Dev indie recusa US$ 500 mil e revela contrato abusivo de produtora

2 min de leitura
Imagem de: Dev indie recusa US$ 500 mil e revela contrato abusivo de produtora
Imagem: Jake Keilhauer

Jake Keilhauer, o desenvolvedor solo por trás do projeto Scrabdackle, falou abertamente em seu Twitter sobre os motivos que o levaram a recusar US$ 500 mil de uma grande produtora - um contrato milionário quando convertemos para nossa moeda na cotação atual. Resumindo um fio bem grande que o dev publicou na rede social, o problema foram as cláusulas bastante abusivas do contrato.

O principal motivo que levou o dev a fazer o desabafo, segundo ele, é o fato de que considera que o tipo de contrato abusivo que foi proposto a ele não é uma exceção, mas sim uma regra na indústria dos games. Ele não diz o nome da produtora, mas fala que poderia ser qualquer uma, porque é assim que acontece na maioria dos casos entre grandes empresas e pequenos estúdios indie, ele afirma.

A cláusula que mais deixou Jakefriend preocupado foi o fato de que, se a produtora alegar que o dev não cumpriu com o contrato, ela pode pedir o dinheiro de volta, manter o direito de vender o game sem pagar nenhuma porcentagem ao desenvolvedor e pode cobrar ainda da pessoa todos os custos de desenvolvimento que ainda sejam necessários para completar o jogo, não importa o orçamento.

Em "contrapartida", se for a produtora que quebra o contrato, a única compensação para o desenvolvedor é ficar com o jogo.

Esse é o ponto principal da reclamação de Keilhauer, mas ele elabora nas diversas maneiras que a produtora poderia alegar essa quebra do contrato, além de outras armadilhas que colocam o dev numa situação de nenhum controle sobre o desenvolvimento do game.

O fio do desenvolvedor incentivou que outros devs compartilhassem de suas experiências, corroborando com sua opinião de que esse contrato não seria uma exceção, mas sim um exemplo de um padrão de negociação na indústria dos games.