Sega Saturn: do pior ao melhor, segundo a crítica

9 min de leitura
Imagem de: Sega Saturn: do pior ao melhor, segundo a crítica
Imagem:

A Sega foi uma das maiores empresas de video games entre o final dos anos 80 e meados dos anos 90. Batendo de frente com a Nintendo, diversas guerras de consoles foram travadas com o objetivo de ser a líder do mercado.

Mas tudo mudou em 1996. A empresa lançou seu novo video game, viu uma nova concorrente surgir e acabou sendo deixada para trás, tendo que correr atrás do prejuízo. Mesmo assim, muitos jogos bons e ruins foram lançados, então vamos dar uma moral para eles. Sejam bem-vindos à mais um episódio do Pior ao Melhor de consoles com o Sega Saturn. Aqui estão nossos critérios, prestem bastante atenção:

  • Encontrar notas para a maioria dos jogos foi extremamente complicado, então fizemos de uma forma diferente: procuramos dezenas de listas dos piores e melhores jogos do console. Os games que mais apareceram estão presentes aqui.
  • Os títulos não estão em nenhum tipo de ordem específica, somente divididos entre bons e ruins.
  • Se você tem uma opinião diferente, só deixar sua lista aí nos comentários.

Vamos começar com os horrorosos então!

Iron Man / X-O Manowar in Heavy Metal (1995)

Lançado em 1995, Iron Man / X-O Manowar in Heavy Metal une Tony Stark junto com herói da Valiant Comics X-O Manowar para enfrentar um grupo de supervilões que estão em busca dos fragmentos perdidos do Cubo Cósmico.

O jogador pode escolher qual dos dois heróis controlar, sendo que ambos fazem basicamente as mesmas coisas e ele pode ser concluído cooperativamente junto de outro player. No início de cada missão são apresentados objetivos específicos que devem ser completados para avançar na história.

O título foi descrito pelos analistas como uma decepção completa. Ele é repetitivo, sua trilha sonora é fraca e os gráficos são bem datados. Seis meses a mais de desenvolvimento provavelmente teriam impactado positivamente o resultado final.

Robotica (1995)

Robotica, lançado em 1995, é um FPS situado no ano de 2877 em um mundo comandado por um único governo chamado World Silent Security Service que, mesmo restaurando a paz após diversas intrigas políticas séculos atrás, desagrada parte da população, o que leva ao surgimento de um grupo rebelde que está disposto a enfrentá-lo.

A gameplay se passa dentro da estação espacial Deadalus em diversos andares gerados randomicamente. Para avançar, é necessário um cartão que está escondido em algum lugar da área. Dentro do arsenal disponível para o jogador há armas de laser, lança míssil e até as próprias mãos, sendo possível fazer upgrades em cada um deles.

O game foi criticado pelos ambientes genéricos, pouca variedade de inimigos, gameplay repetitiva e falta de uma trilha sonora apropriada. Basicamente ele trouxe uma ideia interessante, só que a desenvolvedora não soube trabalhar ela.

Revolution X (1995)

Revolution X, lançado inicialmente em 1994, é um rail shooter desenvolvido pela Midway, a mesma de Mortal Kombat. Na história, o protagonista foi até um clube para ver um show da banda Aerosmith, mas os músicos são capturados pela força maligna New Order Nation no meio do show e cabe ao jogador salvá-los e acabar com os tiranos malfeitores.

Como é de se esperar de um rail shooter, não há nada de extravagante na gameplay. Entre as localidades presentes no título, temos a Floresta Amazônica, o Oriente Médio e até mesmo o Wembley Stadium, famoso estádio de futebol da Inglaterra.

A versão de Sega Saturn do título, lançado um ano após a de Arcade, foi descrita como extremamente monótona, com longas batalhas contra chefões, e um design burro em relação ao local que os inimigos aparecem. O sucesso que ele teve em fliperamas acabou não se repetindo nas casas dos players.

Virtual Hydlide (1995)

Lançado em 1995 (ano difícil esse), Virtual Hydlide é um remake de Hydlide, um RPG clássico de meados dos anos 80, mas com gráficos 3D e um personagem digitalizado de um ator real.

Grande parte da gameplay se passa dentro de dungeons, nas quais o jogador deve derrotar inimigos para upar habilidades e procurar por armas e armadura. Sempre que um novo jogo é iniciado, um mundo diferente é gerado, tendo um total de 20 mapas diferentes para a área principal.

Acabou que o título não agradou os analistas, que descreveram sua gameplay como entediante, ângulos de câmera estranhos, granulados na imagem, efeitos sonoros datados e dificuldade inconstante. É melhor ficar com o original mesmo.

Batman Forever (1996)

Batman Forever, lançado em 1996, é um beat 'em up do morcegão baseado no filme de mesmo nome, aquele com o Jim Carrey como Charada e a Tommy Lee Jones como Duas Caras que chegou aos cinemas um ano antes.

O jogador pode controlar tanto Batman quanto Robin e derrotar todos os inimigos que aparecerem na tela, podendo usar de armas e ataques especiais para isso. O game dispõe de um modo para dois players, sendo possível até usar o mesmo personagem, caso queiram.

Um jogo ruim baseado em um filme ruim. Os analistas criticaram a gameplay extremamente repetitiva, os gráficos dos personagens e a falta de frames de animação. Dessa vez não deu para o Cavaleiro das Trevas.

Street Fighter: The Movie (1995)

Street Fighter: The Movie, lançado em 1995, é baseado no filme que é inspirado na franquia de jogos de luta Street Fighter. O game apresenta os atores do longa metragem digitalizados como os lutadores em uma jogabilidade parecida com a de Super Street Fighter II Turbo.

Ele tem 4 modos: movie battle, que segue a história apresentada no filme; street battle, que é o arcade de outros títulos; vs. mode, que é o clássico 1x1; e Trial Mode, em que se enfrenta todos os lutadores disponíveis em ordem.

Os analistas reclamaram bastante da quantidade enorme de slowdowns, os controles estranhos, a animação travada, o pouco tempo de recuperação dos personagens, o trabalho de voz fraco e o fato dele ser uma cópia de SF 2 Turbo com gráficos diferentes. Definitivamente ele não agradou nem um pouco.

Battle Monsters (1995)

E para fechar os piores, mais um lançado em 1995. Battle Monsters é um jogo de luta com atores digitalizados, assim como Mortal Kombat, que apresenta 12 personagens diferentes para "sentar a porrada" uns nos outros.

Sem muita enrolação: o game é horroroso! Os controles são complexos, as animações são travadas, os sprites tem pixelados estranhos e os gráficos são meio esticados. A ideia não parecia ser tão ruim, mas a execução foi simplesmente péssima.

Agora, vamos passar para os melhores.

Virtua Fighter 2 (1994)

Virtua Fighter 2 é um jogo de luta lançado em 1994 que não apresenta nenhum enredo, mas coloca 11 lutadores diferentes para se enfrentarem em um torneio marcial no qual o mais forte sairá como vencedor.

Assim como seu antecessor, ele é em três dimensões, há como vencer jogando o adversário para fora do cenário, o tamanho da área de combate é personalizável, os lutadores têm estilos de luta baseados em artes marciais reais, mas todos dividem alguns golpes específicos.

A versão de Sega Saturn foi extremamente elogiada por conta de suas melhorias na gameplay, gráficos impressionantes e pelo uso de motion capture, já que esse foi um dos primeiros jogos de video game a usar a tecnologia. Quem gosta de lutinha provavelmente nunca esquecerá esse clássico.

Guardian Heroes (1996)

Guardian Heroes, lançado em 1996, é um beat ‘em up 2D que acompanha 4 guerreiros os Ginjirou, Han, Nicole e Randy em uma história cheia de escolhas, ramificações e karma, tudo sendo definido de acordo com suas ações.

Durante a gameplay, o jogador ganha pontos de experiência que podem ser usados para melhorar seis atributos: força, vitalidade, inteligência, mentalidade, agilidade e sorte. Além da campanha, há também um modo versus que coloca até seis jogadores para se enfrentarem em dois tipos de batalhas.

O game foi muito elogiado por conta de sua história cheia de ramificações, sua alta dificuldade, os combos durante as batalhas e o modo versus, sendo descrito como o sucessor de Streets of Rage e Golden Axe. Mas nem tudo é perfeito, já que seus gráficos foram tratados como simples demais para aquela geração de consoles. A beleza está nos olhos de quem vê!

Saturn Bomberman (1996)

E também temos aqui Saturn Bomberman, lançado em 1996. Seu modo história pode ser jogado em um ou dois jogadores, sendo necessário matar todos os adversários e destruir as orbes vermelhas do mapa, conhecidas como Zarfs.

Já seu modo Battle suporta até 10 jogadores usando dois multitaps, que são hubs de controles para o Sega Saturn. A versão americana do título tem suporte ao Sega Netlink, que permite partidas online para até quatro jogadores, sendo dois por video game.

O título foi extremamente elogiado pela sua jogabilidade para até dez pessoas, sua acessibilidade e os diversos modos presentes, mas criticado por não ser tão bom quanto jogos anteriores.

Radiant Silvergun (1998)

Radiant Silvergun, lançado em 1998, é um shoot 'em up em que os jogadores assumem o papel de uma equipe de pilotos de guerra que está batalhando com inimigos misteriosos que estão sendo criados por um cristal tão misterioso quanto.

O jogador dispõe de um arsenal bem grande de armas que devem usar de forma estratégica, já que cada fase apresenta suas particularidades e cada um dos equipamentos trará uma vantagem e desvantagem. Já a pontuação é calculada baseada na cor dos inimigos, o que também está ligado ao poder deles.

A versão de Sega Saturn foi um sucesso completo de crítica, com o jogo sendo descrito como o melhor shoot 'em up já feito por conta da gameplay extremamente polida e divertida, chefões criativos e também por levar o console ao limite de suas capacidades gráficas.

Sega Rally Championship (1995)

De um game de nave para um de carro. Sega Rally Championship, lançado inicialmente em 1994, coloca o jogador para competir em corrida fora de pistas convencionais, mas sim em desertos, florestas e montanhas.

O grande destaque do jogo é a diferença na jogabilidade entre os cenários, já que cada um deles têm propriedades de atrito diferentes, o que exige dos players um conhecimento específico para as corridas em diferentes localidades. O título apresenta três carros diferentes, sendo o Lancia Stratos HF desbloqueável.

No Sega Saturn, o game foi um completo sucesso. Visuais lindos, controles responsivos e física realista foram alguns dos diversos elogios que ele recebeu, sendo descrito como um marco no mercado de video games.

Panzer Dragoon Saga (1998)

Panzer Dragoon Saga, lançado em 1998, foi a tentativa da Sega de bater de frente com a franquia Final Fantasy, exclusiva do console concorrente PlayStation. Na história, o jogador está na pele do jovem Edge, um mercenário que, junto de seu dragão, ajuda uma jovem misteriosa vinda de uma civilização que não existe mais.

Como podem imaginar, ele é um RPG que apresenta as convenções do gênero, como encontros aleatórios e árvore de habilidade, mas se diferencia por ter elementos de gameplay de tiro de seus antecessores junto de um trabalho de voz.

O título é considerado um dos melhores lançados para o console da Sega. Ele foi elogiado principalmente pela história emocionante, pelos lindos gráficos e pelos combates divertidos. Como muita gente nunca ouviu falar desse clássico, fica aí a recomendação.

NiGHTS Into Dreams (1996)

Nós com certeza seríamos xingados se esse game não tivesse aqui. NiGHTS Into Dreams, lançado em 1996, acompanha os jovens Elliot Edwards e Claris Sinclair que entram no mundo dos sonhos Nightopia, tendo como objetivo parar o malvado Wizeman, que quer destruir tanto Nightopia quanto o mundo real.

O game apresenta sete níveis divididos entre os dois protagonistas que têm visuais, adversários e obstáculos diferentes, cada um deles contando com lutas contra chefões ao final. O título parece bem bonitinho e simples, mas os desenvolvedores do Sonic Team fizeram pesquisas sobre sono REM e estudaram as teorias dos psicanalistas Carl Jung e Sigmund Freud.

Todo o trabalho envolvido com ele acabou recompensado, já que o título é um dos mais memoráveis entre os fãs do console. Ele foi muito elogiado por seus gráficos, gameplay e trilha sonora, aparecendo constantemente em listas de melhores games já feitos. Sucesso define!