Activision Blizzard tentou negócio com o Facebook antes da Microsoft

1 min de leitura
Imagem de: Activision Blizzard tentou negócio com o Facebook antes da Microsoft
Imagem: g0d4ather/Shutterstock

Antes de vender a Activision Blizzard para a Microsoft, em um acordo de US$ 70 bilhões (o maior da história da indústria de video games), o CEO da dona de franquias como Crash tentou um negócio com a Meta, holding do Facebook.

A informação foi divulgada pela Bloomberg ontem (18). De acordo com a matéria, Phil Spencer, chefe da divisão Xbox, se aproximou do CEO Bobby Kotick ainda em 2020 para tentar costurar uma negociação. As conversas não foram para frente, porém.

Em novembro do ano passado, o Wall Street Journal (WSJ) publicou uma reportagem dizendo que Kotick estava ciente dos inúmeros abusos que estavam rolando dentro da empresa e que pouco agiu para resolver o problema. Depois disso, as ações da Activision Blizzard caíram 15%.

Activision Blizzard

Com a queda no valor dos papéis da empresa de games, Kotick procurou companhias que pudessem estar interessadas na aquisição da marca. Uma das “postulantes” foi a Meta, holding dona do Facebook.

A Bloomberg revelou, porém, que os negócios com a Meta fracassaram e que por causa disso Kotick se viu obrigado a voltar a falar com Spencer sobre um possível negócio. Ambos costuraram os detalhes do acordo no final de 2021, inclusive durante o período de férias de final de ano, para anunciar a negociação ontem.

Para dar uma resposta definitiva ao mercado e mostrar que a Activision Blizzard não dará mais espaço para comportamentos tóxicos, Spencer deve, inclusive, retirar Kotick do cargo de CEO depois que a compra for aprovada pelos órgãos reguladores (o que deve acontecer somente em junho de 2023).