12 melhores jogos de RPG do Nintendo Wii

5 min de leitura
Imagem de: 12 melhores jogos de RPG do Nintendo Wii
Imagem: Nintendo Life/Reprodução

O Nintendo Wii foi um console que quebrou paradigmas, especialmente em razão dos seus controles de movimento, e abraçou um público muito além do gamer tradicional — algo que teve reflexo direto nas suas mais de 100 milhões de cópias vendidas. Isso não significa, no entanto, que o console tenha deixado gêneros mais complexos de lado, como os próprios RPGs.

O catálogo do Nintendo Wii traz algumas pérolas que devem ser experimentadas pelos entusiastas de RPGs, que variam desde franquias mais renomadas como Final Fantasy a apostas híbridas e um tanto inusitadas, como Super Paper Mario. Dito isso, o Voxel traz, nas linhas a seguir, uma lista com os 12 melhores jogos de RPG do Nintendo Wii. Confira:

Xenoblade Chronicles

Lançado originalmente em 2010 e produzido pela Monolith Soft, Xenoblade Chronicles é um dos jogos que conseguem extrair o máximo do potencial do Nintendo Wii. Ele é considerado um jogo além do seu tempo, oferecendo um vasto mundo aberto para exploração com combates em tempo real. Ele também chama atenção pelo elenco de personagens carismáticos e principalmente pela trilha sonora, que é capaz de deixar o jogador em êxtase.

É digno de nota que Shulk, protagonista do game, conseguiu uma vaga em Super Smash Bros. For Wii U & 3DS em 2014 e segue na franquia até hoje. Caso você queira conhecer o jogo, existe também uma Edição Definitiva para Nintendo Switch que traz várias melhorias.

Sakura Wars: So Long My Love

Parte da popular franquia da SEGA, Sakura Wars: So Long My Love é um RPG tático que mistura elementos de simuladores de romance. Isso significa que o desempenho das personagens em combate e as decisões tomadas pelo jogador têm influência direta no relacionamento com o protagonista e em como a história se desenvolve. O jogo também chama atenção pela sua estética em anime e pelo fato de que os combates acontecem com robôs gigantes.

Super Paper Mario

Super Paper Mario foi lançado em 2007 exclusivamente para Nintendo Wii e é o terceiro jogo da série de RPG do mascote da Nintendo. Diferente dos seus antecessores, o game dispensa os combates por turnos e traz elementos dos jogos tradicionais do encanador, em que é possível pular diretamente nos inimigos.

O destaque do jogo está na possibilidade de transitar entre os mundos 2D e 3D a qualquer momento, revelando segredos pelos cenários. Além disso, o jogador encontra vários aliados com o decorrer da história, capazes de utilizar habilidades únicas para desvendar enigmas e causar ainda mais dano aos inimigos.

Rune Factory Frontier

Rune Factory Frontier faz parte da série spin-off de Harvest Moon, franquia da Natsume que marcou especialmente o PlayStation nos anos 90. Lançado originalmente em 2008, o jogo traz tudo o que se espera de um simulador de fazenda, mas vai além com mecânicas de combate, calabouços e um mundo de fantasia que chama a atenção pela história com tom mais dramático. Essa mistura faz com que a série tenha um apelo próprio e continue sendo bem recebida ainda hoje com novos lançamentos.

Final Fantasy Crystal Chronicles: The Crystal Bearers

Não há dúvidas de que Final Fantasy Crystal Chronicles: The Crystal Bearers foi um grande experimento da Square Enix, mas ainda assim tem o seu valor. O jogo, lançado originalmente em 2009, faz grande uso do sensor de movimento do Nintendo Wii para utilizar um poder de telecinese, permitindo disparar objetos contra inimigos ou simplesmente arremessá-los para longe.

Tales of Symphonia: Dawn of the New World

Sequência de Tales of Symphonia para GameCube, Dawn of the New World traz um elenco encantador e mecânicas que vão além do seu predecessor, com destaque para um sistema de captura de monstros que podem ser treinados para participar em tempo real nos combates. O jogo foi lançado originalmente em 2008, mas chegou a receber uma versão em alta definição para PlayStation 3 em 2013 no Japão.

Muramasa: The Demon Blade

Muramasa: The Demon Blade foi um jogo que deu bastante o que falar na época do seu lançamento, em 2009. Desenvolvido pela Vanillaware e publicado pela Marvelous no Japão, o game é um RPG de ação com um sistema de combate que bebe da fonte dos beat ‘em ups — tudo sob uma perspectiva 2D e com belos gráficos desenhados à mão.

A sua temática, inspirada no Período Edo do Japão, também chama a atenção, assim como a aparição de criaturas típicas do imaginário japonês. Ele também foi lançado para PlayStation Vita e infelizmente está devendo um relançamento nas plataformas atuais — tópico constante entre os pedidos dos fãs.

Fire Emblem: Radiant Dawn

A famosa franquia de RPG tático da Nintendo não ficou de fora do Wii. Lançado em 2007, Fire Emblem: Radiant Dawn é considerado um dos melhores RPGs do console. Assim como seu antecessor no GameCube, o game traz gráficos tridimensionais que dão maior dinamismo aos combates e uma gameplay viciante. Um dos seus destaques é o fato de que o jogador pode perder um personagem do exército para sempre caso ele acabe morrendo em combate, o que faz desse um título bastante desafiador.

The Last Story

Dirigido por Hironobu Sakaguchi, criador de Final Fantasy, The Last Story é um RPG de altíssima qualidade e que busca extrair o potencial máximo do Nintendo Wii. Os combates acontecem em tempo real e contam até mesmo com um sistema de cobertura, típico em jogos de ação furtiva. Os entusiastas de ótimas trilhas sonoras também ficarão contentes com a participação de Nobuo Uematsu, responsável por várias das músicas mais icônicas de Final Fantasy.

Dragon Quest Swords

Dragon Quest Swords é uma aposta inusitada na franquia de RPG da Square Enix. Lançado originalmente em 2007 no Japão, o game traz um sistema de combate em primeira pessoa centrado na utilização do Wii Remote, permitindo que os jogadores realizem movimentos para várias direções e apliquem golpes de espada ou se defendam com um escudo.

É interessante notar que o jogador não tem total controle sobre o personagem: ele se movimenta sozinho pelo cenário, com paradas periódicas para derrotar os inimigos que surgem na tela — uma fórmula que outros jogos do Wii também adotaram.

Okami

Relançamento do clássico do PlayStation 2, Okami chegou ao Nintendo Wii em 2008 com um novo jeito de desferir as magias da protagonista Amaterasu. O grande chamariz dessa versão é a possibilidade de utilizar o Wii Remote como se fosse um pincel celestial, permitindo desenhar as formas que desencadeiam diferentes tipos de feitiços. O jogo também chama atenção pelo seu estilo visual, que remete a uma pintura em constante movimento.

Vale lembrar que Okami foi relançado para plataformas modernas em 2017, incluindo PS4, Xbox One e até mesmo PC, através da Steam.

O que você achou desta lista? Já conhecia todos os jogos citados? Você tem algum RPG favorito que acabou ficando de fora? Deixe-nos saber através da seção de comentários!