Imagem de Starship Troopers: Terran Command
Imagem de Starship Troopers: Terran Command

Starship Troopers: Terran Command

Nota do Voxel
70

Starship Troopers: Terran Command traz nostalgia, mas diversão limitada

Robert A. Heinlein ficou conhecido no mundo literário pelo lançamento do excelente Stranger in a Strange Land, em 1959. Porém, o escritor não sabia que Starship Troopers também receberia certa notoriedade com um filme em 1997.

Você deve imaginar que no mundo dos games a história não foi diferente. Starship Troopers recebeu uma versão em 2005 como um jogo em primeira pessoa feito pelo Strangelite Studios e publicado via Empire Interactive. E, para variar, sem muito alarde ou sucesso.

Chegamos em 2022 e uma verdadeira repaginada nas ideias. Sai o FPS e entra outro gênero: Starship Troopers: Terran Command está entre nós e com uma pegada totalmente RTS.

O game foi produzido pela The Artistocrats e publicado pela Slitherine, que cada vez mais lança jogos pertinentes no mercado de games. Mas será que é certeza de sucesso?

Kwalasha é logo ali!

Starship Troopers: Terran Command traz as batalhas conhecidas entre o exército americano contra os aracnídeos extraterrestres, no planeta de Kwalasha. Toda a narrativa tem relação direta com o filme de 1997.

Vale destacar que o título não poderia ser diferente de toda sátira trazida pelo livro, em que se destaca a politização dos Estados Unidos como nação, além do exagero frente sua força militar.

Por mais que este seja o grande trunfo do game, ao mesmo tempo ele o torna curto em opções. Mas fique tranquilo que você entenderá o porquê nas próximas linhas.

Tudo começa pela pequena variedade tática que o jogador possui ao lidar com os adversários. A narrativa também não surpreende. Primeiro porque ela já é muito conhecida dos fãs e, segundo, porque não traz grandes novidades

Aparentemente, os roteiristas preferiram seguir à risca o encontrado nas outras mídias, como forma de não se comprometer. Manter a segurança neste quesito é importante, para não dar tiros no pé. Mas um pouquinho de criatividade não faz falta para ninguém.

Como não poderia ser diferente, as evacuações são intensas e praticamente ocorrem em todas as missões, o que tira o fator surpresa e principalmente o ingrediente original da narrativa.

Isto poderia ter sido utilizado com menos veemência para que a dosagem nas missões pudesse ficar menos repetitiva. Muitos sabem qual é o pano de fundo para toda a história americana e seu exército perfeito, mas ficou muito evidente toda a sátira.

Liga nos 220V!

Em Starship Troopers: Terran Command, a maioria das missões são simples e básicas de serem executadas, o que pode atrapalhar os fãs da série. O início do jogo é muito lento e, de certa forma, tira toda a sensação de uma batalha frenética por parte dos jogadores, o que pode atrapalhar na diversão.

O ponto positivo é que as CGs e os eventos que ocorrem fora da gameplay ajudam a quebrar um pouco o ritmo, o que dá a sensação de variedade.

Outro elemento que já é característico dos games da Slitherine e que me incomoda muito se refere a interface e aos menus mal feitos.

Graficamente, o jogo vive de momentos. Tem hora que ele é bonito, mas no geral também fica abaixo da expectativa. O que ajuda a manter esta característica é o fato da câmera ser mais distante do que o usual. Dessa forma ela impede uma aproximação grande, deixando de lado a falta de polimento e possíveis problemas.

Apesar dos gráficos, a Slitherine segue com sua característica de ter boa otimização. Ela está perfeita e funciona muito bem em todos os computadores possíveis e imagináveis, levando-se em consideração os requisitos máximos e mínimos do jogo. Nós testamos em uma GeForce RTX 2080 Ti e a experiência foi muito satisfatória.

Faltou algo

Seu objetivo em Starship Troopers: Terran Command é simples. Além da narrativa, o gameplay segue uma premissa básica, como já descrito anteriormente.

O jogador precisa capturar postos de comando e sobreviver dos ataques aracnídeos. Desta forma terá mais recursos e, consequentemente, mais tropas e habilidades especiais para jogar.

Adquirindo esses recursos será possível fazer um importante gerenciamento, que definirá a compra correta de soldados e robôs para se defender dos inimigos.

Para ter sucesso nos combates será necessário obter um bom posicionamento das tropas ao longo do cenário e aqui começa outro problema. Tudo é muito confuso e desastroso. Em muitos momentos, você perceberá que suas tropas estão empilhadas, uma na frente da outra. Pode ter certeza que isso não será legal.

Por mais que as tropas estejam bem balanceadas, fica claro que a estratégia e a confusão na hora da batalha atrapalha muito a diversão do jogo.

Vale destacar a qualidade da trilha sonora, que condiz com a realidade encontrada nos filmes e principalmente com o contexto espacial, o que aumenta a imersão.

Eu levei pouco mais de 20 horas para terminar a campanha. Cada missão pode ter cerca de 30 minutos, dependendo do quanto você quer explorar e criar estratégias de combate.

Vale a pena?

Starship Troopers: Terran Command é um jogo diferente do encontrado atualmente no quesito história, e isso pode conquistar os jogadores que não conhecem o que o cerca.

Em questão de gameplay, não encontramos nada de muito novo, o que pode ser um tiro no pé dos verdadeiros apaixonados pelo gênero. Existe pouca variação de combate e a estratégia é difícil de ser implementada da melhor forma possível.

Por mais que a otimização seja boa e a trilha sonora muito agradável, o game deixa muito a desejar no quesito gráfico, diminuindo ainda mais a imersão de jogo.

Starship Troopers: Terran Command  foi cedido gentilmente pela Slitherine para a realização desta análise. 

Pontos Positivos
  • Trilha sonora muito boa
  • Bom uso de pano de fundo e referências dos filmes
Pontos Negativos
  • Gameplay simples demais
  • Estratégias de combate confusas
  • Gráficos pouco aproveitados