Um novo sinônimo para "alucinante"

Se você conhece bem a atual situação do universo do entretenimento eletrônico, então provavelmente sabe que, em termos de originalidade, as coisas não estão muito boas. Basta parar e observar alguns jogos aqui no TecMundo Games para notar como existem títulos que simplesmente derivam diretamente de outros. E o pior: muitos deles não adicionam absolutamente nada a uma fórmula já estabelecida, sendo apenas repetições com uma nova roupagem.

É triste, frustrante, mas acontece direto. Afinal, quantos clones de Gears of War já vimos? Ou então, quantas cópias de God of War existem por aí? Inúmeras, não é mesmo? Mas, felizmente, ainda existem alguns exemplos que surpreendem a crítica e os jogadores. E, obviamente, esses jogos merecem atenção.

Desde seu anúncio, Vanquish veio ganhando cada vez mais atenção na mídia especializada. É claro que não poderia ser diferente, pois o título está sob responsabilidade de ninguém menos que a Platinum Games, a mesma do fabuloso Bayonetta. Como se não bastasse, o diretor do jogo é Shinji Mikami, criador da série Resident Evil e responsável por vários outros títulos de sucesso. Sendo assim, o hype era realmente inevitável.

Mas, será que o título consegue superar as expectativas? Aparentemente, temos um jogo de tiro em terceira pessoa, com pouco foco na trama e muito tiroteio — algo extremamente comum no mundo dos games. Vanquish teria que fazer tudo muito bem para se destacar entre os demais clones da geração. E aí, TecMundo Games, ele conseguiu? Confira.

Uma mente brilhante

Antes de nos aprofundarmos nos detalhes de Vanquish, temos que comentar um pouco sobre Shinji Mikami, pois seu histórico realmente prova o quão visionária é essa figura. Os primeiros jogos da Mikami foram lançados na época do Super Nintendo, sendo dois deles títulos realmente marcantes na infância de muita gente: Alladin e Goof Troop (estrelado por Pateta e Max). Mesmo na época dos 16 bits e utilizando franquias da Disney, Mikami surpreendia.

Posteriormente, Resident Evil surgiria para revolucionar o mercado de jogos. Uma obra tão grandiosa que dispensa comentários. Mas, Mikami não pararia por aí. O gênio também contribuiria significativamente para Dino Crisis, Devil May Cry, Viewtiful Joe, Onimusha e P.N. 03. O que concluímos com isso? Que se o jogo leva o nome de Mikami, então o game provavelmente é bom.

Img_normalAtualmente, Mikami trabalha na Platinum Games, ao lado de ninguém menos que Hideki Kamiya, criador de Devil May Cry e Bayonetta. Seu próximo grande projeto é Shadows of the Damned, título que está sendo desenvolvido pela empresa Grasshopper Manufacture e tem por produtor executivo Goichi Suda (o Suda51), o mesmo diretor de No More Heroes, equanto Mikami assume o papel de diretor criativo e Akira Yamaoka, que trabalhou como diretor de som em Silent Hill, cuida da música.

Mas, no momento, é Vanquish que rouba a cena. Para combinar com o clima do game, vamos direto ao ponto. A mais recente obra de Shinji Mikami é entretenimento puro, trazendo tudo que há de mais frenético e insano no gênero do tiro em terceira pessoa. Mais uma vez, Mikami surpreendeu.

Vanquish é tudo o que os fãs dos jogos de ação querem: tiroteio para todos os lados em uma experiência totalmente frenética e intensa. A mente brilhante de Shinji Mikami e do pessoal da Platinum Games foi capaz de conceber um dos grandes jogos desta geração, o qual, mesmo com vários elementos de outros títulos, consegue inovar em uma era tão derivada. Se Vanquish vale a pena? É claro que sim.