The Sims: do pior ao melhor, segundo a crítica

9 min de leitura
Imagem de: The Sims: do pior ao melhor, segundo a crítica
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.

Às vezes a vida é muito difícil. Trabalho, relacionamento, estudo, família, responsabilidades, finanças… é tanta coisa que ficamos cansados só de pensar em todos os afazeres do dia. Como o mundo dos video games é para extravasar e relaxar, nada melhor do que simular como seria a nossa vida perfeita.

Essa ideia tão louca só poderia vir da mente de um gênio como Will Wright, que criou tantos games que nós amamos. Vocês pediram muito e aqui está o do Pior ao Melhor da franquia The Sims. Estes são nossos critérios, prestem bastante atenção:

  • As notas apresentadas são baseadas no agregador de notas Metacritic. Se o título foi lançado para mais de uma plataforma inicialmente, pegaremos as notas de cada uma das versões e faremos uma média aritmética.
  • Nós consideramos os jogos principais da franquia e alguns spin-offs.
  • Não consideramos as versões de mobile e de portáteis, mas será possível ver exclusivos de uma dessas plataformas.

9. MySims (2007) - 69 (Wii, PC)

Em último lugar, temos MySims, lançado em 2007. O título é um spin-off da franquia The Sims, trazendo os personagens em versões fofíssimas com uma pegada Chibi em vez de traços mais realistas.

A tarefa do player é reconstruir toda uma cidade, abrindo casas e estabelecimentos que atraiam novos moradores. Uma novidade bem interessante é a expansão do modo de criação, que permite até mesmo criar objetos usando diagramas com a seção de blocos de construção. Outra diferença em relação aos personagens é que eles não apresentam necessidades como fome e sono.

Os analistas acharam as construções intuitivas e flexíveis, além de elogiarem a apresentação "simples e bonitinha", mas criticaram as dinâmicas sociais quase inexistentes e o sistema de coleta de diagramas que é basicamente um grind. Sua nota é 69.

8. The Sims Online (2002) - 70 (PC)

Em oitavo lugar, temos The Sims Online, lançado em 2002. Ele foi um MMO em que os jogadores poderiam viver como Sims em um ambiente totalmente online pela mensalidade de US$ 9,99. Ele trazia quatro cidades com regras especiais, com a mais curiosa sendo a Dragon's Cove, que era conhecida pelos jogadores como “hardcore city” por apresentar diversos diferenciais que dificultavam o game, como itens custando o dobro de seu valor normal. O título tinha ainda habilidades, trabalhos e até mesmo uma economia totalmente administrada pelos jogadores.

Em 2007, a Electronic Arts decidiu remodelar o título, lançando uma grande atualização e rebatizando-o como EA-Land, só que essa mudança não durou muito já que em 2008 a empresa fechou o projeto de vez.

Os analistas afirmaram que ele era bem interessante em relação às interações com outros jogadores, mas o dinheiro era quase inútil já que ele só servia para construir casas com objetos. Sua nota é 70.

8. The Sims 4 (2014) - 70 (PC, PS4, Xbox One)

Também em oitavo lugar, está The Sims 4, lançado em 2014. O título trouxe como principal novidade a criação dos Sims, trocando os sliders por seleções com o mouse e o fim da limitação de roupas por categorias, com os jogadores podendo escolher qualquer roupa e colocar em qualquer outfit que quiser.

Outras features que vale a pena comentar são a junção de compra e construção, um sistema de emoções que traz diferenças em relação ao sistema de humor dos títulos anteriores, três mundos no pacote básico, e um serviço de compartilhamento online de conteúdo.

Os analistas elogiaram os visuais coloridos, os sistemas de construção e de compras robusto e acessível, o áudio fantástico e ações hilárias causadas por causa do sistema de emoções e de múltiplas tarefas, mas acabou sendo criticado pelas pequenas estruturas que atrapalham a jogabilidade com diversos Sims e por diversas features presentes em jogos anteriores que foram podadas ou removidas. Sua nota também é 70.

Não poderíamos passar para o próximo da lista sem antes falar das expansões. Até o presente momento, o jogo recebeu 11: Ao Trabalho, Junte-se à Galera, Vida na Cidade, Gatos e Cães, Estações, Rumo à Fama, Ilhas Tropicais, Vida Universitária, Vida Sustentável, Diversão na Neve e Vida Campestre, lançadas entre 2015 e 2021.

7. The Sims Stories (2007-2008) - 70,6 (PC)

Em sétimo lugar, temos The Sims Stories, três títulos spin-offs que foram lançados entre 2007 e 2008. O primeiro foi The Sims Life Stories, que acompanha tanto Riley Harlow, que se mudou da SimCity para a Four Corners e começou uma nova vida junto de sua tia Sharon, quanto Vincent Moore, um milionário que está em busca de seu amor verdadeiro.

O segundo é The Sims Pet Stories, que acompanha Alice, uma mulher com dificuldades financeiras e coloca seu dálmata em um show de cachorros para ganhar um dinheiro, e Stephen, um homem de sucesso que deve aprender a lidar com um sujeito desagradável que decidiu morar com ele.

Por fim, temos The Sims Castaway Stories que apresenta somente uma história e o jogador pode escolher David Bennett, Jessica Knight ou criar o próprio Sim, que estavam em um cruzeiro que acaba naufragando, com os sobreviventes sendo levados até uma ilha onde terão que aprender a sobreviver.

Os títulos trazem leves diferenças entre si, com Life Stories usando as mesmas mecânicas de The Sims 2 para os consoles, Pet Stories sendo parecido com a expansão Pets de The Sims 2 e Castaway Stories trazendo diferenciais como moeda e roupas de acordo com o tema do jogo e um relógio mais rústico que o que nós usamos.

Os games receberam avaliações parecidas, com algumas críticas recorrentes sendo a impossibilidade de criar as próprias histórias, o que foi alterado no terceiro título, as telas de carregamento longas e diversos bugs, mas elogiados principalmente por seu preço baixo e requisitos mínimos fracos, o que rodava em qualquer computador da época. Juntando os três, temos a nota 70,6.

6. The Urbz: Sims in the City (2004) - 71 (PS2, Xbox, GameCube)

The Urbz: Sims in the City, de 2004, é um spin-off da franquia lançado exclusivamente para os consoles. A história acompanha um protagonista que saiu da casa de sua mãe para viver em um apartamento na SimCity. Ele traz uma gameplay bem similar ao primeiro jogo da série para consoles.

Uma coisa curiosa é que a EA fechou parceria com o grupo Black Eyed Peas para não só ter suas músicas no game, mas também para incluir os cantores no jogo, com a primeira interação sendo dentro de um clube logo no começo da campanha.

Os analistas da época elogiaram a trilha sonora eclética, os ambientes e personagens coloridos, o gerenciamento de tempo menos rigoroso e opções sociais mais fáceis de se usar, mas foi criticado pela sua interface desordenada, longas telas de carregamento, constantes bugs, slowdowns gráficos e modos separados para a compra e construção. Sua nota é 71.

5. The Sims Mobile (2018) - 73 (Mobile)

Em quinto lugar, temos o título mais recente da lista. The Sims Mobile, lançado em 2019, chegou exclusivamente aos celulares com sistema Android e iOS e tem uma jogabilidade parecida com a de The Sims 4 e The Sims FreePlay.

O jogador pode fazer as mesmas coisas que nos games citados anteriormente, como criar seu personagem, construir sua casa e cuidar de seus Sims. As ações demandam energia, que pode ser conquistada cumprindo missões ou por meio de microtransações.

O título foi criticado por seu sistema que basicamente obriga o player a gastar dinheiro real, mas foi elogiado pela jogabilidade fácil e pelas mecânicas bem parecidas com as presentes nos títulos de computador. Sua nota é 73.

4. The Sims Medieval (2011) - 77 (PC, Mobile)

The Sims Medieval, lançado em 2011, coloca os jogadores para viverem uma vida luxuosa (ou não) durante a Idade Média. O grande objetivo nele é construir um reino de sucesso que esteja de acordo com o Kingdom Ambition escolhido no começo do jogo.

Uma das principais diferenças em relação a outros jogos da série, além da mudança de Era, é o sistema de quests que devem ser escolhidas e seguidas pelo player, o que junto do sistema de heróis, com nove tipos disponíveis, dá uma pegada mais de RPG ao game.

O título foi elogiado por suas animações, pelas diversas formas de resolver as missões e pelo sistema de heróis, mas criticado pela falta de liberdade para viver da forma que quiser, pelas missões que ficam repetitivas depois de um certo tempo e alguns elementos clássicos com muitas restrições. Sua nota é 77.

3. The Sims 3 (2009) - 86 (PC, PS3, Xbox 360, Wii)

E chegamos ao pódio com o terceiro jogo principal da série. The Sims 3, lançado em 2009, expande seus antecessores, trazendo um sistema de mundo aberto em que os jogadores podem se mover livremente pela vizinhança sem ter que esperar por telas de loading.

O game ainda traz uma variedade maior de trabalhos, traços de personalidade, opções de roupa, opções de construção e carreiras, ainda trazendo uma feature de criar mundos do zero.

Ele foi bastante elogiado pela liberdade para explorar a cidade, o áudio e os visuais charmosos, o balanceamento entre sandbox e metas específicas, as robustas ferramentas de criação e a quantidade gigante de conteúdo, mas criticado por alguns bugs e problemas de pathfinding. Sua nota é 86.

O jogo tem um total de 11 expansões que são Volta ao Mundo, Ambições, Caindo na Noite, Gerações, Pets, Showtime, Sobrenatural, Estações, Vida Universitária, Ilha Paradisíaca e No Futuro, que foram lançadas entre 2009 e 2013.

2. The Sims 2 (2004) - 90 (PC, PS2, Xbox, GameCube)

Em segundo lugar, temos o segundo jogo principal da série, The Sims 2, lançado em 2004. O game trouxe como novas features o envelhecimento dos Sims passando por todos os seis estágios da vida e a incorporação de gráficos 3D que permitem uma visualização em 360º dos ambientes.

E não para por aí. O jogo também traz o sistema de genética, o que faz com que o filho de um casal seja  bastante parecido com os pais, além de visuais mais detalhados, recompensas de carreira, habilidade de limpeza, roupas de exercício, alimentação afetando o corpo dos personagens, e um ciclo semanal de tempo.

O game foi elogiado pela sua ótima jogabilidade, por expandir e melhorar tudo o que o título original trazia, pelas opções de customização e pelos novos sistemas implementados, mas criticado pela quantidade de bugs. Sua nota é 90.

O jogo tem um total de oito expansões que são Vida de Universitário, Vida Noturna, Aberto para Negócios, Bichos de Estimação, Quatro Estações, Bon Voyage, Tempo Livre e Vida de Apartamento, lançadas entre 2005 e 2008.

1. The Sims (2000) - 92 (PC, PS2, Xbox, GameCube)

Em primeiro lugar temos The Sims, lançado em 2000. O game é uma simulação de vida suburbana em que os jogadores controlam os Sims, personagens customizáveis que podem ou não representar pessoas da vida real. Eles apresentam necessidades fisiológicas, relacionamentos e empregos.

O título tem visão isométrica, é possível criar e personalizar as próprias casas, todos os personagens falam na língua conhecida como Simlish, não há um objetivo claro e é possível que seu personagem morra, o que fará com que o ceifador apareça.

O título foi aclamado na época por conta de sua jogabilidade, pela liberdade para criar suas próprias histórias, personagens e casas, pelas suas mecânicas inovadoras e por ser um game que abraçava tanto os jogadores hardcores quanto os mais casuais. Sua nota é 92.

Antes de finalizarmos, vamos falar dos pacotes de expansão. Ele recebeu sete pacotes de expansão: Gozando a Vida, Fazendo a Festa, Encontro Marcado, Em Férias, O Bicho Vai Pegar, Superstar e Num Passe de Mágica, lançados entre 2000 e 2003.