Documentos vazados fazem parte da coleção apelidada como Biblioteca Pública da Diplomacia dos Estados Unidos (Fonte da imagem: Reprodução/EmpireStrikeBlack)

Famosa por divulgar de forma anônima documentos e informações sigilosas a respeito de instituições governamentais ao redor do mundo inteiro, a WikiLeaks publicou hoje (08) cerca de 1,7 milhão de registros e telegramas confidenciais do governo norte-americano.

A operação, batizada de “Kissinger Cable”, foca-se em vazar comunicações entre diplomatas e políticos dos Estados Unidos no período entre 1973 e 1976, época em que o polêmico e controverso Henry Kissinger tinha o posto de Secretário do Estado e Conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca.

Julian Assange, fundador da WikiLeaks, participou ativamente da coleta dos documentos (mesmo ainda estando em asilo político no Equador, onde refugia-se desde junho do ano passado) e apelidou a coleção de vazamentos diplomáticos como Public Library of US Diplomacy (ou Biblioteca Pública da Diplomacia dos Estados Unidos).

Junto com os 251 mil telegramas vazados durante a operação Cablegate (realizada em 2010), os documentos Kissinger Cable formam ao menos 2 milhões de arquivos – e 1 bilhão de palavras – que foram organizados pelos voluntários da WikiLeaks e disponibilizados ao público. Você pode lê-los através do site oficial da organização.

Cupons de desconto TecMundo: