, existem funcionários especializados em encontrar e remover ou consertar informações falsas. Porém, os administradores do site têm se mostrados pouco eficientes em realizar essa tarefa, levando um tempo considerável para arrumar os erros apontados pelos visitantes.

A pesquisa foi conduzida pelo Jornal Acadêmico de Relações Públicas da Instituição, que consultaram 1.284 profissionais da área sobre os textos que descreviam seus clientes na Wikipedia. Dentre as pessoas entrevistadas, 25% nunca haviam checado se havia alguma espécie de informação disponível na página.

Administração ineficiente

Segundo o Daily Mail, o trabalho mostrou que nem sempre os administradores do site são eficientes em responder às reclamações de seus usuários. Um a cada quatro pedidos de correções enviados aos editores simplesmente são ignorados, e nenhuma espécie de resposta é enviada esclarecendo os motivos pelos quais uma página permaneceu inalterada.

Já aqueles que receberam alguma espécie de justificativa afirmaram que a Wikipedia demorou várias semanas para fazer isso. Algo que entra em contradição com as informações divulgadas pelo serviço, que afirma que pedidos de correção são respondidos em um período de dois a cinco dias.

Cupons de desconto TecMundo: