Imagem de Final Fantasy XIV: A Realm Reborn
Imagem de Final Fantasy XIV: A Realm Reborn

Final Fantasy XIV: A Realm Reborn

Nota do Voxel
0

Um mundo renascido das cinzas

Quando um jogo é lançado e rapidamente passa a ser criticado por todas as fontes possíveis e imagináveis, fica difícil esperar que ele de alguma forma dê a volta por cima – especialmente quando se trata de um MMORPG, gênero que tem incontáveis rivais que agradam a todos os gostos. Foi assim com Final Fantasy XIV, que teve sua versão original para PCs duramente atacada (e com razão) tanto pela crítica quanto pelo público.

No entanto, em uma aposta corajosa como raramente se vê no mundo dos games, a Square Enix resolveu retirar o jogo do ar (com a desculpa do fim do mundo trazida pelo supremo Bahamut) e refazê-lo completamente praticamente do zero, tudo sob a nova e competente direção de Naoki Yoshida. A ideia era não apenas arrumar todos os problemas apontados por todos, mas trazer uma experiência de jogabilidade e uma história completamente renovadas.

Será que A Realm Reborn conseguiu se livrar de seus estigmas passados e superar as expectativas trazidas por um nome forte como o da franquia Final Fantasy? Vale a pena investir seu suado dinheirinho para pagar a assinatura mensal em dólares do jogo? Obviamente, essas são questões que dependem um pouco do gosto de cada um – mas, após um mês jogando o MMO, podemos dizer que a resposta tem tudo para ser sim.

Superando as expectativas, Final Fantasy XIV: A Realm Reborn conseguiu não apenas desfazer os enganos de sua primeira versão como ainda trazer um MMORPG de qualidade tanto para os PCs quanto para o PS3. Isso tudo ao mesmo tempo em que resgata o nome da franquia e agrada aos seus fãs de longa data.

Como resultado, temos um jogo tão completo que consegue prender tanto quem é fã de carteirinha da série quanto quem acaba de descobrir o que é um chocobo e nunca ouviu falar em Bahamut ou em um Cid. A enorme quantidade de conteúdo já disponível, que deve ser reforçada ainda mais nas próximas atualizações, traz a expectativa de muitas horas de diversão, que sofre pouco com as eventuais falhas apresentadas.

Se você procura uma boa opção de RPG online, certamente o novo episódio da grande franquia da Square Enix tem tudo para manter você acordado muitas madrugadas adentro. Isso, é claro, se após o período de testes você estiver disposto a pagar a salgada mensalidade que vai de US$ 13 a US$ 15 (entre cerca de R$ 30 e R$ 35) – eu mesmo fiquei bastante tentado.