Hearthstone revela a expansão Assassinato no Castelo de Nathria

3 min de leitura
Imagem de: Hearthstone revela a expansão Assassinato no Castelo de Nathria
Imagem: Divulgação / Blizzard

Hearthstone ganhará uma nova expansão chamada Assassinato no Castelo de Nathria já no próximo dia 2 de agosto, e ela será inspirada em mistérios na melhor linha de Agatha Christie e Arthur Conan Doyle, aqui desvendando a morte de Sir Denathrius. Confira todos os detalhes a seguir!

Serão 135 novas cartas para curtir, incluindo os Suspeitos Lendários, um novo tipo de carta chamado de Lugar, e a adição da palavra-chave Imbuir! Serão 10 Suspeitos Lendários, e todos que fizerem login já ganharão de cara o Príncipe Renathal, um card neutro que garante ao jogador mais dez pontos de vida e dez cards no deck!

Já os cards do tipo Lugar são uma adição temporária ao seu tabuleiro e jogados de forma similar aos lacaios, mas servindo para aplicar buffs. As cartas desse tipo vieram para ficar e você também as verá nas próximas expansões do game! Por fim, Imbuir vai aproveitar a Anima de Shadowlands: cartas com essa palavra podem beber a anima do aliado derrotado e se fortalecer com isso, então deixe-as na sua mão conforme elas evoluem e ganham até uma arte nova no processo!

Para entender melhor essas mudanças e saber o que esperar da expansão, a Blizzard nos convidou a participar de uma entrevista coletiva com os desenvolvedores Liv Breeden e Leo Robles Gonzalez, onde conseguimos fazer algumas perguntas diretamente à dupla. Leia logo abaixo!

O tema que vocês escolheram pra essa expansão foi muito interessante, e como eu amo Sherlock Holmes estou ansioso para jogar! Podemos esperar por ainda mais referências literárias e cinematográficas do gênero nas cartas, lugares e até cinemáticas?

Liv Breeden: Não quero dar muitos spoilers até porque a graça de um mistério de assassinato é tentar descobrir o que aconteceu. Então se eu contar todas as referências agora já tiraria um pouco da diversão, acho que seria mais legal a própria comunidade mergulhar junta no game e descobrir o que é cada coisa que colocamos lá! Tem muito material notável lá, e nós fomos influenciados por dramas de crime, livros e filmes sobre mistérios de assassinato, mas falar demais estragaria parte da graça...

Leo Robles Gonzalez: Uma coisa que eu posso adicionar e que acho que não é muito spoiler — mas se for você me corta por favor, Liv! (risos) — A nossa história se passa em Shadowlands, que é o reino dos mortos em Warcraft. Então você pode ver alguns personagens queridos ou não do passado de Hearthstone voltarem em Revendreth com novas formas!

E como esse contexto tão legal vai impactar o design das cartas?

Liv: Entre os cards já revelados nós temos o Priest of the Diseased, que originalmente era o Priest of the Feast, mas agora ele está um pouco morto e acho isso um trocadilho legal (risos). Temos também a Baronesa Vashj, que você deve reconhecer de algumas expansões do WOW ou de Warcraft 3, mas eu acho que o mais empolgante de todos deve ser o Decimated Ogre. Quer dizer, não sei se é o mais empolgante, mas é o mais divertido para mim. E ainda tem a Olgra, esposa do Mankrik! Ela era grande coisa nos Sertões, mas agora temos a esposa do Mankrik do outro lado e ela é uma força devastadora.

Leo: Para mim tem que ser o Murloc Holmes, porque a arte dele é incrível, e jogar com ele tem sido sempre muito bom. Até porque mesmo que você entenda as pistas todas erradas, ainda assim ele é o mais divertido, ao menos para mim.

E qual carta entre todas as 135 novas é a sua favorita, seja em arte ou gameplay?

Liv: Eu gosto do Murloc Holmes e de seu um desafio natural: descobrir o que tem na mão inicial do seu oponente e tentar controlar isso, para então imaginar o resto do seu deck é sempre um mistério, mas as três pistas que ele dá são divertidas de trabalhar, é incrível!

Mas eu também gosto muito do Suspicious Arthur: ele te faz descobrir um lacaio lendário, e quando chega o turno do seu oponente ele tem a mesma chance de descoberta. Se ele acertar qual foi o lacaio que você escolheu, ganha uma cópia dele, mas se errar não ganha nada. Gosto muito desses jogos mentais porque você acaba enfrentando seu oponente em mais um nível de estratégia!

Quando fazemos os nossos testes internos sempre acabam sendo uma questão de tentar entender por quê alguém fez tal escolha, e costuma ser engraçado, especialmente quando você pega a carta mais poderosa e o seu oponente erra mesmo assim, essa é uma boa chance de jogar sal na ferida alheia (risos)!

Você sabia que o TecMundo está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.