Mario Kart: do pior ao melhor, segundo a crítica

10 min de leitura
Imagem de: Mario Kart: do pior ao melhor, segundo a crítica

Imagine que você é o presidente da Nintendo por um momento. Você tem uma franquia do tipo plataforma que te rende uma grana astronômica e seus fãs continuam te pedindo mais games dela. Como o desenvolvimento demora um certo tempo para finalizar, você vê como possibilidade colocar o protagonista da mesma em outro gênero. Qual seria? Se você disse “corrida de kart”, saiba que você é um gênio!

Quem diria que colocar o bigodudo e sua turma competindo em veículos rebaixados daria tão certo, né? Vocês pediram, votaram e aqui está o do Pior ao Melhor da franquia Mario Kart. Aqui estão nossos critérios, prestem bastante atenção:

  • As notas apresentadas são baseadas nos agregadores de notas Metacritic e GameRankings. Se o título foi lançado para mais de uma plataforma inicialmente, pegaremos as notas de cada uma das versões e faremos uma média aritmética.
  • Nós só consideramos os principais jogos da franquia, então os games de arcade e mobile não entraram.

9) Mario Kart Live: Home Circuit (2020) - 76 (Nintendo Switch)

Começamos a lista com o game mais diferente da série que chegou aos mercados como uma comemoração de 35 anos da franquia do encanador bigodudo. Mario Kart Live: Home Circuit, lançado em 2020, tira os corredores do mundo virtual, mas não totalmente.

O kit em que o game é vendido acompanha um carrinho de kart, que tem uma câmera acoplada, e diversos pedaços de papelão que acabam virando uma pista dentro de seu Nintendo Switch através de realidade aumentada. Os itens utilizados contra o jogador no console afetam o carrinho da vida real.

A proposta do jogador criar as próprias pistas, a beleza do brinquedo, as opções de customização e as novas ideias introduzidas à série agradaram bastante, mas o fato de ter que correr a mesma pista diversas vezes no modo Grand Prix, a inteligência artificial fraca e alguns efeitos que fazem você perder o controle do kart desagradaram, rendendo a ele 76 de nota.

8) Mario Kart Wii (2008) - 82 (Nintendo Wii)

Lançado em 2008, Mario Kart Wii veio para utilizar o controle de movimento como volante. Ele traz um total de 32 corridas divididas em clássicas, portadas de outros games da série, com totalmente novas. Além delas, há algumas exclusivas para o modo batalha.

Mario Kart Wii conta com 24 personagens jogáveis, cada um com 3 tipos de veículos diferentes que afetam diretamente sua direção. Além disso, o título introduziu as motocicletas, que tem vantagens e desvantagens em relação aos carrinhos rebaixados. Ele também traz um modo online, que foi descontinuado em 2014, mas que permitia até 12 jogadores se enfrentarem em corridas do tipo Versus e Battle.

Além do controle de movimento do Wii, é possível controlar os personagens usando o Nunchuck, aquele pequeno extensor que adiciona um analógico ao periférico, ou o mesmo o controle do GameCube, já que o console possui uma entrada física para o mesmo.

Os analistas gostaram da quantidade e variedade de pistas, da integração do modo online, da acessibilidade a novos jogadores, dos seus sistemas divertidos e estratégicos e da adição das motocicletas, mas a nostalgia não deixa as pistas clássicas mais divertidas, os itens são mal balanceados e o modo batalha é só em time e com limite de tempo. Sua nota é 82.

7) Mario Kart 64 (1996) - 83 (Nintendo 64)

Por conta do cancelamento de Mario Kart para Virtual Boy, o segundo game da franquia a chegar ao mercado foi Mario Kart 64, lançado em 1996. Ele foi o primeiro a trazer elementos 3D à série, mas os personagens e os itens são sprites 2D pré-renderizados. No total, são 8 corredores disponíveis, sendo dois deles novos.

Ele contém 4 modos de jogo, que são o Gran Prix, em que um ou dois jogadores participam de 4 corridas de uma determinada copa e usa um sistema de pontuação baseado na colocação, o Time Trial, que tem como objetivo completar as corridas no menor tempo possível sem adversários ou itens na pista, o Versus, que até 4 jogadores se enfrentam em corridas únicas sem adversários computadorizados, e Battle, em que o todos se enfrentam em uma arena e o último que tiver balões presos em seu carro vence.

O jogo não é ruim, o problema é que ele não conseguiu entregar um resultado tão bom quanto seu antecessor. Ele foi elogiado pelo design das pistas, pelos modos multiplayer e por toda a apresentação dele, mas as críticas focaram na campanha singleplayer fraca e a falta de dificuldade. Sua nota é 83.

6) Mario Kart 7 (2011) - 85 (Nintendo 3DS)

Mario Kart 7, lançado em 2011, foi o terceiro game da franquia a chegar aos consoles portáteis, mais especificamente ao 3DS. Ele trouxe algumas novidades à franquia: poderes inéditos, a habilidade de planar e dirigir debaixo d’água, uma visão em primeira pessoa e a possibilidade de personalizar todo o veículo.

Outras novidades que podem ser citadas são as Jump Actions, que dão um pouco de nitro quando usadas corretamente em uma rampa, e a possibilidade de pilotar o kart girando o console, se aproveitando do giroscópio do 3DS.

O título traz quatro modos de jogo, sendo dois desses do tipo Battle, trinta e duas pistas, sendo dezesseis dessas novas, dezessete personagens e suporte a multiplayer online para até oito jogadores.

Entre os elogios, temos os designs das pistas, a inteligência artificial desafiadora, o balanceamento dos itens e as diversas inovações, mas algumas questões do sistema online, a pequena quantidade de personagens e a mecânica batida da série desagradaram alguns analistas. Sua nota é 85.

5) Mario Kart: Double Dash (2003) - 87 (GameCube)

Mario Kart: Double Dash, lançado em 2003 para o GameCube, foi o quarto jogo da série a chegar aos mercados. Uma das novidades que o game traz é uma gameplay coop com dois jogadores no mesmo kart, um pilotando e o outro usando itens, com os dois podendo trocar a qualquer momento. Além disso, ele foi o primeiro da franquia a ser totalmente 3D, inclusive os pilotos.

São 20 personagens divididos em 10 pares para o jogador escolher. Os quatro modos disponíveis são o Grand Prix, Time Trial, Versus e Battle, recorrentes na série. Usando o Broadband Adapter do console, é possível conectar até 8 GameCubes em uma conexão LAN, permitindo 16 jogadores no total por conta do sistema de duplas que dobra os participantes.

Os analistas elogiaram muito o jogo, focando nos seus gráficos, controles, mecânicas e seu fator diversão. Um deles disse que nenhum jogo de corrida lançado pro console era tão divertido quanto Double Dash. Mas como nem tudo são rosas, ele recebeu críticas relacionadas à repetição das vozes dos personagens, as poucas novidades que o jogo trouxe e o fraco design das pistas. Sua nota é 87.

4) Mario Kart 8 (2014) - 88 (Wii U, Nintendo Switch)

Em quarto lugar temos Mario Kart 8, lançado em 2014. O título mantém as novidades que os games anteriores trouxeram, mas apresenta novas mecânicas, como direção nas paredes e tetos e a possibilidade de bater nos outros para ganhar um boost.

Ele trouxe um total de 48 pistas, sendo que 16 delas foram adicionadas por meio de DLCs, novos personagens, como os Koopalings e a Pink Gold Peach, quatro novos itens, multiplayer online para até 12 jogadores e compatibilidade com 5 controles diferentes de diversos consoles da Nintendo.

O jogo foi elogiado por seus lindos visuais, seu vasto senso de escala, sua trilha sonora orquestrada, sua ótima gameplay e seus 60 fps constantes, mas o jogo foi criticado pelo seu modo Battle usar as mesmas pistas das corridas normais e a fraca seleção de personagens. Sua nota é 88.

E pra não deixar passar, em 2017 o jogo foi lançado como Mario Kart 8 Deluxe para o Nintendo Switch, trazendo todo o conteúdo do game original, das DLC, conteúdo adicional, mudanças na gameplay, gráficos em 1080p no dock e até suporte ao Nintendo Labo. Sua nota é 92.

3) Mario Kart DS (2005) - 91 (Nintendo DS)

Em terceiro lugar, levando a medalha de bronze, temos o segundo jogo da série a chegar aos portáteis. Mario Kart DS, lançado em 2005 para o Nintendo DS, usa a tela de cima do console para mostrar a pista enquanto a de baixo mostra o mapa e o posicionamento dos pilotos.

O game possui 12 personagens, sendo 4 deles desbloqueáveis, e todos eles podem usar os 36 karts disponíveis. Na parte de itens, há dois novos, que são a Bullet Bill e Blooper, além de ser o primeiro jogo em que é possível escapar da Blue Shell, a casca azul que caça o primeiro colocado, usando um mini-turbo no momento exato.

Ele foi o primeiro e único jogo da série a ter o modo Mission, em que o jogador deve cumprir alguns objetivos durante as corridas, e a usar o sistema Wi-Fi Connection, de conexão online para jogatinas multiplayer. Agora, se o multiplayer local for uma opção melhor, há como compartilhar uma partida com até oito jogadores tendo só um cartucho.

Os elogios para ele foram aos montes, como a jogatina singleplayer e o multiplayer local, a gameplay sólida e divertida, as diversas coisas para serem desbloqueadas, a variedade de pistas, modos, pilotos e opções de multiplayer e, pra terminar, as partidas online contra adversários de todo o mundo. Teve quem criticou dizendo que ele não passava de um Mario Kart como todos os outros, só que mais polido, mas não há dúvidas de que ele é um dos melhores jogos da série e merece o top 3. Sua nota é 91.

2) Mario Kart: Super Circuit (2001) - 93 (Game Boy Advance)

De um game portátil para outro, vamos para o segundo lugar com o primeiro jogo da franquia a chegar aos consoles de bolso, Mario Kart: Super Circuit, lançado em 2001 para o Game Boy Advance.

O título não trouxe nada de inovador ou diferente para a série, mas não é aí que ele brilha. O real mérito foi pegar todas as mecânicas e visuais dos games pra consoles de mesa e portar para um videogame com um hadware bem inferior.

Ele traz 5 modos de jogo, que são Mario GP, Time Trial, Quick Run, VS. e Battle, além de 8 personagens que estão divididos em 3 categorias de peso, sendo os mesmos presentes em Mario Kart 64.

O game saiu poucos meses depois do lançamento do console, mas mostrou toda a potência do pequeno Game Boy Advance. Os elogios dos analistas foram por conta do áudio digitalizado, os gráficos que pareciam 3D e toda a diversão que ele trazia. Ele foi considerado um jogo obrigatório para os donos do console e ficou com 93 de nota.

1) Super Mario Kart (1992) - 94 (SNES)

E chegamos ao primeiro lugar com ele, o primeiro jogo da franquia a chegar ao mercado. Estou falando de Super Mario Kart, lançado em 1992 para o SNES, que, inclusive, é o único da série a ter a palavra Super no nome.

O jogador pode controlar um dos oito personagens disponíveis, que são Mario, Luigi, Princesa Peach, Yoshi, Bowser, Donkey Kong Jr., Koopa Troopa e Toad, e competir em diversas pistas organizadas em três copas que possuem três dificuldades diferentes. Há quatro modos disponíveis, que são o Mario Kart GP, que hoje nós conhecemos como Grand Prix, o Time Trial, Match Race e Battle, os dois últimos focando no multiplayer.

A tela é dividida em duas, mesmo que o game seja jogado por apenas um player. Quando isso ocorre, na parte de baixo é mostrada a pista, com a ordem dos pilotos e onde eles estão. Isso está totalmente ligado ao motivo de seu desenvolvimento, já que a equipe queria criar um jogo do gênero que mostrasse duas telas ao mesmo tempo, o que não era possível na outra franquia de corrida da empresa, F-Zero. E inicialmente, nem era pra ter o Mario e sua turma, mas a ideia foi sugerida depois de meses de trabalho e todos gostaram.

Os elogios foram aos montes, que acabaram focando nos gráficos Mode 7, suas inovações, sua gameplay polida, sua inteligência artificial desafiadora, sua apresentação e a diversão que ele proporciona, tanto no single quanto no multiplayer. Até hoje ele é citado como um dos melhores jogos lançados pro console e até como um dos melhores já feitos. Ele levou a medalha de ouro para casa com 94 de nota.