Nova PS Plus estreia com polêmica de taxas e cancelamento de descontos

1 min de leitura
Imagem de: Nova PS Plus estreia com polêmica de taxas e cancelamento de descontos
Imagem: PS Blog

A nova PS Plus fez sua estreia na madrugada do dia 23 para o dia 24 em certos países da Ásia, como Hong Kong e Taiwan. Agora que finalmente temos jogadores de verdade falando do serviço, não apenas o marketing, começam a surgir as primeiras reclamações consideráveis sobre a assinatura. E parece que a política de preços da Sony está deixando seus clientes furiosos.

Assinantes da PS Plus nos países onde o serviço já foi renovado reclamam de dois grandes problemas no Reddit:

  1. A PSN não estaria permitindo fazer o upgrade da sua conta por um período menor se você tem assinaturas acumuladas.
  2. O upgrade estaria cancelando retroativamente descontos que você aproveitou no passado.

Vamos explicar melhor os dois problemas porque é meio estranho mesmo.

No primeiro caso, jogadores relatam que só dá pra fazer o upgrade da sua conta na PS Plus por todo o período que você tem acumulado, não podendo optar por menos.

Com a mudança da PS Plus, quem já assina o serviço automaticamente vira um assinante da PS Plus Essential. Para aproveitar o catálogo de jogos da biblioteca, você precisa fazer um upgrade para a PS Plus Extra ou PS Plus Deluxe. Mas se você já tem assinaturas acumuladas, digamos, para os próximos três anos, por exemplo, não dá pra fazer o upgrade pra um ano só. Tem que comprar três anos de PS Plus Extra ou Deluxe de uma vez.

No segundo caso, o pessoal está comentando no Reddit que fica mais caro fazer o upgrade da sua conta se você comprou sua assinatura atual da PS Plus com desconto. Aparentemente, a Sony cobra o valor dado no desconto, além do padrão do upgrade, retroativamente "apagando" sua economia pela assinatura.

Um terceiro ponto está incomodando menos jogadores, mas também é digno de nota. Aparentemente o mesmo jogo é contado mais de uma vez pela PS Plus se ele aparece em diferentes versões ou diferentes idiomas, o que infla bastante a promessa da Sony de um catálogo de "mais de 400 jogos".

Desnecessário dizer que os jogadores estão irados, e muitos já falam em começar um processo coletivo contra a companhia.