Imagem de Doom 3 BFG Edition
Imagem de Doom 3 BFG Edition

Doom 3 BFG Edition

Nota do Voxel
80

FPS à moda antiga

Apesar de não ter sido o primeiro game de tiro da história, a série Doom foi uma das grandes responsáveis pela popularização do gênero. No início dos anos 90, a desenvolvedora id Software soube fazer ótimo uso das principais características do estilo e levou os jogadores para combater demônios no espaço, criando um dos títulos mais cultuados do mundo.

A ideia sempre foi inovar a cada lançamento, elevando o nível dos FPSs. Em 2004, quando Doom 3 chegou às prateleiras de todo o mundo, a iluminação era o grande destaque. Os gráficos que pareciam estar uma geração à frente eram tão escuros quanto belos e o título agradou aos fãs, apesar de ter passado longe de atingir o mesmo nível de adoração que seus antecessores.

Agora, quase dez anos depois do lançamento original, a Bethesda e a id Software trazem Doom 3 de volta para os consoles e PC com a BFG Edition, adicionando pequenas novidades e gráficos em alta definição. Será que o game de tiro conseguiu sobreviver ao tempo e ainda se sustenta como um dos principais expoentes dos jogos de tiro em primeira pessoa?

Img_normal
Doom 3 BFG Edition vai decepcionar quem procura algo de novo. O game tem quase dez anos de idade e não envelheceu bem, trazendo conceitos datados e uma jogabilidade muito mais travada que a aceita atualmente. Os fãs de Call of Duty não vão gostar muito do que verão aqui, a não ser que estejam realmente dispostos a conhecerem o início de tudo.

Por outro lado, os fanáticos saudosistas estão diante de um prato cheio. A presença dos games clássicos da franquia engrandece um pacote que já era bom e acrescenta horas de nostalgia diretamente aos PCs e consoles da atual geração. Infelizmente, Doom 3 BFG Edition deve falhar em sua mais difícil missão: manter o status de clássico tanto tempo depois de sua chegada às lojas.