Dead Space: novo jogo será um remake e não terá loadings

2 min de leitura
Imagem de: Dead Space: novo jogo será um remake e não terá loadings
Imagem: EA/Reprodução
Avatar do autor

Apesar dos rumores, todo mundo foi pego de surpresa nesta quinta-feira (22) quando a EA anunciou que Dead Space ganhará uma versão para PS5, Xbox Series S/X e PC. Segundo os desenvolvedores, o jogo não será um remaster, mas uma “versão completamente nova do original com o motor Frostbite”.

A informação foi revelada por Philippe Ducharme, Roman Campos-Oriola e Laura Miele, produtor sênior, diretor criativo e executiva-chefe da EA, respectivamente, em uma entrevista à IGN dos Estados Unidos. A responsável pela reimaginação será a Motive Studios, empresa que trabalhou em Star Wars Battlefront II e Star Wars: Squadrons.

Campos-Oriola explicou que o novo título usará o level design original, mas utilizará assets que ficaram de fora devido às limitações técnicas da época. De acordo com ele, principalmente no 1° capítulo essa expansão ficará clara. Ele também falou sobre a mudança de escopo.

“Em termos de visual, som, jogabilidade, tudo, estamos reconstruindo todos esses assets. Não estamos fazendo um port, não estamos aumentando a textura ou adicionando mais polígonos. Estamos realmente reconstruindo todos esses elementos, filmando todas as animações etc.”.

O produtor disse que os trabalhos ainda estão no início, mas que a equipe já conseguiu planejar formas de aproveitar o máximo da tecnologia dos novos consoles e PC. Ele defendeu que a ideia do projeto é tornar “a imersão ainda mais profunda com uma experiência totalmente interativa”.

Ele detalhou ainda que será possível jogar Dead Space inteiro sem cortes, do começo ao fim, sem carregamento de tela, o que será possível por causa do SSD. Essa seria, inclusive, uma experiência parecida com o último God of War em termos narrativos.

Espírito do Dead Space original

Tanto Ducharme quanto Campos-Oriola falaram que o legado do game original será bastante respeitado. Um dos aspectos que será mantido, por exemplo, será a interface. Desde o inventário até a saúde do protagonista Isaac Clarke continuaram sendo pensados para deixar o jogador focado no mundo de terror espacial.

“Queríamos usar os sons a que você está acostumado e melhorar, aumentando a imersão nos sons da porta que você está ouvindo, da barra de saúde, das criaturas... estamos construindo em cima do original e recriando, mas [nós] nos certificamos de que seja fiel ao original e que estamos honrando o legado”, afirmou Ducharme.

Dead Space

Eles disseram que no aspecto histórias, algumas coisas serão alteradas para encaixar melhor no canon da franquia. Nesse sentido, serão feitas referências até mesmo aos filmes animados, por exemplo.

Correções

Além dos bons aspectos, os executivos disseram que aprenderam com os erros não só do primeiro Dead Space, mas dos outros títulos da EA. Eles defenderam que o game não terá microtransações, por exemplo, fator tão criticado em Dead Space 3.

“Queremos fazer jogos que proporcionem as experiências que nossos jogadores procuram. Às vezes, essa é uma experiência com foco na história para um jogador, onde os jogadores podem mergulhar em outro mundo”, disse Miele.

Dead Space

A jogabilidade (que terá novidades nos desmembramentos dos necromorphs) será mais acessível, permitindo que pessoas com deficiências consigam experimentar a experiência de terror na nave USG Ishimura, inclusive.

Além disso, os executivos revelaram que fãs da comunidade estão sendo chamados pelo Motivo Studios para contribuir com o desenvolvimento. A ideia é que eles deem um feedback sobre o projeto, apontando coisas para deixar o jogo mais fiel ao original.

Fontes

Dead Space: novo jogo será um remake e não terá loadings