Imagem de The Witcher 2: Assassins of Kings
Imagem de The Witcher 2: Assassins of Kings

The Witcher 2: Assassins of Kings

Nota do Voxel
93
Ficha Técnica
Lançamento: 17/05/2011
Classificação: Para maiores de 17 anos
Desenvolvedora: CD Projekt Red
Distribuidora: Atari
Nº de Jogadores: 1-1
Resumo
The Witcher 2: Assassins of Kings é a sequência do aclamado The Witcher, RPG tipicamente ocidental — quer dizer, nada de espadas gigantescas e narizes diminutos aqui — lançado em 2007 para PC. Seguindo a mesma proposta do seu antecessor, Assassins of Kings preza pro uma trama densa, repleta de temas controversos (como sexo, racismo e genocídio), que serve para contar a história do cínico caçador de monstruosidades, Geralt de Rivia.

O game ainda representa uma melhoria em diversos aspectos do seu antecessor. Entre outras coisas, isso se deve ao fato de a CD Projekt ter resolvido que era o momento de simplesmente reinventar a roda da franquia. Dessa forma, em vez de lançar mão novamente da ótima Aurora Engine (de propriedade da BioWare), a desenvolvedora resolveu criar uma nova engine absolutamente do zero.

Também a I.A. (inteligência artificial) de The Witcher 2 apresenta melhorias em relação ao primeiro título. Cada personagem encontrado no jogo tem agora uma agenda e uma idiossincrasia própria. Cada um agora conta com tarefas próprias, e também formas particulares de reagir às atitudes do protagonista; reações que vão do cômico ao mais trágico.

Assassins of Kings ainda traz novamente uma das marcas registradas do primeiro jogo: não existe aqui um sistema maniqueísta. Ou seja, nada de bem e mal definidos. As suas escolhas no jogo (e serão várias, todas no melhor estilo BioWare) serão pautadas unicamente pelos desejos e vontades próprios do personagem — tais decisões ainda influenciam grandemente no curso da trama principal do jogo.

Comentários

Conteúdo disponível somente online