Imagem de Resident Evil: Operation Raccoon City
Imagem de Resident Evil: Operation Raccoon City

Resident Evil: Operation Raccoon City

Nota do Voxel
55

O pesadelo é bem pior do que você imagina [vídeo]

Videoanálise

Resident Evil: Operation Raccoon City foi lançado sob imensa expectativa. Afinal, a Capcom delegou o desenvolvimento do jogo para a Slant Six Games, encarregando-se apenas da produção e da revisão de aspectos como enredo e coerência com o resto da série.

Como resultado, a pouco conhecida empresa entregou um jogo focado totalmente na ação, mas que revisita cenários de quando o título era o carro-chefe do survival horror. O que poderia ser um agregador de fãs (ao agradar aos veteranos e conquistar novatos) acabou, entretanto, em uma das maiores decepções da franquia.

Se você enxergar Resident Evil: Operation Raccoon City sem a visão nostálgica de um fã da franquia, tudo o que resta é um jogo de tiro bastante limitado, irregular e cheio de falhas que poderiam ser facilmente evitadas.

Mas nem tudo é um desastre: os efeitos sonoros e o modo online deixam tudo mais interessante, porém isso não apaga as falhas do jogo, que continuam ali mesmo que você consiga tirar um pouco de diversão do game.

Ainda assim, ficam os méritos para a Capcom, que teve coragem de entregar uma franquia tão adorada a uma empresa diferente e permitiu a troca de gênero e um ponto de vista. É uma pena que o resultado, entretanto, tenha saído tanto da linha dos últimos jogos da série. Talvez em uma próxima oportunidade, com outra fórmula e um pouco mais de tempo de produção, isso até possa funcionar.