Square Enix planeja explorar mercado de NFTs e jogos em blockchain

1 min de leitura
Imagem de: Square Enix planeja explorar mercado de NFTs e jogos em blockchain
Imagem: Square Enix
Avatar do autor

Em seu relatório financeiro mais recente, a Square Enix anunciou que está interessada em explorar o mercado de Tokens Não Fungíveis (NFT) e blockchain. Depois de realizar teste no Japão, em parceria com a Double Jump Tokyo, a empresa decidiu que vai investir no mercado de ativos digitais únicos e criptomoedas.

De acordo com o documento, o lançamento dos conjuntos de cartas utilizando a tecnologia NFT no jogo Million Arthur, baseado em uma série de anime de mesmo nome, em outubro deste ano foi um sucesso. Os sets já estão esgotados, o que a empresa considerou um bom sinal.

O teste foi "uma prova de conceito para estabelecer quais sinergias podemos derivar combinando NFTs com nossos ativos de negócios". Em outras palavras, a empresa estava testando formas de tornar seus produtos digitais comerciáveis como Tokens Não Fungíveis. Com o resultado positivo, a Square afirmou que aplicar a tecnologia em conjunto com seus ativos deu certo e que a "fase de prova de conceito acabou".

Cards NFT de Million Arthur foram lançados em outubro deste ano e já estão esgotadosCards NFT de Million Arthur foram lançados em outubro deste ano e já estão esgotadosFonte:  Twitter/Reprodução 

O próximo passo agora é fazer a transição para um "estágio de comercialização completo", indicando que deve começar a inserir o modelo de negócio em alguns de seus próximos produtos.

NFTs são ativos digitais únicos que, quando adquiridos, passam a ser de propriedade do usuário. A tecnologia utiliza o conceito de blockchain como forma de dar aos compradores a posse total sobre o item comercializado. Nos jogos, caso um determinado título seja descontinuado ou tenha seus servidores desligados ou resetados, os jogadores não perdem acesso aos itens adquiridos.

Ainda não há maiores informações sobre como isto será introduzido em outros jogos da Square Enix no futuro.

Fontes