Chefe da Tripwire apoia nova lei antiaborto e afasta outros devs

1 min de leitura
Imagem de: Chefe da Tripwire apoia nova lei antiaborto e afasta outros devs
Imagem: Tripwire

John Gibson, o presidente da Tripwire, se pronunciou no fim de semana sobre uma nova lei antiaborto do Texas que tem gerado polêmica nos EUA. O líder da produtora se declarou favorável à lei, o que resultou numa avalanche de críticas e outros desenvolvedores anunciando repúdio ao comentário e se distanciando da Tripwire.

"(...) com tantos colegas vocalmente do outro lado dessa situação, eu senti que era importante entrar para os registros como um desenvolvedor pró-vida de games."

As primeiras respostas vieram do público, em grande parte também se mostrando contrários ao posicionamento de Gibson e clamando por boicote aos jogos produzidos pela Tripwire. A produtora, cujo presidente se declarou "pró-vida", é famosa por títulos como Killing Floor e Maneater, além de ser a distribuidora de Chivalry 2. A Torn Banner, desenvolvedora de Chivalry, foi uma das que devs que criticaram a declaração de Robson:

Outra desenvolvedora menor, a Shipwright Studios, foi além. O estúdio trabalha como apoio para a Tripwire, oferecendo mão-de-obra extra no desenvolvimento de diversos games. Mas esse não será mais o caso, porque eles romperam todos os laços com a produtora:

No último parágrafo da carta, os representantes do estúdio afirmam: "nós começamos a Shipwright com a ideia de que era finalmente o momento de fazer valer nossas palavras. Nós não podemos, em boa consciência, continuar a trabalhar com a Tripwire sob a estrutura atual de liderança. Começaremos imediatamente o cancelamento de nossos contratos existentes".

Fontes