Blizzard adquire estúdio de Spellbreak e jogo é cancelado

2 min de leitura
Imagem de: Blizzard adquire estúdio de Spellbreak e jogo é cancelado
Imagem: Proletariat/Divulgação

A Blizzard adquiriu a Proletariat, a desenvolvedora por trás do divertido Spellbreak. A revelação veio logo depois de o estúdio anunciar o cancelamento do battle royale baseado no uso de magias elementais. A informação é do VentureBeat.

Com base em Boston, nos Estados Unidos, a Proletariat foi fundada em 2012 por um grupo de veteranos dos estúdios Harmonix, Turbine e Insomniac. Além de Spellbreak, seu maior lançamento, a produtora também foi responsável pelo jogo para celulares World Zombination e pela StreamLegends, uma extensão para Twitch que funciona como uma espécie de RPG para os seguidores dos canais.

Quando o processo de aquisição for concluído e o estúdio estiver completamente sob o comando da Blizzard, o time composto por 100 profissionais deve migrar para o desenvolvimento de World of Warcraft. Os devs também devem auxiliar na produção de Dragonflight, a expansão de WoW que deve chegar ainda este ano.

Em seu site oficial, ontem (28) a Proletariat deu a má notícia aos fãs do battle royale sobre o encerramento das atividades. O texto diz que a empresa tomou "a decisão de encerrar o desenvolvimento de Spellbreak" e que os "servidores serão desligados até o começo de 2023". Os devs agradeceram ainda "aos milhões de jogadores que se juntaram a nós nas Hollow Lands desde 2018".

Mike Ybarra, o presidente da Blizzard, disse ao VentureBeat que a empresa tem por objetivo "botar os jogadores acima de tudo o que fazemos". Ele também falou sobre como é necessário dar aos seus times os recursos necessários para produzir material que os fãs devem "amar" e oferecer espaço para que possam "explorar oportunidades criativas em seus projetos". Ybarra disse ainda que a Proletariat é a escolha perfeita para "ajudar a Blizzard em sua missão de trazer conteúdo de qualidade para os jogadores com mais frequência".

O texto afirma que Seth Sikav, o CEO da Proletariat, já ponderava sobre o que fazer no futuro com sua empresa. De acordo com o VentureBeat, ele e seu time buscavam uma oportunidade de crescer e evoluir como estúdio. Trabalhar em World of Warcraft seria uma forma de alcançar este objetivo. "A oportunidade de expandir o mundo de Azeroth para os jogadores nos deixou realmente animados", disse o CEO.

Segundo as informações apresentadas na reportagem, os estúdios já vinham conversando desde o final do ano passado, mas as negociações só começaram a ficar mais sérias em maio deste ano. De acordo com o site, não necessariamente o encerramento das atividades em Spellbreak e a venda da Proletariat seriam acontecimentos diretamente relacionados.

Enquanto os servidores não são desligados, jogadores ainda podem jogar Spellbreak gratuitamente. O jogo tem versões para PC, PS4, Xbox One e Nintendo Switch.

Você sabia que o TecMundo está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.