França veta a utilização de estrangeirismos como 'eSports' e 'streaming'

1 min de leitura
Imagem de: França veta a utilização de estrangeirismos como 'eSports' e 'streaming'
Imagem: Pexels

Nos últimos anos, a utilização de estrangeirismos se tornou algo comum no cotidiano, principalmente no mundo dos jogos, com expressões como streaming, eSports e cloud gaming sendo utilizadas sem precisar de grandes explicações sobre os seus significados.

Contudo, as autoridades francesas estão descontentes que palavras estrangeiras estejam sendo amplamente adotadas em seu país, publicando em seu jornal oficial na última segunda (30), uma revisão de termos relacionados aos videogames que devem ser adotados obrigatoriamente pelos funcionários do governo.

Ministério francês acredita que termos do mundo de games sirvam como barreira contra o entendimento

Fonte:  Pixabay 

Enquanto alguns jargões contam com traduções óbvias, por exemplo, eSports para "jeu video de competition" (competição de videojogos), outros parecem mais complicados de se utilizar, como no caso de streamer que agora deverá ser referido como "joueur-animateur en direct" — ou jogador-apresentador ao vivo, em português.

De acordo com o ministério da cultura da França, que está envolvido nesse processo, a medida foi tomada para preservar a pureza do idioma, explicando que o setor de games está repleto de expressões em inglês que podem acabar servindo como uma "barreira à compreensão" de indivíduos que não acompanhem essa área.

Ainda segundo o ministério, foram realizadas buscas em sites e revistas de games para encontrar palavras já existentes em seu idioma, e a decisão oficial foi tomada para garantir que a população possa se comunicar com facilidade.

Porém, se o público francês realmente irá adotar essas medidas, ou se continuará utilizando os estrangeirismos é algo que só o futuro pode dizer...