Capcom Arcade Stadium celebra a rica história da desenvolvedora

6 min de leitura
Imagem de: Capcom Arcade Stadium celebra a rica história da desenvolvedora
Imagem: Capcom

A emoção de visitar um fliperama já é uma memória distante para a maioria dos jogadores, e muitos de nossos leitores sequer devem saber como era ter que usar fichas em trocas de continues, nem mesmo conhecer a adrenalina de ser abruptamente desafiado por um estranho no seu jogo de luta favorito.

Os fliperamas eram um espaço social único e vibrante, e representam um capítulo crucial na história do desenvolvimento do mercado de videogames. Berço de algumas das maiores franquias da história, eles realmente são algo digno de ser preservado em museus, e até por isso é tão legal vê-los sendo tão bem tratados no Capcom Arcade Stadium!

Diversão em pacotes

Revelada de surpresa durante a apresentação do The Game Awards 2020, a coletânea chegou primeiro ao Nintendo Switch em exclusividade temporária, mas logo receberá também versões para PC, PlayStation 4 e Xbox One. Em sua forma atual, ela abriga nada menos que 32 clássicos dos videogames espalhados por três pacotes distintos.

O download do launcher é grátis e traz consigo o jogo 1943, mas o resto do conteúdo precisa ser adquirido à parteO download do launcher é grátis e traz consigo o jogo 1943, mas o resto do conteúdo precisa ser adquirido à parteFonte:  Capcom 

Dawn of the Arcade é focado nos jogos lançados entre 1984 e 1988 (Vulgus, Pirate Ship Higemaru, 1942, Commando, Section Z, Trojan, Legendary Wings, Bionic Commando, Forgotten Worlds e Ghouls 'n Ghosts), enquanto Arcade Revolution traz os títulos disponibilizados entre 1989 e 1992 (Strider, Dynasty Wars, Final Fight, 1941: Counter Attack, Mercs, Mega Twins, Carrier Air Wing, Street Fighter II, Captain Commando, e Varth: Operation Thunderstorm).

Por fim, a Arcade Evolution traz os jogos mais recentes, lançados entre 1992 e 2001 (Warriors of Fate, Street Fighter II Turbo: Hyper Fighting, Super Street Fighter II Turbo, Armored Warriors, Cyberbots: Full Metal Madness, 19XX: The War Against Destiny, Battle Circuit, Giga Wing, 1944: The Loop Master e Progear). Cada pacote custa R$ 62,00 na eShop nacional, mas você também pode pagar R$ 169,00 pela coleção completa.

Cada jogo da coletânea é representado por seu próprio gabinete no menu principalCada jogo da coletânea é representado por seu próprio gabinete no menu principalFonte:  Capcom 

Logo que você baixa o jogo ainda recebe gratuitamente 1943 – The Battle of Midway, enquanto Ghosts ‘n Goblins foi disponibilizado grátis por tempo limitado, mas hoje custa R$ 8,00 e pode ser comprado individualmente. Apesar de o momento atual ser bem complicado para a economia nacional, o valor cobrado parece um tanto salgado se levarmos em conta o quão curtos a maioria desses fliperamas costumam ser, ainda mais quando abusamos dos créditos infinitos para progredir rapidamente neles.

Um tempero de modernidade

Logo que você inicia o Capcom Arcade Stadium é recebido por um belo menu formado por dezenas de gabinetes enfileirados. Cada um deles está rodando um dos jogos da coleção, então você pode dar um pequeno passeio enquanto escolhe o que vai jogar a seguir. Certamente é uma apresentação simpática e imersiva o bastante, especialmente por ser bem integrada ao layout visto nas sessões de gameplay.

Como os jogos foram originalmente lançados em baixa resolução, algo totalmente incompatível com os televisores mais modernos, a Capcom precisou dar um jeitinho para replicar a experiência original sem muita perda de qualidade. Além dos diferentes filtros de imagem já vistos nas outras ótimas coletâneas da mesma produtora, por padrão começamos a jogar em uma tela diminuta, já que quase todo o resto do espaço é ocupado com uma réplica de gabinete, como você pode ver por aqui:

O layout padrão é bastante imersivo, mas o jogo ocupa uma parte muito pequena da tela e você precisa forçar um pouco a vistaO layout padrão é bastante imersivo, mas o jogo ocupa uma parte muito pequena da tela e você precisa forçar um pouco a vistaFonte:  Capcom 

Se você não gostar desse estilo de jogo, basta pausar a partida e, em poucos cliques, experimentar as várias combinações diferentes entre diversas molduras e formas de esticar a imagem, até mesmo podendo inverter a orientação da tela de jogo. Mas o seu controle vai muito além de ditar alterações técnicas e cosméticas:

Em todos os títulos é possível alterar a velocidade da ação com apenas um botão, desacelerando ou acelerando o seu gameplay, ou mesmo rebobinando para desfazer os erros cometidos. Também é possível gravar o seu progresso a qualquer momento, embora o sistema de slots de gravação seja um tanto inconveniente, já que todos os jogos compartilham a mesma "pasta" de salvamento.

Por exemplo, o slot 1 pode ter um save de Forgotten Worlds e então sobrescrevê-lo com um save de Ghouls 'n Ghosts. Seria melhor se cada jogo tivesse a sua própria pasta interna de salvamentos, até mesmo para evitar que você acidentalmente salve por cima de outro jogo sem querer, o que acabou acontecendo comigo nas primeiras horas de gameplay, antes de me acostumar com o estranho sistema.

Cada game da coleção permite que você salve e carregue o seu progresso onde e quando quiserCada game da coleção permite que você salve e carregue o seu progresso onde e quando quiserFonte:  Capcom 

Essa escolha é ainda mais intrigante se levarmos em conta que, ao tentar dar Load em um save, a tela só exibe as gravações do próprio jogo que está rodando atualmente. Ou seja, o carregamento é mostrado isoladamente, o que é bom, mas na hora de gravar o progresso, é tudo compartilhado. Desnecessariamente confuso!

Merecia ainda mais variedade

Outras modernidades foram melhor implantadas, como um sistema online de placares de liderança no qual você pode comparar o seu resultado com o de seus amigos ou de jogadores ao redor do mundo. Também há um sistema próprio de conquistas internas, além de desafios únicos para cada jogo e Weekly Challenges que a própria Capcom disponibiliza semanalmente, como o próprio nome indica.

Também é divertido acompanhar o sistema interno de pontuação compartilhada, que premia o seu perfil com mais pontos conforme você joga mais e mais dos diferentes títulos, dando uma boa sensação de progresso e fazendo o jogador se sentir gratificado puramente por explorar a rica biblioteca da coleção.

Como se trata de uma coletânea relativamente grande, você mesmo pode separar os jogos de diferentes formas, como gênero ou data de lançamento, com direito a um filtro que destaca os seus games favoritos. Não cabe aqui discutir a qualidade de cada um dos jogos presentes no Capcom Arcade Stadium individualmente, mas a sensação é de que há uma boa variedade de opções para todos os gostos.

Você pode customizar a tela de jogo com diferentes molduras, ou então esticar a imagemVocê pode customizar a tela de jogo com diferentes molduras, ou então esticar a imagemFonte:  Capcom 

O principal complicador aqui é que vários jogos já foram disponibilizados em outras coletâneas mas, mesmo que você as ignore totalmente, há uma certa redundância na seleção do catálogo. Embora gosto seja naturalmente algo subjetivo e que varia entre cada pessoa, os três pacotes atualmente à venda parecem um tanto desequilibrados em suas ofertas também.

Há um claro excesso de shmups muito similares entre si, enquanto os fãs de jogos de luta não recebem muito além de Street Fighter II em várias versões. Precisávamos mesmo de tantas edições dele quando a série já recebeu tantos relançamentos e coletâneas próprias? Não seria melhor trocar algumas versões por fliperamas como Darkstalkers The Night Warriors (1994) ou Mega Man The Power Battle (1995)?

Veredito

Capcom Arcade Stadium é uma ótima forma de conhecer uma parte da riquíssima história da desenvolvedora nos fliperamas, com direito a uma interface inteligente e bem trabalhada, além de boas ferramentas para ajudar os jogadores, como a manipulação da velocidade de jogo e a possibilidade de gravar o progresso quando quiser. Ainda assim, a sua biblioteca é vendida em pacotes de qualidade bem díspar, com direito a profundas redundâncias. Street Fighter II é um clássico absoluto dos videogames, mas ele precisava mesmo ocupar cinco dos 32 jogos disponíveis? Ainda assim, trata-se de uma linda e divertida celebração dos jogos retrô.

Nota: 82

 

Pontos positivos

  • Boa emulação dos jogos clássicos
  • Um ótimo passeio pela história da Capcom
  • Vários filtros de imagem e diferentes layouts
  • Possibilidade de manipular a velocidade do jogo
  • O sistema interno de pontuação e desafios é divertido

Pontos negativos

  • Sistema de saves desnecessariamente confuso
  • Falta de variedade nos jogos de luta
  • Os pacotes à venda têm uma curadoria questionável

Capcom Arcade Stadium é uma ótima porta de entrada para a rica história dos fliperamas

Capcom Arcade Stadium celebra a rica história da desenvolvedora