Imagem de Triangle Strategy
Imagem de Triangle Strategy

Triangle Strategy

Nota do Voxel
90

Triangle Strategy foca na trama, mas não deixa as estratégias de lado

Quando se fala de RPGs táticos, é quase impossível não lembrar de franquias ou jogos clássicos desse gênero, como é o caso de Fire Emblem, Tactics Ogre e, é claro, Final Fantasy Tactics. Então, quando a Square Enix anunciou Triangle Strategy no início de 2021, não houve como evitar comparações a esses títulos, ainda mais por ele fugir do 3D e apostar no HD-2D que já tínhamos visto em Octopath Traveler, do mesmo estúdio.

Com duas demos liberadas nesses últimos meses, já dava pra ter uma noção do que esperar em certos aspectos, mas é óbvio que sempre há um receio com o que vemos em demonstrações de trechos específicos de um jogo com o que será entregue na versão completa e final. Felizmente, a Nintendo nos cedeu uma cópia antecipada do game para termos tempo suficiente de absorver toda a intriga política, escolhas difíceis e as batalhas táticas que Triangle Strategy tem a oferecer no Switch. Você pode conferir as nossas impressões na análise completa logo a seguir!

Aquele HD-2D de encher os olhos

Um dos pontos principais que você nota quando inicia sua jornada em Triangle Strategy é sua apresentação, que realmente não deixa nada a desejar. O visual HD-2D faz o game se destacar bastante no meio de tantos jogos 3D ou que procuram meramente emular a era 16 bit sem nada de muito diferente. Já o estilo de arte dos retratos dos personagens também é fantástico e passa muito bem a personalidade de todos, algo que se evidencia ainda mais pela dublagem.

Falando nisso, não dá para deixar de mencionar que todas as falas de todos os personagens em cutscenes são devidamente dubladas, algo até importante para que as diversas cenas cheias de conversas não se tornem maçantes. Consideramos isso mais do que essencial em um jogo que foca tanto em trama como o Triangle Strategy. Um ponto meio negativo é que essa dublagem nem sempre é tão uniforme na versão inglês, já que certos diálogos não contam com emoções correspondentes ao que está acontecendo no game.

Felizmente, isso não é algo que ocorre com tanta frequência e que pode ser totalmente ignorado se você decidir jogar com a dublagem japonesa. A única coisa que precisamos frisar é que não há áudio ou texto em português, então se você não tiver um bom entendimento de inglês, espanhol, japonês ou alemão, pode ser bem complicado de entender qualquer coisa que não seja relacionado puramente às batalhas que encontrará no caminho.

Voltando para a parte de apresentação do game, também vale falar da trilha sonora, que rouba a cena em muitos momentos, seja durante os diálogos, narrações ou em confrontos com inimigos. Esse é um ponto em que a Square Enix sempre acerta, então não é uma grande surpresa que as músicas de Triangle Strategy nos façam sentir ainda mais envolvidos na história e conflitos do continente de Norzelia.

Senta que lá vem história

É claro que isso tudo o que falamos não são exatamente os fatores que mais interessam os fãs de RPGs táticos, que se empolgam muito mais na trama e nas batalhas apresentadas durante o jogo. Neste quesito, a gente pode afirmar que Triangle Strategy está bem servido e você verá um bom misto desses dois elementos. Ainda assim, é perceptível que o game foca muito mais em contar sua história do que meramente te apresentar diversas batalhas em sequência, como era o caso de Final Fantasy Tactics, por exemplo.

Não há como negar que a beleza do game chama bastante atençãoNão há como negar que a beleza do game chama bastante atençãoFonte:  Square Enix/Divulgação 

Para quem está mais animado para montar estratégias no campo de batalha, é bom já ficar avisado que haverá capítulos do game em que os confrontos serão apenas uma consequência de tudo o que está acontecendo e não um evento principal. As primeiras horas de jogo deixam isso bem claro e é possível sentir que o foco na história é meio exagerado às vezes, especialmente quando você só quer ver suas tropas em campo.

Se você estiver interessado puramente nas batalhas, é difícil de recomendar Triangle Strategy exatamente por isso. Neste caso, você se sentirá mais frustrado ao ver tantos diálogos e cenas relacionadas à trama em vez de comandar seus aliados contra os inimigos. Pelo menos, há como acelerar conversas e ações nas lutas e existe um comando para fazer com que as cutscenes com diálogos aconteçam de forma automática, sem que você tenha que apertar um botão depois de cada fala de um personagem. Desta forma, você pode simplesmente colocar o controle de lado e ver a história se desenrolando automaticamente até uma seção de gameplay acontecer de fato mesmo.

Falando em trama, eu senti que a história não tinha muitas novidades e foi até meio previsível em certos momentos, mas ela ainda funcionou bem no que se propõe em contar aos jogadores, especialmente pelas muitas rotas diferentes que você pode seguir. O legal é que ele foca bastante em intrigas políticas e questões morais referentes à religião, o que é sempre muito bem-vindo em RPGs deste tipo.

Mesmo tanto foco na história, as batalhas ainda são um dos eventos mais esperados no gameMesmo tanto foco na história, as batalhas ainda são um dos eventos mais esperados no gameFonte:  Square Enix/Divulgação 

Caso você não tenha visto muito sobre Triangle Strategy, basta saber que acompanhamos uma era de paz no continente de Norzelia, que é composto pelas regiões de Glenbrook, Hizante e Aesfrost, depois de um período de guerra encerrado há 30 anos. Apesar do acordo pacífico entre as três nações, há uma clara tensão causada pelo controle de recursos, além de diferenças culturais, o que acaba culminando em um ataque de uma das regiões em Glenbrook, onde nosso protagonista Serenoa precisa ascender ao papel de Lorde no lugar de seu pai e tomar decisões que podem mudar os rumos dessa nova Guerra.

É claro que não vamos falar muito da história para não estragar a experiência de ninguém, fora o fato de que você pode tomar decisões totalmente diferentes e que podem resultar em múltiplos finais. O legal é que você pode checar o caminho das suas decisões no menu e ver quantas outras ramificações poderia ter visto até então. Até por isso, fica interessante salvar o jogo em slots diferentes em momentos chave para ver o que aconteceria se você tivesse escolhido outro caminho.

Cheio de convicções

Isso nos leva para um dos elementos mais interessantes que encontrará fora das trincheiras: as convicções de seu personagem e como elas afetam suas escolhas futuras. Basicamente, o game tem um sistema de três tipos de convicções, que são a moralidade, a praticidade e a liberdade. Haverá trechos do game em que você poderá andar livremente por um cenário contido, sendo possível explorá-lo, encontrar itens e falar com os NPCs que estiverem por perto.

Ao conversar e explorar, você poderá descobrir informações importantes que serão devidamente  anotadas na seção “War Chronicles” no menu do game. Fora isso, haverá certos NPCs que te farão perguntas e as suas respostas fortalecerão uma das três convicções que mencionamos antes. Não há como saber qual resposta corresponde a qual convicção, então você não terá como manipular esse dado livremente. O melhor é sempre tentar responder da maneira que achar mais condizente com o jeito que está jogando ou simplesmente com o que achar mais correto mesmo.

Esses dois fatores serão importantes na hora que você tiver que tomar decisões mais sérias, já que em casos assim, Serenoa se juntará aos seus outros companheiros de aventura para uma votação do que deve ser feito. Cada personagem da sua party terá uma posição, seja a favor de algo, contra algo ou indeciso sobre a questão. Cabe a você conversar com aqueles que se opõem ao que você quer para convencê-los de seguir a direção que você gostaria.

Será preciso explorar e falar com os NPCs à sua volta se quiser descobrir informações importantesSerá preciso explorar e falar com os NPCs à sua volta se quiser descobrir informações importantesFonte:  Square Enix/Divulgação 

Sempre dará ver se é possível fazê-los mudar de ideia, já que um texto especial mostrará se falar com eles não resultará em nada ou se há como ter resultados positivos com uma negociação. Caso tenha explorado bastante os cenários anteriores e tenha conversado com vários NPCs para conseguir informações, você poderá destravar diálogos especiais na hora de convencer seus aliados de algo.

Suas convicções também podem ajudar ou atrapalhar nisso, já que é normal ver algumas opções de conversa travadas porque elas não condizem com o que seu personagem mais acredita, por exemplo. Isso dá algumas camadas mais profundas para o que você faz, afinal, nem sempre será possível convencer seus amigos a escolher a rota que deseja porque suas convicções não são fortes o suficiente ou porque você não se deu ao trabalho de coletar conhecimento sobre um assunto.

Aliados de batalha

A maneira que tudo acontece no game também deve ser familiar para os mais acostumados com jogos táticos. Você verá narrações dos eventos mais importantes que acabaram de acontecer enquanto vê o mapa de Norzelia representado com algumas peças, como se fosse mesmo um mapa tático de guerra. Esse será o hub principal do game, com ícones diferentes aparecendo para te mostrar as opções do que pode fazer.

Ícones verdes no mapa representam histórias secundárias opcionais em que você não faz nada além de assistir certos eventos se desenrolando. Já os ícones vermelhos representam a história principal, podendo ser cutscenes, momentos de exploração, hora de convencer a party a tomar decisões ou batalhas. De vez em quando, você também notará eventos especiais em um menu separado no canto inferior da direita da tela, o que significa que novos personagens poderão entrar em sua party.

Já que mencionei a party, vale ressaltar que eu realmente achei que fizeram um bom trabalho em deixá-la  bem diversa, com membros focados em papéis tradicionais de dano, tanque e cura, enquanto outros eram mais diferentões, por assim dizer. Há, por exemplo, membros que podem focar em dar buffs nos aliados, que podem apenas utilizar itens, que podem colocar armadilhas no terreno ou aplicar debuffs nos inimigos e muito mais. É claro que esses personagens diferentes não serão úteis em absolutamente todos os confrontos, mas podem ajudar muito em lutas específicas aqui e ali.

A arte da guerra

Inclusive, um ponto que pode ser uma das grandes dúvidas para muitas pessoas interessadas em Triangle Strategy é se as batalhas são realmente boas e se há espaço para estratégias ou se basta partir para a pancadaria sem ter que pensar em todos os confrontos. Felizmente, você pode ficar tranquilo e confiar que essa é uma das partes mais divertidas do game e será necessário utilizar de diferentes artimanhas para se dar bem no campo de guerra.

No mapa de Norzelia, você poderá escolher fazer suas missões principais ou ver histórias secundáriasNo mapa de Norzelia, você poderá escolher fazer suas missões principais ou ver histórias secundáriasFonte:  Square Enix/Divulgação 

Antes de uma batalha começar, você poderá selecionar quais membros serão utilizados e suas posições específicas no terreno. Com o confronto iniciado, cada aliado e inimigo terá seu turno definido por sua velocidade. Em seu turno, você verá que cada personagem possui pontos de habilidade, conhecido no game como TP, que poderá ser gasta para usar suas diferentes habilidades especiais. A maioria dos personagens possuem três pontos de TP e todos restauram um desses pontos no início de um novo turno, então é necessário pensar bem em como vai utilizar as habilidades para que não fique sem TP suficiente em um turno importante depois.

Você também verá para onde seus aliados poderão se mover no terreno, sendo que alguns possuem mobilidade vertical, podendo subir em lugares bem mais altos que outros. Depois de se mover, basta escolher sua ação, que pode consistir de um ataque físico, uma habilidade, o uso de um item ou só esperar pelo próximo turno se não tiver o que fazer. O bom é que há um modo de simulação que mostra o quanto de dano causará nos inimigos antes de tomar uma decisão concreta de onde quer ir e quem quer atacar. Ainda é importante escolher para que direção seu aliado ficará olhando, já que ataques pelas costas causam bem mais dano, então lembre-se de proteger muito bem o bumbum.

Outro fator que sempre deve prestar atenção são suas condições de vitória e derrota antes de cada luta, já que nem sempre bastará destruir todas as tropas inimigas ou se certificar que há pelo menos um aliado vivo no campo. Haverá confrontos em que você precisará mover suas tropas para um local específico para escapar, utilizar armadilhas no cenário para derrotar um inimigo praticamente invencível ou proteger um membro especial durante toda a luta.

É bem importante usar as vantagens do terreno e de seus personagens ao seu favor nas batalhasÉ bem importante usar as vantagens do terreno e de seus personagens ao seu favor nas batalhasFonte:  Square Enix/Divulgação 

Tudo isso garante que você sempre tenha que adotar estratégias totalmente diferentes a cada uma dessas batalhas, então não tenha medo de experimentar com personagens ou itens que não usou tanto no passado. Há cenários em que é muito mais vantajoso ter magos elementais causando dano em área ou momentos em que ter um arqueiro e uma assassina que atacam por cima ou escondidos nas sombras funciona de maneira mais eficiente, por exemplo.

Também vale se atentar aos diferentes fatores que podem te dar vantagens na luta e que podem render uma moeda especial chamada de Kudos no game, que é basicamente um “Parabéns” por ter feito algo especial. Você ganha os Kudos quando ataca alguém pelas costas, quando ataca de um terreno elevado, quando aplica um dano elemental em alguém que possui fraqueza para o elemento escolhido, quando decide atacar alguém do lado oposto de um aliado para que ele possa dar um ataque em conjunto, etc. Essa moeda pode ser usada para comprar alguns itens especiais com um NPC que fica no seu acampamento, onde há outros vendedores e um ferreiro que pode melhorar as suas armas e algumas habilidades.

Neste acampamento, você também poderá fazer algumas batalhas de mentirinha, que é a maneira mais fácil de subir de nível com seus personagens de um jeito consistente, já que não dá para contar apenas com as lutas da trama para ficar em um nível alto com todos os membros da party. Isso é até uma escolha interessante por parte dos desenvolvedores, já que mostra que todas as lutas reais são realmente atreladas à trama e acontecem apenas em consequência dela. Pode ser que nem todo mundo goste disso por isso significar que há número menor de batalhas, mas eu acho particularmente mais envolvente e que faz sentido com a proposta de Triangle Strategy.

Vale a pena?

Como dá para perceber com tudo o que a gente falou, Triangle Strategy tem muito conteúdo a oferecer e isso se reflete bastante no tempo que você passará com o jogo. Caso queira experimentar boa parte do que o game tem à disposição, é bem fácil de passar das 30 horas em sua campanha, mas é claro que se preferir ir direto ao assunto e pular diálogos e as coisas opcionais, dá para chegar ao fim de forma bem mais rápida. Ainda assim, a gente pode afirmar que o game merece essa atenção especial, já que claramente houve bastante carinho em seu desenvolvimento.

Como falamos antes, o foco realmente está na trama na maior parte do tempo e as batalhas acontecem só em decorrência dela, então ignorar a história seria um desserviço ao jogo. No geral, dá para dizer que talvez Triangle Strategy não esteja destinado a ser um dos grandes clássicos do gênero, até porque as expectativas são muito maiores hoje em dia, mas foi facilmente um dos RPGs táticos que mais me cativou e me divertiu nos últimos anos.

Nota do Voxel: 90

Pontos Positivos
  • O sistema de convicções permite experiências bem únicas que não podem ser manipuladas facilmente de primeira
  • As decisões que você toma podem gerar situações diferentes, o que dá vontade de voltar e testar as outras opções posteriormente
  • Há um comando para a história se desenrolar automaticamente, sem que o jogador tenha que ficar apertando botões a todo momento só para passar os diálogos
  • O botão de acelerar é muito útil para passar conversas que já viu ou o turno de inimigos em batalhas
  • As lutas possuem muitos elementos estratégicos e interessantes, especialmente o sistema de ações especiais e os Kudos
  • O visual HD-2D e a direção de arte do game são fantásticas
  • Há diferentes condições de vitória e derrota, garantindo que suas lutas não sejam só resolvidas na força bruta
Pontos Negativos
  • A história pode ser meio previsível em alguns momentos
  • A dublagem em inglês não é sempre tão uniforme nas emoções
  • Há muito texto e não há tradução em português disponível
  • O game foca muito mais na história que nas batalhas, o que pode decepcionar jogadores que gostam mais dos confrontos táticos do que a trama