A maestria da competição

A imensa sala em Seattle ficou silenciosa, acompanhando cada movimento que se desenrolava no imenso telão. Milhares estavam sentados, com a respiração ofegante, e outros milhões torciam ao redor do mundo pela internet. Era a grande final do campeonato mundial, mais de 2 milhões de dólares estavam em jogo e inesperadamente uma das equipes iniciou uma virada explosiva. A plateia vibrou, abafando a voz ofegante dos narradores.

Em questão de segundos, a Alliance tirou vantagem do impossível, revertendo uma situação que poderia abalar qualquer outra equipe. Os 20 minutos seguintes foram recheados de tensão, e um pequeno erro de posição da Na’Vi foi o suficiente para que o time adversário atrasasse sua defesa e destruísse, mesmo com grande resistência, a construção mais importante do jogo. Os jogadores e fãs celebravam um dos momentos mais emocionantes da história do DotA 2, que, até então, tivera uma longa caminhada até esse ponto.

O conceito de DotA não nasceu na Valve, muito menos os criadores imaginariam que estariam criando um novo gênero dentro dos games. Com as raízes em Starcraft, as primeiras partidas com os moldes atuais do MOBA (Massive Online Battle Arena) surgiram em Aeons of Strife, um mapa criado por fãs e posteriormente portado para o Warcraft III, recebendo as principais características que hoje DotA 2 apresenta.

DotA Allstars, reunindo as versões criadas por vários jogadores, conquistou cada vez mais sucesso. Mais de sete anos se passaram até a Valve iniciar o projeto de libertar o jogo das limitações do Warcraft III, atualizando os gráficos e oferecendo novos recursos que até então não eram possíveis no jogo da Blizzard.

DotA 2 não cresceu com uma proposta muito intuitiva: duas equipes (Radiant e Dire) se enfrentam em um mapa com três rotas, e cada jogador escolherá um herói (dentre os 105 disponíveis) para fazer parte desse avanço. No caminho, os jogadores terão que passar pelas tropas, torres e heróis adversários, buscando destruir o Ancient inimigo localizado no final das rotas. Nesse caminho, o jogador poderá comprar itens e evoluir habilidades como um típico RPG, mas em uma visão superior clássica dos games de estratégia.

Até chegar gratuitamente e definitivamente no Steam, o conceito por trás do DotA já tinha percorrido uma longa caminhada e conquistado milhares e milhares de fãs. Nesta nova etapa, a Valve trouxe mais do que recursos para facilitar a vida dos jogadores: ela buscou aprimorar o jogo para mantê-lo desafiador e estimulante por décadas.

DotA 2 é um jogo que pode não agradar todo mundo, mas que deveria ser experimentado por todos. Sua curva de aprendizado tendendo ao infinito cativa muitos jogadores ao melhoramento contínuo, e sua fórmula inovadora e recheada de elementos de RPG e estratégia são as características que prendem diversos jogadores que buscam uma partida sempre nova e única.

A tênue linha entre competição e diversão pode atrapalhar o relacionamento entre alguns jogadores, afinal, estamos tratando de um jogo que precisa de cooperação para atingir o sucesso. Mas quando estes dois elementos se alinham de forma sintonizada, DotA 2 se torna uma experiência completa e gratificante, digna das melhores partidas já presenciadas na sua vida.