WoW: conheça Laura Sardinha, a brasileira Lead UI Designer da Blizzard

6 min de leitura
Imagem de: WoW: conheça Laura Sardinha, a brasileira Lead UI Designer da Blizzard
Imagem: Blizzard

World of Warcraft é um dos maiores fenômenos da história dos videogames, e um trabalho coletivo que envolveu inúmeros profissionais desde o seu lançamento em 2004. O que nem todos sabem é que temos uma brasileira entre os grandes nomes da série, a talentosa Laura Sardinha!

Natural de Manaus, ela já está na Blizzard há mais de cinco anos, e hoje em dia atua como Lead UI Designer na empresa. Para celebrar essa conquista tão legal, a produtora gentilmente nos convidou a bater um papo com a Laura sobre a sua inspiradora jornada.

Videogames sempre foram parte da sua vida? Vi que você chegou a fazer até alguns cosplays! Quais eram os seus jogos favoritos antes de começar a trabalhar na área?

Eu cresci jogando videogames. De The Legend of Zelda Ocarina of Time no Nintendo 64 a Diablo 1 no PC. Meus jogos favoritos quando criança eram os da saga Zelda e também jogos de luta, como The King of Fighters, Mortal Kombat e Street Fighter.

Laura Sardinha trabalha como Lead UI Designer na BlizzardLaura Sardinha trabalha como Lead UI Designer na BlizzardFonte:  Blizzard 

Um pouco mais tarde, quando ganhamos o primeiro PC, comecei a me aventurar nos jogos Online como Diablo I e II, Warcraft 3 e Counter-Strike, onde até participei de alguns campeonatos! Quando comecei a trabalhar e pude pagar a mensalidade, World of Warcraft estava no topo da lista, depois daí, nunca mais parei de jogar.

Como foi o início da sua trajetória profissional? Quando e como a paixão por videogames se transformou em vontade de ganhar a vida com isso?

 

Sempre amei videogames! Com isso, sempre foi um sonho trabalhar na área. Também amo arte e sempre gostei de desenhar. Com essas duas coisas em mente, decidi partir para a área de design, onde sabia que seria uma porta de entrada.

Por muitos anos não trabalhei com jogos, mas sim com aplicativos para celular, mas foi uma base muito importante na carreira em jogos, pois o princípio é o mesmo, o que muda e apenas o produto.

 

Foi muito desafiador entrar nesse mercado de trabalho? Uma vez decidida sobre o que queria fazer, você foi para os EUA estudar e seguir carreira, certo? Pode contar um pouco sobre como foi essa jornada desde a faculdade até ir trabalhar para a Blizzard?

 

Muito desafiador, principalmente para alguém no Brasil, pois é muito difícil achar empresas de jogos para trabalhar e ganhar experiência! Por conta disso, depois de alguns anos trabalhando como Designer de Interface para a Nokia e Microsoft, decidi largar tudo e focar a minha experiência com interface, mas agora em jogos. Para isso se concretizar, eu teria que ir para  os Estados Unidos, onde existem mais oportunidades focadas nessa área.

Uma forma que encontrei foi fazer um mestrado em Game Design, onde depois de formada, eu poderia aplicar para posições na indústria e ter mais chances de ser aceita.  O mestrado foi importante, pois eu não tinha experiência com jogos no meu currículo, e isso daria um “up” nas vagas que eu tentasse. Assim que formei, rapidamente apliquei para vagas na Blizzard, pois sempre foi a empresa dos sonhos.

Laura Sardinha já está na Blizzard há mais de cinco anosLaura Sardinha já está na Blizzard há mais de cinco anosFonte:  Blizzard 

Também durante o mestrado, participei de projetos de jogos que ajudaram a melhorar meu portfolio, pois apliquei o estilo “Blizzard” em todas as interfaces que eu fazia e sabia que eu teria mais chances dessa forma. Assim que apliquei para as vagas, recebi entrevistas para 3 delas, e uma era para World of Warcraft. Depois de muitos rounds de entrevistas e testes, inclusive no escritório da Blizzard na fase final, consegui a minha sonhada vaga no time do WoW. E aqui estou já faz 5 anos!

 

É inspirador saber que, além de brasileira, você foi a primeira líder UI designer no time de WoW. Como foi o processo de crescimento dentro da companhia? O ambiente de trabalho por lá é legal?

Como eu não tinha carreira em games, mas tinha muita experiência na área de UI/UX e também muito conhecimento de World of Warcraft como jogadora, o time de WoW me deu a oportunidade de trabalhar com eles como “associate” UI designer, que seria um nível Junior no Brasil.

Entretanto, rapidamente fui crescendo no time, e fui promovida para mid-level designer e depois de um tempo eles resolveram abrir uma vaga de Lead por conta do time estar crescendo muito. Senti confiança que poderia ser uma boa Lead para o time e resolvi aplicar. De novo passei por rounds de entrevistas e no final eu fui selecionada como Lead.

Hoje coordeno um time de 4 UI designers para a versão PC e Companion app de World of Warcraft, e também sou responsável por todas as funcionalidades que entram nas atualizações e expansões do game, reviso toda a UI/UX e também a arte da interface. O ambiente de trabalho e maravilhoso, as pessoas que trabalham no game amam o que fazem e isso e refletido no game!

De todas as coisas que você e o time trabalharam em WoW, qual é a sua conquista favorita? No que você mais gostou de trabalhar até agora?

 

Assim que entrei no time do WoW, eles estavam finalizando a expansão Legion, e ao mesmo tempo que estavam nos toque finais, eles também queriam lançar uma Companion App para o jogo, mas eles não tinham nenhum UI designer trabalhando nela. Como eu tinha muita experiência com celular, principalmente na área de aplicativos, pedi para ajudar o time com isso.

Em dois meses finalizamos o aplicativo e ele foi lançado junto com a expansão. Eles não esperavam lançar o produto nesta data, pois sabiam que não daria tempo, mas dando uma mão no projeto, tudo foi acelerado e o produto foi lançado com sucesso. A resposta dos jogadores foi muito positiva, e com isso, hoje temos um time dedicado ao aplicativo de celular e não para de crescer!

Foi muito legal ser a primeira designer no produto e ajudar o jogo de uma forma positiva. Na versão PC, sempre gostei de trabalhar em funcionalidades de interface que tinham uma “historia” por trás. É muito divertido pra mim entender o contexto e fazer o casamento com a parte artística. Isso deixa a interface do jogo bem mais imersiva e interessante para os jogadores.

 

Que dicas você daria para alguém que também esteja disposto a trabalhar na área? O que aprendeu de legal durante a sua jornada e gostaria de compartilhar com os nosso leitores?

 

O principal e saber que carreira você quer seguir. Muitas pessoas sabem que querem trabalhar com jogos, mas não sabem em qual área querem se dedicar. Claro que eu mesma não sabia qual área iria focar logo de começo, eu lembro que queria ser uma artista de personagens, fazer artes conceituais, etc. Mas logo que comecei a trabalhar com interface na Nokia e Microsoft, vi que poderia fazer um bom casamento de design com arte, e isso e perfeito para games.

Assim que esse “click” aconteceu, fiz disso o meu foco e isso facilitou a chegar aqui. Também aprendi que e muito importante entender o que a empresa esta buscando, deixar o seu portfolio no estilo deles, pois quando o recrutador abrir, vai sentir confiança que você tem o estilo que eles procuram. E é claro, nunca para de jogar videogames!

Você já conhecia a Laura Sardinha e sua história? Também é fã de World of Warcraft? O que achou da trajetória dela? Conte para a gente nos comentários a seguir!

WoW: conheça Laura Sardinha, a brasileira Lead UI Designer da Blizzard