Insomniac manda dossiê de 60 páginas para Sony após polêmica sobre aborto

2 min de leitura
Imagem de: Insomniac manda dossiê de 60 páginas para Sony após polêmica sobre aborto
Imagem: Bloomberg

Na semana passada, o presidente da divisão PlayStation da Sony, Jim Ryan, mandou um e-mail para os trabalhadores da empresa, pedindo que os mesmos respeitem as diferenças de opinião sobre aborto. O e-mail foi enviado após um vazamento que revelou que a Suprema Corte dos Estados Unidos irá reverter uma decisão de 1973 que ampliou o direito ao aborto no país.

Segundo o Bloomberg, os trabalhadores da Sony ficaram muito insatisfeitos com o e-mail, que ainda por cima incluiu uma tangente sobre os animais de estimação de Ryan.

Jim Ryan, presidente e CEO da divisão PlayStation.Jim Ryan, presidente e CEO da divisão PlayStation.Fonte:  GamesIndustry.Biz 

Como resultado, a desenvolvedora Insomniac Games, que é propriedade da Sony, irá doar 50 mil dólares para o Women’s Reproductive Rights Assistance Project, uma organização que dá assistência para que mulheres que buscam aborto. Essa informação foi revelada pelo The Washigton Post, que teve acesso a um e-mail enviado no último dia 13 pelo CEO da Insomniac, Ted Price.

A Sony também irá doar 50 mil dólares, além de doar o mesmo valor arrecadado por empregados da Insomniac através do programa "PlayStation Cares". Por fim, a Sony planeja criar uma iniciativa para dar apoio financeiro a trabalhadoras da empresa que precisem viajar para lugares onde o direito a aborto é acessível. A Insomniac deve ajudar na iniciativa.

Ted Price, CEO da Insomniac GamesTed Price, CEO da Insomniac GamesFonte:  GameSpot 

O e-mail de Price inlui uma seção estruturada como "Perguntas e Respostas". Nessa seção, Price diz que a Insomniac mandou um dossiê de quase 60 páginas para Helmen Hust, que chefia os estúdios da divisão PlayStation. O dossiê consiste em mensagens de membros do estúdio pedindo para que os líderes da Sony, em especial Ryan, tratarem melhor os empregados diretamente afetados.

Empregados do estúdio de Price fizeram pedidos para declarações públicas sobre a decisão da Suprema Corte, mas esses pedidos foram negados. "[A Sony] não aprovará QUAISQUER declarações sobre o tópico de direitos reprodutivos, independentemente do estúdio. Lutamos muito por isso e não vencemos".

Um trabalhador da Insomniac perguntou a Price se a aquisição pela Sony prejudicou a liberdade de expressão do estúdio. A resposta foi a seguinte:

"No tópico da nossa liberdade de expressão, ainda que tenhamos MUITA autonomia, a qual frequentemente consideramos que sempre vai estar lá, há ocasiões em que devemos reconhecer que somos parte de uma organização maior. Na maior parte do tempo, o nosso direito de mandar tweets não é afetado. Entretanto, há ocasiões raras nas quais estamos em oposição (tal qual na última semana) e a SIE [Sony] vai ter a palavra final".