Sonic: do pior ao melhor segundo a crítica

13 min de leitura
Imagem de: Sonic: do pior ao melhor segundo a crítica

Matéria publicada originalmente em 26/12/2020 e atualizada em 23/06/2021.

Por muitos anos, Mário foi o mascote soberano, conquistando corações e trazendo diversos novos jogadores aos consoles da Nintendo. Na época, sua principal concorrente era a SEGA, e a empresa começou a correr atrás de um personagem que bateria de frente com o encanador bigodudo.

Foi então que eles encontraram em um ouriço barrigudinho e muito veloz a fórmula do sucesso e do dinheiro. Esse é o Pior ao Melhor da franquia Sonic, que faz parte da comemoração de 30 anos de uma das franquias mais influentes do mercado. Aqui estão nossos critérios, prestem bastante atenção:

  • As notas apresentadas são baseadas nos agregadores de notas Metacritic e GameRankings. Se o jogo foi lançado para mais de uma plataforma inicialmente, pegaremos as notas de cada uma das versões e faremos uma média aritmética.

  • Nós consideramos somente os games principais da franquia, então spin-offs não entraram.

  • Se você tem uma opinião diferente, só deixar sua lista aí nos comentários que iremos ler tudo.

12) Sonic the Hedgehog (2006) - 44,5 (Xbox 360, PS3)

O que era pra ser um reboot e uma comemoração de 15 anos da franquia acabou se tornando um desastre. Sonic the Hedgehog, lançado em 2006, acompanha Sonic e seus amigos tendo que proteger a Princesa Elise de Soleanna, que foi raptada pelo doutor Eggman, que aqui chamaremos de Robotnik. 

Mas aqui o jogador não estará no controle de Sonic, mas também de Shadow e do estreante Silver. A gameplay segue na mesma linha da maioria dos jogos 3D da série, com o personagem correndo em níveis lineares, tendo que passar por obstáculos, derrotar inimigos e juntar anéis para avançar na história. 

Não há muitas diferenças quando utilizamos Shadow, a não ser que a gameplay foca um pouco mais no combate, mas com Silver as coisas mudam, já que ele não é tão rápido, mas usa da telecinese para derrotar inimigos e resolver puzzles. 

No fim de cada nível, o jogador recebe um ranking, sendo D o pior possível e S o melhor. O game passou por diversos problemas e o desenvolvimento acabou sendo apressado para que ele saísse no fim do ano, o que acabou rendendo todas as críticas que o game recebeu, relacionadas ao tempo de loading, ao sistema de câmera, à história, à estabilidade e aos controles.  Esse banho de coisa ruim rendeu a ele 44,5 de nota.

11) Sonic Forces (2017) - 58 (PS4, Xbox One, Nintendo Switch, PC)

Sonic Forces, lançado em 2017, ficou no décimo primeiro lugar da nossa lista. Ele possui três modos de gameplay: o Clássico, que é side scrolling 2D, o Moderno, que é na mesma pegada dos games 3D da franquia, e Avatar, que o jogador controla um personagem criado por ele mesmo, chamado de Rookie. Cada um deles dispõe de uma variedade de habilidades e atributos únicos. 

A história acompanha o a força de resistência criada pelos companheiros de Sonic, que devem enfrentar Robotinik, Shadow, Chaos, Zavok, Metal Sonic e o mercenário Infinite, que não só derrotaram e aprisionaram Sonic como estão planejando dominar o mundo em 6 meses. 

A crítica gostou da apresentação, da música, do trabalho de voz, do sistema de criação de personagem e da jogabilidade moderna, mas não gostou do plot, level design, dos diversos problemas técnicos e da presença do Sonic Clássico. Ele ficou com 58 de nota.

10) Sonic Unleashed (2008) - 60 (PS2, PS3, Xbox 360, Wii)

Sonic Unleashed, lançado em 2008, transforma o nosso querido ouriço em um monstro bizarro. Na história, Doutor Robotinik consegue pegar Sonic e, usando um raio, tira todas as Chaos Emeralds e os poderes do herói. Com elas, ele liberta uma best muito poderosa chamada Dark Gaia e isso terá consequências devastadoras. Ao mesmo tempo, o raio e a falta das esmeraldas causaram efeitos colaterais, transformando Sonic em um Warehog, uma criatura com grande força e habilidades, mas só no período da noite. 

Com isso, o jogo é dividido em dois estilos de gameplay definidos pelo momento do dia que as fases se passam, durante o dia sendo o clássico Sonic 3D, e de noite uma pegada mais porradaria com o jogador batalhando com as criaturas criadas por Dark Gaia. 

O jogo foi um sucesso comercial, com quase 2.5 milhões de cópias comercializadas, mas a recepção da mídia especializada não foi a melhor de todas. Os analists gostaram dos gráficos, dos sons dos ambientes e da sensação de velocidade nas fases diurnas, mas criticaram as mecânicas como Warehog e diversos conceitos de gameplay e de design que para serem ruins teriam que melhorar bastante. Sua nota é 60.

9) Sonic Heroes (2003) - 68,75 (GameCube, PS2, Xbox, PC)

Sonic Heroes, lançado em 2003, tem uma história bem simples: o jogador controla um time de heróis formado por Sonic, Knuckles e Tails que devem passar por diversos lugares diferentes e reunir as 7 Chaos Emeralds para então derrotar o malvado Dr. Robotnik. 

Os visuais são todos em 3D e para passar pelos mais diferentes obstáculos, o jogador tem que se aproveitar das habilidades únicas de cada personagem, como a força de Knuckles e a velocidade de Sonic. Além do time citado, há outros três que possuem suas próprias campanhas e níveis de dificuldade. 

Muitos analistas gostaram dos efeitos de luz, do frame rate estável, da direção de arte, dos cores vibrantes, da volta às origens da gameplay e do balanceamento das equipes, mas não dá pra dizer o mesmo de problemas técnicos nas versões de PC e PS2, a quantidade grande e desnecessária de times, a dificuldade fácil e, além disso, o título não tenta melhorar o que os antecessores tiveram de problemas, como a câmera. Isso fez com que o jogo ficasse com 68,75 de nota.

8) Sonic Generations (2011) - 76,6 (PS3, Xbox 360, PC)

Lançado em 2011, Sonic Generations veio para comemorar o aniversário de 20 anos do nosso protagonista, além de unir o passado com o presente. Depois de sua última derrota, o doutor Robotinik, encalhado no espaço junto de seus capangas robô Orbot e Cubot, acaba encontrando uma entidade poderosa que pode viajar no tempo. 

O vilão se aproveita dela para voltar no tempo e montar uma aliança com seu eu do passado para destruir Sonic das duas eras. Os protagonistas de tempos diferentes acabam se encontrando e se juntam para acabar com os seus inimigos. Isso faz com que a gameplay também misture o clássico com o moderno, já que com o Sonic do passado a jogabilidade seja 2D side scrolling enquanto com o moderno é 3D. 

Os níveis do game são os de jogos anteriores, como os do MegaDrive e do Dreamcast. No total, são 9 níveis e 7 chefões. Os analistas elogiaram os visuais, o áudio e a gameplay, mas criticaram os problemas nos controles e as eventuais quedas de frame rate. Sua nota é 76,6.

7) Sonic Colors (2010) - 78 (Wii) 

Em Sonic Colors, lançado em 2010, o jogador acompanha mais uma aventura de Sonic, que deve parar o Dr. Robotnik, que tem como plano escravizar uma raça alienígena chamada de Wisps e assim realizar seu grande objetivo, que é dominar o planeta. 

O game se passa fora do espaço, com as fases acontecendo em diferentes planetas que estão conectados entre si. A gameplay vai alternando entre as perspectivas side-scrolling e terceira pessoa durante os níveis. 

Há 8 poderes especiais coloridos vindos dos Wisps que o jogador pode usar, facilitando em muitos momentos. O game ainda possui um modo multiplayer cooperativo chamado Eggman’s Sonic Simulator, que os jogadores utilizam robôs baseados no Sonic ou os personagens Mii, do Wii, para passar por diversas fases. 

A crítica elogiou os gráficos, o audio, a trilha sonora, a gameplay e o valor replay, mas a dificuldade, o design e o fraco modo multiplayer não ajudaram muito. Sua nota é 78.

6) Sonic & Knuckles (1994) - 81,75 (Mega Drive/Sega Genesis)

Sonic & Knuckles, lançado em 1994, é uma sequência de Sonic the Hedgehog 3, lançado no mesmo ano. Depois de algumas desavenças entre os dois personagens principais, eles se juntam para derrotar um inimigo em comum: Dr. Robotnik. 

O jogo possui duas campanhas, uma com Sonic e a outra com Knuckles, que se passa um pouco depois dos acontecimentos da de seu companheiro. O jogador deve passar por seis níveis diferentes, cada um dividido em dois atos. 

Sonic e Knuckles possuem jogabilidades diferentes, com o primeiro utilizando da sua velocidade enquanto o outro se aproveita de sua habilidade de escalar estruturas. Inicialmente, o game era pra fazer parte de Sonic 3, mas como os cartuchos eram muito pequenos na época, a Sega decidiu dividir em dois títulos diferentes. 

A parte 2 do jogo, se assim posso dizer, acabou se saindo relativamente bem com a crítica. Os analistas gostaram do sistema de lock-on, do fator replay e da alta dificuldade, mas ele era igual demais ao seu antecessor, o que não oferece exatamente uma nova experiência aos jogadores. Sua nota é 81,75.

5) Sonic Mania (2017) - 84,75 (PS4, Xbox One, Nintendo Switch, PC)

Sonic Mania, lançado em 2017, veio para comemorar o vigésimo quinto aniversário e tentar agradar os fãs old school. O game continua os acontecimentos de Sonic & Knuckles, juntando Sonic, Knuckles e Tails que tem como objetivo derrotar Dr. Robotnik, seu time de elite e seu exército de robôs. No total, o game possui 12 fases, sendo 8 deles remixes de zonas clássicas, como Green Hill Zone. 

A jogabilidade volta ao side-scrolling rápido e frenético que popularizou a série no começo dos anos 90. Cada personagem possui suas habilidades próprias, que mudam a jogabilidade, aumentando o fator replay. Além do modo normal, há um time attack, que os jogadores devem completar as fases o mais rápido possível e seus tempos são colocados em um placar mundial, e um modo split-screen multiplayer competitivo que os players competem entre si. 

A equipe que desenvolveu o título foi composta por hackers de ROMs e pessoas conhecidas por seus fangames relacionados à franquia. O amor e trabalho duro desses desenvolvedores acabou recompensando. O game foi elogiado pelos analistas pelo balanceamento de referências do passado com novas ideias, pela parte sonora e de apresentação, pelos estilos de gameplay dos personagens e pelo level design.

Alguns comentaram negativamente sobre a frustração por conta dos controles e do posicionamento dos inimigos, do peso na nostalgia e da baixa dificuldade das boss battles. Sonic Mania foi o game com melhor avaliação em quinze anos e ficou com 84,75 de nota.

4) Sonic the Hedgehog (1991) - 86 (Mega Drive/Sega Genesis) 

E voltamos às origens com Sonic the Hedgehog, lançado em 1991. O jogo acompanha o pequeno e veloz ouriço Sonic em sua missão de parar o Dr. Robotinik, que aprisionou animais em robôs e roubou as Chaos Emeralds. O desenvolvimento do game nasceu da vontade da Sega de ter um mascote, e, depois de algumas sugestões, acabou escolhendo o nome Sonic, que está relacionado à velocidade do personagem. 

No game, o jogador tem que reunir anéis e derrotar inimigos para ir avançando nas fases. Esses anéis, inclusive, funcionam como a vida do personagem e eles são dropados quando o jogador é acertado por algum inimigo no caminho. As fases são divididas em três atos, com o terceiro possuindo uma batalha contra Dr Robotnik. A crítica considerou o game como uma resposta à franquia Mario, da concorrente Sega, e o jogo conseguiu bater de frente. 

Os analistas elogiaram os gráficos detalhados e coloridos, o design como um topo, a jogabilidade rápida e a trilha sonora divertida. Alguns acharam algumas músicas chatas, a dificuldade muito alta e o frustrante perder todos os anéis de uma vez, mas ainda assim o game impressionou e ficou com 86 de nota.

3) Sonic Adventure (1998) - 87 (Dreamcast)

Sonic Adventure, lançado em 1998, acompanha Sonic, Tails, Knuckles, Amy, Big e Gamma em sua jornada de recuperar todas as sete Chaos Emeralds para evitar que Dr. Robotnik libere o monstro ancião Chaos. Cada um dos 6 personagens têm suas próprias histórias e suas habilidades especiais e devem utilizá-las para explorar as fases e coletar diversos itens escondidos. 

O game é totalmente em 3D e, mesmo sendo primariamente plataforma, ele tem diversos elementos de ação e RPGs. Há alguns níveis que incluem minigames separados da história que podem ser de corrida, tiro e outros, mas eles só podem ser acessados com determinados personagens. O game é o mais vendido da história do Dreamcast, com 2.5 milhões de cópias comercializadas e acabou convencendo os analistas. 

O visual foi o principal ponto de elogio, com muitos descrevendo ele como maravilhoso e uma evolução no mundo dos games. A gameplay também foi bem elogiada, mas a parte de áudio não foi uma unanimidade entre os jornalistas e a câmera foi bem criticada. Sua nota é 87.

2) Sonic the Hedgehog 2 (1992) - 88 (Mega Drive/Sega Genesis)

Em segundo temos o segundo game da série, Sonic the Hedgehog 2, lançado em 1992. O game foi o primeiro em que Sonic conta com a ajuda de Miles Prower, mais conhecido como Tails, a raposinha de duas caudas que auxilia nosso protagonista em diversos momentos. 

A história acompanha os dois personagens indo atrás do Dr. Robotnik, que roubou as Chaos Emeralds para abastecer sua estação espacial, a Death Egg, referência clara à Death Star, ou Estrela da Morte, da série de filmes Star Wars. No começo do game, o jogador pode escolher entre usar Sonic, Tails ou os dois. Selecionando a última opção, um outro jogador pode controlar a raposinha por meio de um segundo controle. 

Alguns níveis são exclusivos para um dos personagens, com o outro não ficando disponível para ser utilizado. Juntando todas as Chaos Emeralds, o jogador pode se transformar no Super Sonic, que corre mais rápido, é imune a ataques e pula mais longe, o problema é que ele perde um anel por segundo, transformando o personagem no Sonic normal quando os anéis são zerados. 

O game também contém um split screen competitivo, em que os jogadores competem entre si para ver quem acaba a fase mais rápido. Os analistas comentaram como o jogo melhora em diversos aspectos e corrige os erros de seu antecessor. 

O problema ficou no modo para dois jogadores e na adição de Tails, com muitos considerando o companheiro como inútil e irritante. Também reclamaram da distorção na imagem e dos flikers gráficos, mas o jogo ainda assim impressionou e ficou com 88 de nota.

1) Sonic the Hedgehog 3 (1994) - 89 (Mega Drive/Sega Genesis)

Chegamos ao primeiro lugar com um empate. Vamos falar primeiro de Sonic the Hedgehog 3, lançado em 1994. O game é uma sequência direta de seu antecessor e acompanha Sonic e Tails, que estão em busca das Chaos Emeralds para impedir que Dr. Robotnik lance sua nave Death Egg de volta ao espaço. 

O problema é que nossos heróis terão que passar por diversas armadilhas colocadas no caminho por ninguém mais ninguém menos que Knuckles. 

A jogabilidade se mantém quase a mesma de Sonic 2, com algumas adições, como a habilidade de Tails voar por um curto período de tempo usando sua cauda como hélice, além da raposinha poder nadar, coisa que o ouriço não consegue. O modo competitivo está aqui presente, com os jogadores podendo escolher Sonic, Tails ou Knuckles para correr em 5 níveis que não aparecem no menu principal. E pra quem gosta de competir sozinho, há também o modo time attack. 

O jogo foi um sucesso comercial, vendendo 6 milhões de cópias do título, além de ter impressionado bastante a crítica. Mesmo que o game tenha inovado pouco seu antecessor, ele tem designs incríveis, músicas maravilhosas, fases marcantes e uma jogabilidade deliciosa. Sua nota é 89.

1) Sonic Adventure 2 (2001) - 89 (Dreamcast, GameCube)

E também em primeiro lugar temos Sonic Adventure 2, lançado em 2001. A história mostra os dois lados da moeda, com duas campanhas que abordam personagens diferentes. Jogando com Sonic, o jogador deve tentar salvar o mundo junto de seus amigos Tails e Knuckles. 

Já jogando com Shadow, ele deve fazer uma aliança com Dr. Robotnik e Rouge para tentar conquistar o planeta. O game é em três dimensões e apresenta partes de velocidade e frenesi, partes de exploração e outras de shoot ‘em up. 

Os níveis são ambientados em cidades, florestas, pirâmides do deserto e até mesmo no espaço sideral. Na parte multiplayer, há diversas opções para os jogadores se divertirem juntos, desde níveis de tiro até corridas de kart. 

Os analistas reclamaram da câmera e o enredo não é lá essas coisas, mas a gameplay é muito boa, os gráficos são lindos, a trilha sonora é marcante e o game tem um valor replay bem alto. Mesmo não tendo vendas avassaladoras, ele impressionou e também ficou com 89 de nota.

Lembrem-se, essas notas não são nossas, mas sim do agregador de notas Metacritic. Esse foi o Pior ao Melhor da franquia Sonic, que faz parte do especial de fim de ano do Voxel. Qual seu personagem favorito? Prefere 3D ou 2D? Coloque aí embaixo que nós vamos ler tudo. 

Sonic: do pior ao melhor segundo a crítica