Relembre os 10 maiores downgrades gráficos de jogos

4 min de leitura
Imagem de: Relembre os 10 maiores downgrades gráficos de jogos
Imagem: Ubisoft

Sempre que um novo jogo é anunciado, temos a tendência de ficar bem empolgados com aquilo que é apresentado no primeiro trailer. O desenvolvimento avança e, para alguns, acaba ficando a impressão de que algo mudou na parte gráfica ou no projeto como um todo ao longo do processo — e é aí que temos a (infeliz) surpresa do famoso downgrade, que é quando os gráficos apresentados na obra final estão aquém das primeiras apresentações públicas do game.

A seguir, levantamos alguns jogos que acabaram passando por esse processo, o que em alguns casos acabou deixando a comunidade com um "pé atrás" e até mesmo reclamando da qualidade visual do jogo (ainda que no final esse detalhe não afete tanto a jogabilidade).

Anthem

Anthem era o tipo de jogo que tinha tudo para dar certo caso seguisse o plano inicial. O primeiro trailer mostrava uma comunidade bastante ativa com diversos jogadores, NPCs e muitos outros elementos que tinham de tudo para fazer dele algo especial. Entretanto, quem o adquiriu acabou encontrando um game online bem genérico e sem toda aquela grandiosidade (e qualidade gráfica) mencionada pela BioWare.

Watch Dogs

A Ubisoft certamente tinha planos ambiciosos para Watch Dogs, em especial partindo do princípio da recriação fiel da cidade de Chicago no jogo, com vários efeitos bastante realistas. Some a isso alguns elementos, como a roupa do protagonista balançando de acordo com o vento e a forma como ele olhava para alguns pedestres. Porém, no fim das contas esse não foi o pacote entregue, e aquele projeto de perfeição acabou ficando apenas no vídeo mesmo.

Mesmo hoje, diversos dos efeitos apresentados na primeira "tech demo" do título não são frequentes em hardware modernos, como aponta o Digital Foundry.

Rainbow Six: Siege

Eis aqui mais um caso no qual a expectativa não encontrou a realidade. Evidentemente, Rainbow Six: Siege está bem longe de ser um jogo ruim ou muito afetado por aquilo que foi apresentado em seus primeiros vídeos, mas, quando tivemos a chance de conferir o jogo, ficou bem claro que toda aquela sensação de perigo sempre por perto e ambientes que se tornavam mais vivos com a movimentação do personagem acabaram ficando para trás.

A realidade é que a apresentação inicial do título deu um ar muito mais dramático e cinematográfico. O que temos hoje não é ruim (pelo contrário), mas passa longe de ser parecido com o primeiro trailer.

Killzone 2

Mais um caso de game que vendeu a ideia muito bem no primeiro trailer e acabou oferecendo algo diferente ao chegar às lojas — basta observar o vídeo acima, que faz um comparativo entre o que foi apresentado na E3 2007 e o que realmente foi entregue aos jogadores. Novamente, as mudanças foram apenas no aspecto gráfico (segundo o time, o vídeo da esquerda foi colocado ao máximo apenas "para mostrar as capacidades gráficas do PS3"), mas isso certamente acabou deixando aquele gostinho de “quero mais” visualmente falando.

Esse foi um dos casos mais polêmicos da indústria na apresentação de games, pois vendeu o poder gráfico do console na época com um CG pré-renderizado que, até hoje, tem efeitos que ainda não são possíveis de realizar de uma maneira eficiente em tempo real.

No Man's Sky

Logo que foi anunciado, No Man’s Sky já se mostrava um projeto ambicioso com sua ideia de planetas diversificados e infinitos pontos para serem explorados, além de um multiplayer sem limite e outros detalhes que fariam muitos estúdios ficarem morrendo de inveja. Porém, o pacote que chegou às lojas estava bem abaixo do esperado visualmente falando, assim como o seu conceito (já que não havia nenhum componente online), levando alguns anos até que o time o deixasse mais próximo do que havia sido anunciado.

Alien: Colonial Marines

Mais um caso no qual temos um vídeo comprovando aquilo que deveria ter chegado ao mundo e o que de fato tivemos a chance de conferir em nossos consoles. Apesar da informação de que o título passou por vários times antes de chegar às mãos da Gearbox, o fato é que o público não curtiu aquilo que foi entregue, e o estúdio chegou inclusive a enfrentar alguns processos por conta disso (de acordo com os documentos, a produtora foi acusada de fazer propaganda enganosa do produto).

Dark Souls 2

Dark Souls 2 está bem longe de ser um jogo ruim ou que acabou perdendo horrores por conta de um downgrade gráfico. Porém, temos certeza de que aqueles que viram os trailers iniciais mostrando sombras que se ajustavam de acordo com o movimento da luz, chamas de tochas que iam e voltavam e mais alguns outros elementos certamente ficaram imaginando como o ambiente do game ficaria caso tudo isso fizesse parte do pacote final.

Mass Effect: Andromeda

Deixamos que o comparativo acima se explique de maneira mais clara, mas em linhas gerais é possível perceber que Mass Effect: Andromeda deveria chegar às lojas com um visual muito mais polido do que aquele disponível atualmente para o público — e tudo isso sem contar também o fato de que os planetas visitados ao longo da aventura deveriam ser bem mais vivos e detalhados também.

The Division

O trailer apresentado em 2013 de The Division não deixava dúvidas de que teríamos um game grandioso e repleto de recursos visuais em uma Nova York desolada e um cenário de um apocalipse cinematográfico. Isso no papel, pois o resultado acabou trazendo efeitos mais pobres e uma cidade menos detalhada do que o esperado — e talvez um dos maiores downgrades já vistos pelo público.

E você, lembra de mais jogos que acabaram se saindo piores do que a promessa inicial? Compartilhe a sua opinião com os demais leitores no espaço abaixo destinado aos comentários.

Relembre os 10 maiores downgrades gráficos de jogos