Imagem de The Walking Dead: Survival Instinct
Imagem de The Walking Dead: Survival Instinct

The Walking Dead: Survival Instinct

Nota do Voxel
25

Uma tragédia pós-apocalíptica

Quando a Telltale trouxe o primeiro capítulo de The Walking Dead, no início de 2012, muita gente torceu o nariz para o título por diversas razões, seja por conta de seu estilo com menos ação e mais focado na narrativa ou pela simples falta dos rostos presentes na série de TV. Afinal, onde estavam Rick, Shane e Daryl?

E era óbvio que isso não iria passar despercebido diante dos olhos dos executivos de grandes produtoras. Com o sucesso do seriado, era apenas uma questão de tempo para que algo relacionado àquele grupo de sobreviventes aparecesse em nossos consoles.

No entanto, The Walking Dead: Survival Instinct não consegue aproveitar o rico material que tinha nas mãos e que conquistou milhares de fãs mundo afora, se tornando mais uma vítima da “maldição” de adaptações. Nem mesmo a participação de Daryl Dixon, o personagem mais popular do programa, como protagonista é capaz de salvar esta bomba.

Se antes tínhamos a certeza de que jogos de filmes seriam um fracasso, as séries de TV estão mostrando que também são capazes de trazer materiais igualmente deprimentes.

Já vi muito jogo ruim nessa vida, mas foram poucos aqueles que realmente me deixaram mal o suficiente para me impedir de continuar a campanha. The Walking Dead: Survival Instinct traz um misto de desgosto com a vontade de se jogar na frente de um zumbi para ver se o sofrimento tem um fim.

É muito triste ver que o título tinha potencial para ser, no mínimo, divertido para os fãs da série de TV, mas ele consegue falhar em praticamente todos os aspectos e faz com que as poucas boas ideias existentes sejam totalmente eclipsadas pela capa de chorume e derrota que e estende por todos os lados.

Se por um lado é difícil entender como a Activision permitiu que “isso” fosse lançado, por outro é possível imaginar a estratégia da distribuidora e a pressão exercida sobre o estúdio: com a terceira temporada do seriado chegando ao fim, ela quis se aproveitar do momento e da popularidade dos personagens para enganar atingir os fãs. O resultado é um título tão podre quanto uma mordida de zumbi.

Portanto, se você é apaixonado pelas histórias de Robert Kirkman, reveja a série, leia os quadrinhos, procure os livros e jogue os games da Telltale, mas fique longe de Survival Instinct — para o seu próprio bem.

Você sabia que o TecMundo está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.