Imagem de Miitopia
Imagem de Miitopia

Miitopia

Nota do Voxel
80

Miitopia continua uma aventura deliciosa de jogar e de assistir

Um console de tanto sucesso como o Switch geralmente acaba sendo o lugar perfeito para relançar jogos menos conhecidos ou que foram disponibilizados originalmente em plataformas que não tiveram uma grande base de usuários. É por isso que sempre vemos ports, remakes ou edições especiais de games do 3DS e do Wii U chegando ao console híbrido da Nintendo, incluindo Miitopia.

Lançado no final de 2016, Miitopia é um RPG bem fora dos padrões que até chegou a chamar alguma atenção quando chegou no portátil de duas telas, mas ficou bem longe de conseguir os impressionantes números de vendas de outros grandes títulos desenvolvidos pela Big N. Aproveitando a onda de relançamentos, a Nintendo decidiu que era hora de remasterizar Miitopia para o Switch, mas será que um título que sempre foi meio peculiar consegue se destacar entre tantos jogos inéditos?

Um RPG diferentão

Seguindo um estilo parecido com Tomodachi Life, também um título original do 3DS, Miitopia foca totalmente em personagens que consistem de Miis que você mesmo pode criar ou pegar de outros usuários. A diferença entre esses dois jogos é que se em Tomodachi Life você só podia observar os Miis, Miitopia permite que você tenha controle pelo menos do seu personagem principal.

Em certos aspectos, ele funciona como um RPG tradicional, com o Mii protagonista vivendo como uma pessoa normal até encontrar um grande vilão que começa a roubar o rosto das pessoas do reino de Miitopia. Uma voz misteriosa vinda dos céus pede que você saia em uma jornada para salvar as vítimas e derrotar o tal “Dark Lord”.

Sua grande missão em Miitopia será a de resgatar o rosto de todos do reinoSua grande missão em Miitopia será a de resgatar o rosto de todos do reinoFonte:  Nintendo/Reprodução 

Só que é claro que você não pode fazer isso sozinho, então a voz dos céus garante que mais aventureiros virão se juntar ao seu grupo, o que acontece num ritmo muito bom enquanto ainda aprendemos as mecânicas básicas do título. O legal é que cada um dos personagens do game tem o rosto escolhido por você, seja os membros da sua equipe, os habitantes de Miitopia ou até mesmo o temível Dark Lord.

Essa é exatamente boa parte da graça do jogo, afinal, a intenção é colocar rostos conhecidos em situações bizarras e bem humoradas. Posso dizer que tanto na versão de 3DS como na de Switch optei por colocar meus amigos no grupo principal de aventuras e personagens fictícios e celebridades no lugar de NPCs que encontrava no caminho.

Você terá a chance de escolher um rosto especial para cada Mii que encontrar pelo caminhoVocê terá a chance de escolher um rosto especial para cada Mii que encontrar pelo caminhoFonte:  Nintendo/Reprodução 

Felizmente, você não precisa criar todos esses Miis, já que dá para pegar criações populares de outros usuários facilmente. O jogo oferece opções para fazer o Mii do zero, pegá-lo com um amigo, usar o código de um criador ou ver as opções de personagens mais usados no momento. Desta forma, no meu jogo Lula Molusco tomou o lugar de grande vilão enquanto eu fiquei encarregada de salvar uma vovó com a cara da D.VA de Overwatch e de trazer Jigglypuff de volta para seu amado Waluigi, por exemplo.

Não bastasse esse fator para deixar o game mais engraçadinho, você ainda tem que escolher a classe e personalidade de cada membro da sua party. Dentre as classes, há opções bem tradicionais de RPGs, mas o destaque fica para as mais originais, como Cozinheiro, Pop Star, Cientista, Diabinho e até Gato.

Na minha party inicial, o nosso redator Thomas Schulze era um grande Pop StarNa minha party inicial, o nosso redator Thomas Schulze era um grande Pop StarFonte:  Nintendo/Reprodução 

Com base nisso, você aprende habilidades diferentes que são usadas em combate, podendo curar os companheiros, distrair inimigos, roubar itens de quem está atacando, etc. Já as personalidades dos aventureiros servem para dar um toque diferenciado em como cada Mii se comporta em batalha, o que é importante já que você não controla nenhum dos seus aliados em momento algum.

É para jogar ou assistir?

Para quem nunca jogou algo como Miitopia ou Tomodachi Life antes, pode parecer estranho o fato de que você não controla tantos aspectos do game, só é que é isso que garante o caos e os eventos bizarros que vão se desenrolando ao longo dos dois títulos.

Quanto mais tempo passam juntos, mais amigos os Miis se tornamQuanto mais tempo passam juntos, mais amigos os Miis se tornamFonte:  Nintendo/Reprodução 

Você pode, por exemplo, deixar os aventureiros descansarem em uma pousada após cada pequena jornada em uma nova área. É lá que você encontra muitos dos eventos mais interessantes que mencionamos, especialmente porque é onde os personagens podem passar tempo juntos e aumentar o nível de amizade uns com os outros.

Inclusive, a amizade é um dos fatores mais importantes nessa grande aventura, considerando que ela libera interações especiais na pousada e nos encontros aleatórios com inimigos. Como você controla só os ataques do protagonista, tem que esperar (e torcer) que os seus aliados escolham os melhores ataques ou magias para lidar com a situação. No meio disso, a personalidade e o nível de amizade interfere bastante na ação e os Miis podem decidir algo em benefício próprio em vez dos aliados.

Alguns Miis da sua equipe podem tomar decisões egoístas e até brigar com os amigos por causa dissoAlguns Miis da sua equipe podem tomar decisões egoístas e até brigar com os amigos por causa dissoFonte:  Nintendo/Reprodução 

Você ainda poderá sugerir que eles comprem certos itens, equipamentos ou que façam passeios juntos, mas o resultado final depende totalmente dos Miis e você só pode assistir. Na maior parte das vezes é bem divertido ver as situações absurdas que ocorrem pela sua falta de controle, mas não há nada mais enfuriante do que pedir que um membro da equipe compre uma arma melhor e ver ele voltando com uma banana. E acredite, isso vai acontecer. Várias vezes.

Também é muito importante ressaltar que, por conta do grande foco no humor dessas situações aleatórias entre os Miis, o sistema de combate não é muito expansivo e acabará se tornando repetitivo após algumas horas. Há um fator no meio da trama que tenta mudar um pouco o ritmo do game, mas não demora tanto para que você volte para o aspecto repetitivo.

Em outras situações, os personagens também agirão com carinho, aumentando o nível de amizade com os outrosEm outras situações, os personagens também agirão com carinho, aumentando o nível de amizade com os outrosFonte:  Nintendo/Reprodução 

Há até um botão que avança as ações de forma rápida, que também estava presente no 3DS, então vale dizer que Miitopia é um game feito com a consciência de que você pode querer passar pelo combate e outros trechos de forma mais automática para aproveitar os momentos engraçados.

Das duas telas à experiência híbrida

É natural ver um port de um jogo de 3DS sendo lançado para o Switch e se preocupar com o que mudou, o que foi adicionado ou se a transição de duas telas para uma plataforma padrão deu certo. No caso de Miitopia, a maior parte do uso da segunda tela era para controlar o menu e as ações do protagonista, o que passou a ser exibido de forma discreta e bem funcional na tela única do console híbrido da Big N.

O jogo está bem mais bonito e trouxe algumas novidades interessantesO jogo está bem mais bonito e trouxe algumas novidades interessantesFonte:  Nintendo/Reprodução 

Fora isso, temos a óbvia remasterização do game para HD, que ficou boa e mostra em detalhes mais bonitos os Miis, suas roupas, armas e inimigos, mas que também evidencia o quão vazios são os cenários em que nos aventuramos. Esse nunca foi o grande foco do game, nem no 3DS, então não é um grande problema, mas ainda é algo que você vai notar bastante no comecinho.

Em relação a novidades, não dá para dizer que a Nintendo adicionou muita coisa inédita nesta versão, mas há algumas surpresas interessantes. Para começar, há um novo companheiro que amamos encontrar: um cavalinho totalmente customizável. Eu fiz a minha égua ser igual a Epona de The Legend of Zelda, mas você pode ser ainda mais criativo se quiser fazer um unicórnio ou um cavalo demoníaco, por exemplo.

Não resisti em fazer uma égua bem parecida com a EponaNão resisti em fazer uma égua bem parecida com a EponaFonte:  Nintendo/Reprodução 

A adição mais legal é o sistema de maquiagem e perucas que o game oferece aos jogadores. Após colocar os Miis do seu grupo no jogo, você pode ir nesse menu para modificá-los totalmente, já que há bem mais opções de cabelos, maquiagem e elementos faciais do que o criador de Mii normal do Nintendo Switch fornece.

Em um título tão dependente da aparência dos Miis, já dá para imaginar o quanto isso pode melhorar a experiência em relação ao original. Se quiser criar cópias mais fiéis dos seus amigos ou dos seus personagens fictícios favoritos, agora é muito mais fácil.

Os problemas de salvar os habitantes de Miitopia

Um jogo tão focado em humor e na interação dos personagens acaba precisando de muito texto para ser efetivo, então é importante dizer que infelizmente não há a opção de jogar Miitopia em português. Embora os diálogos não sejam muito complicados, ainda é necessário ter uma boa noção de inglês para aproveitar as piadas e situações bizarras que acontecem com os Miis.

Embora seja possível entender muitas das situações por contexto, entender o idioma é primordial para aproveitar as piadasEmbora seja possível entender muitas das situações por contexto, entender o idioma é primordial para aproveitar as piadasFonte:  Nintendo/Reprodução 

Esse é um ponto bem importante e que tem sido frisado por fãs da Nintendo há algum tempo, então se esse é um critério que leva em conta na hora de comprar games como esse, fica o aviso para evitar alguma decepção.

Um assunto que também não pode ser ignorado é o preço do jogo, já que no 3DS ele custava US$39,99, ou seja, o mesmo que qualquer outro título do portátil de duas telas. Só que com a remasterização em HD do Switch, agora é necessário desembolsar US$49,99 ou R$249,00 na eShop brasileira.

Esse é um preço meio difícil de justificar, ainda mais para quem já experimentou o game na versão original, já que não é tão interessante pagar mais caro por um remaster de um título relativamente recente e que não tem tantas mudanças ou novidades assim. É claro que se você nunca jogou Miitopia e quer algo totalmente diferente dos games mais comuns da Nintendo, isso pode acabar se tornando um ponto negativo de menor importância.

Mesmo com alguns defeitos, Miitopia é muito cativanteMesmo com alguns defeitos, Miitopia é muito cativanteFonte:  Nintendo/Reprodução 

No fim das contas, Miitopia ainda é muito carismático e foca totalmente em oferecer uma experiência divertida e sem muitos equivalentes atuais em outras plataformas ou mesmo na biblioteca do Switch. Ainda dá para dizer que Miitopia é uma experiência tão divertida de jogar como de assistir, então pode ser uma atividade perfeita para fazer em grupo. É claro que esse estilo de gameplay não é para todo mundo, então é bom ter noção do que o jogo oferece antes de sequer pensar em comprá-lo.

Miitopia te tira do controle e, em troca, oferece uma experiência caótica e única

Nota Voxel: 80

Pontos positivos

  • Muito divertido e engraçado durante toda a campanha
  • Dá bastante liberdade para o jogador ter sua própria aventura com os Miis
  • Oferece uma maneira de avançar as seções mais repetitivas
  • Perfeito para quem gosta de assistir gameplay
  • Excelentes opções de customização de Miis

Pontos negativos

  • Se torna repetitivo depois de algumas horas
  • É mais caro que o original sem oferecer muitas novidades
  • Seu humor depende bastante de seu texto e não há versão em português

Miitopia foi gentilmente cedido pela Nintendo para a realização desta análise.

Pontos Positivos
  • Muito divertido e engraçado durante toda a campanha
  • Dá bastante liberdade para o jogador ter sua própria aventura com os Miis
  • Oferece uma maneira de avançar as seções mais repetitivas
  • Perfeito para quem gosta de assistir gameplay
  • Excelentes opções de customização de Miis
Pontos Negativos
  • Se torna repetitivo depois de algumas horas
  • É mais caro que o original sem oferecer muitas novidades
  • Seu humor depende bastante de seu texto e não há versão em português