Veja 10 remakes e ports que ficaram piores que os originais

4 min de leitura
Imagem de: Veja 10 remakes e ports que ficaram piores que os originais
Imagem: Pixel Nerd

O passar dos anos na indústria dos games nos presentou com vários games belíssimos e que possuem lugar cativo no coração dos fãs. Na tentativa de atrair novos públicos ou mesmo satisfazer aos fãs antigos, muitos deles acabaram ganhando ports e remakes, mas infelizmente nem todos acabaram agradando.

A seguir, separamos alguns nomes que certamente vão trazer memórias não tão agradáveis, seja por conta de uma qualidade gráfica duvidosa, controles mal-adaptados ou qualquer outro elemento.

Chrono Trigger (PSone)


Não há dúvidas de que Chrono Trigger é um clássico e merece aparecer no maior número possível de plataformas. Quando ele foi anunciado para o primeiro PlayStation trazendo algumas cenas importantes no formato anime, os fãs ficaram pra lá de empolgados. Porém, o pacote que parecia perfeito acabou se mostrando pior do que o esperado pelo fato de TODAS as batalhas terem um tempo de load (em torno de cinco segundos). Felizmente, isso acabou sendo corrigido na "versão definitiva" para Nintendo DS, mas faz com que essa seja uma das piores edições do título.

Mega Man X: Maverick Hunter (PSP)


A saga X certamente é uma das mais aclamadas entre os fãs de Mega Man, e o episódio que deu início a essa história acabou ganhando um remake para PSP. E sim, ele acabou ficando pior que o game original especialmente por conta do estilo gráfico que provocou dúvidas em algumas pessoas, já que a última coisa que podemos dizer dele é que ficou bonito.

Teenage Mutant Ninja Turtles: Turtles in Time Re-Shelled (PlayStation 3 e Xbox 360)


Teenage Mutant Ninja Turtles: Turtles in Time nasceu nos fliperamas e teve um port excelente para Super Nintendo (sendo considerado por muito o melhor beat'em up do console). Algumas décadas depois, a Ubisoft decidiu refazer esse trabalho para PlayStation 3 e Xbox 360, entregando um game bem distante do original, com uma trilha sonora fraca e ação que não empolga tanto quanto nos títulos anteriores.

Conker: Live and Reloaded (Xbox)


Conker: Bad Fur Day é um game bem fora da curva para Nintendo 64, especialmente quando observamos que o mascote fofinho de outrora se converteu em um ser desbocado e capaz de fazer diversas coisas que não seriam consideradas necessariamente corretas. Entretanto, boa parte disso foi por água abaixo no remake Conker: Live and Reloaded que, de quebra, entregou um estilo gráfico que deixaremos para que você mesmo avalie observando o vídeo acima.

Super Mario 64 DS

(Fonte: Nintendo/Reprodução)(Fonte: Nintendo/Reprodução)Fonte:  Nintendo 


Super Mario 64 é um clássico absoluto do Nintendo 64, e por conta de sua popularidade a Nintendo decidiu fazer uma versão do game para Nintendo DS. Tinha tudo para dar certo, não fosse por um pequeno detalhe: o portátil tem bem menos botões que o console, fazendo com que a movimentação do protagonista passasse para um direcional - isso sem contar no fato de não termos mais os botões C para ajustar a câmera.

God of War: Collection (PlayStation 3 e PlayStation Vita)


Esse aqui tinha de tudo para ser um trabalho bem aclamado, não fosse pelo fato de um pequeno detalhe: parece que simplesmente pegaram os jogos para PlayStation 2 e colocaram nas mídias para PlayStation 3 e PlayStation Vita sem se dar o trabalho de mudar praticamente um mísero elemento da parte gráfica.

Silent Hill HD Collection (PlayStation 3 e Xbox 360)

(Fonte: Pixel Nerd/Reprodução)(Fonte: Pixel Nerd/Reprodução)Fonte:  Pixel Nerd 


Eis aqui mais um caso no qual não tivemos praticamente nenhuma evolução gráfica entre as versões originais e as presentes no remaster. E o que é pior: a névoa que contribuía para um clima mais sombrio no game foi totalmente dissipada - o que não apenas diminui um pouco a sensação de medo, mas também permite enxergar inclusive em que ponto os mapas terminam.

Bomberman: Act Zero (Xbox 360)

(Fonte: Pixel Nerd/Reprodução)(Fonte: Pixel Nerd/Reprodução)Fonte:  Pixel Nerd 


Bomberman é uma série clássica que dispensa comentários. Um personagem com formatos esféricos que lembram bombas e uma mecânica simples não teria como dar errado sendo levado para outra plataforma, correto? Bem que gostaríamos de continuar essa sequência com uma afirmação, mas você só precisa ver a imagem acima que faz um comparativo entre os protagonistas para ter uma ideia do que o título para o console da Microsoft virou.

Golden Axe: Beast Rider (PlayStation 3 e Xbox 360)

(Fonte: Sega/Divulgação)(Fonte: Sega/Divulgação)Fonte:  Sega 


Quem viveu a época dos consoles 16-bits deve se lembrar dos clássicos beat 'em up que surgiram ou evoluíram tanto no Super Nintendo quanto no Mega Drive, sendo Golden Axe um dos maiores representantes do gênero. Entretanto, a fórmula utilizada aqui não deu muito certo e infelizmente ganhamos um game fraco, com uma protagonista sem muito carisma e com gráficos bem ultrapassados perto dos títulos já existentes para PlayStation 3 e Xbox 360.

Goldeneye 007: Reloaded (PlayStation 3, Xbox 360 e Wii)


Mais um título que muitos provavelmente gostariam de esquecer. Goldeneye 007 é mais um clássico que cativou toda uma geração no Nintendo 64 e recebeu um remake para PlayStation 3, Xbox 360 e Wii que passa longe do original: Pierce Brosnan foi trocado por Daniel Craig no posto de agente secreto à serviço da rainha, o jogo o obriga a ser muito mais discreto que no original e ainda temos a remoção de personagens importantes para a condução da história.

E você, concorda com a nossa lista? Lembra de algum outro remake ou port que ficou bem abaixo do título original? Compartilhe a sua opinião no espaço mais abaixo destinado aos comentários.

Fontes

Veja 10 remakes e ports que ficaram piores que os originais