Kirby: do pior ao melhor segundo a crítica

12 min de leitura
Imagem de: Kirby: do pior ao melhor segundo a crítica

Em 1990, a Nintendo já tinha grandes franquias estabelecidas e mascotes amados pelo público. Quando ela pensou que era o suficiente, eis que surge uma criaturinha rosa fofinha que não só conquista seu espaço mas se junta a Link e Mario como representantes da Big N.

A criação da HAL Laboratory conquistou diversos fãs já no seu primeiro título e até hoje é lembrada com amor por muitos jogadores por aí que sempre estão na espera de um novo título. Esse é o Pior ao Melhor da franquia Kirby, que faz parte do especial de fim de ano do Voxel. Aqui estão nossos critérios, prestem bastante atenção:

  • As notas apresentadas são baseadas nos agregadores de notas Metacritic e GameRankings. Se o jogo foi lançado para mais de uma plataforma inicialmente, pegaremos as notas de cada uma das versões e faremos uma média aritmética.

  • Nós consideramos só os jogos principais e suas versões iniciais, então spinoffs ou remakes não entraram.

  • Se você tem uma opinião diferente, só deixar sua lista aí nos comentários que iremos ler tudo. 

9) Kirby's Dream Land (1992) - 62 (Game Boy)

Quem ficou por último foi o primeiro jogo da franquia, Kirby's Dream Land, lançado em 1992. O jogo se passa no reino de Dream Land, que fica em um planetinha bem longe da Terra, um local calmo e tranquilo. Em uma noite, o Rei Dedede e seus minions vão ao local e roubam toda comida do lugar, assim como as Sparkling Stars, usadas pra conseguir mais comidas. 

No dia seguinte, o jovem Kirby se voluntaria a resolver a questão e recuperar tudo o que foi roubado. Ele é um game de plataforma com ação em 2D e a forma de ataque do protagonista é inalar os inimigos e seus objetos, podendo cuspir no formato de uma projetil de estrela. Além disso, Kirby também pode voar, facilitando a passagem de certas partes. Nesse primeiro game, o personagem não copiava a habilidade dos objetivos, mas pode juntar alguns poderes que ajudam bastante com o passar da jornada. 

Os analistas gostaram do quão rápido o enredo se desenvolve e das mecânicas únicas de plataforma, mas ele é muito elementar, suas músicas são pouco originais e sua curta duração. Mesmo com sua baixa nota, ele vendeu 5 milhões de unidades, o que agitou a Nintendo a fazer uma continuação o quanto antes. Sua nota é 62.

8) Kirby's Dream Land 3 (1997) - 66 (SNES)

Lançado em 1997, Kirby's Dream Land 3 não é o terceiro, mas sim o quinto jogo principal da franquia. A história acompanha Kirby em uma tarefa para salvar o Planeta Popstar após uma misteriosa nuvem negra cobre todo o céu do lugar. O game tem dois finais que são definidos de acordo com a quantidade de Heart Stars pegas pelo jogador. 

Pegando o final bom, o jogador enfrenta o vilão secreto e verdadeiro do game, chamado de Zero, que é um olho gigante com uma íris vermelha. A gameplay segue o clássico side-scrolling plataformer. Kirby pode usar sua habilidade de copiar para derrotar inimigos, assim como inalar eles, cuspir estrelas e assim vai. Kirby pode summonar seu amigo Gooey é quando quiser, custando a ele dois hitpoints. seu amigo, que pode ser controlado pelo computador ou por um segundo jogador possui habilidades bem parecidas com as suas. 

Além de Gooey, há outros 6 amigos animais que podem auxiliar o protagonista na sua aventura. O game foi muito comparado a seus antecessores, principalmente a Super Star, que saiu no ano anterior, além criticaram a falta de dificuldade, mas o jogo foi elogiado por seus gráficos estilizados e seu fator diversão. Sua nota é 66.

7) Kirby: Squeak Squad (2006) - 71 (Nintendo DS)

Kirby: Squeak Squad, lançado em 2006, começa com Kirby tranquilo em Dream Land pronto para comer seu bolinho, mas de repente ele some. De cara, o protagonista tem a certeza de que isso é coisa do Rei Dedede mas, depois de bater nele, descobre que na verdade foi culpa dos Squeaks, camundongos ladrões de tesouros. 

Agora, é tarefa do nosso herói acabar com esses bichinhos malvados. Além das habilidades e mecânicas conhecidas da série, algumas outras foram introduzidas, como Animal, Bubble, Ghost, Metal, e Triple Star. Na parte de cópia, a maioria das habilidades tem múltiplos ataques e, por conta das Copy Scrolls, introduzidas nesse game, o jogador pode fazer melhorias no poder que escolher. Pra fechar essa parte, Kirby pode juntar seu poder com o de seus aliados. 

Os analistas criticaram o combate extremamente simples, a falta de originalidade e o uso desnecessário do touchscreen, mas foi elogiado por seus gráficos coloridos, sua ótima trilha sonora, suas diversas habilidades diferentes e os segredos espalhados pelas fases. Sua nota é 71.

6) Kirby Star Allies (2018) - 73 (Nintendo Switch)

O game mais recente da lista, Kirby Star Allies, lançado em 2018, ficou em sexto lugar. Um padre chamado Hyness tentou reviver um ser antigo fonte de muita destruição, mas durante seu ritual, um Crystal Heart negro explode e seus estilhassos viajem por todo universo. 

Um deles acaba acertando Kirby, dando novos poderes a ele. Agora, o nosso herói deve parar Hyness para salvar todo o universo. O game usa gráficos 2.5D e pode ser jogado por um único jogador ou em co-op. Dependendo do número de aliados que temos, habilidades especiais, como Friend Actions, podem ser performadas. O game introduziu um sistema chamado Dram Friend, que permite o jogador chamar aliados de games passados para ajudar, como King Dedede, Meta Knight, Gooey, Taranza e Susie. 

O game foi elogiado por seus visuais e seus elementos estratégicos, mas a falta de dificuldade no modo história foi considerado um problema bem grande pela maioria dos analistas. Sua nota é 73.

5) Kirby 64: The Crystal Shards (2000) - 77 (Nintendo 64)

Kirby 64: The Crystal Shards, lançado em 2000, foi o primeiro da franquia a possuir elementos 3D, mas sua jogabilidade continua 2D. Na história, acompanhamos Kirby em sua jornada de juntar todos os pedaços de um cristal que foi quebrado pelo vilão Dark Matter. O game introduziu os power combos, que é a habilidade de misturar poderes para formar um mais forte. 

No total, são 28 combinações possíveis. O game é dividido em seis mundos diferentes com níveis que o jogador deve explorar, enfrentar inimigos e superar obstáculos. Além do modo singleplayer, é um modo multiplayer que suporta até quatro jogadores para competirem em três minigames diferentes, com os players podendo ajustar a dificuldade e usar um dos 4 personagens disponíveis que são Kirby, King Dedede, Adeleine e Waddle Dee. 

O game foi bem criticado pela sua falta de inovação, sua pequena longevidade e dificuldade, mas sua história e seus gráficos fofinhos valem a pena a jogatina. Sua nota é 77.

5) Kirby's Return to Dream Land (2011) - 77 (Wii)

Também em quinto lugar temos, Kirby's Return to Dream Land, lançado em 2011, que foi o primeiro game principal da franquia a ser lançado para consoles caseiros desde Kirby 64: The Crystal Shards, que tinha chegado no mercado 11 anos antes. Na história, Kirby, Meta Knight, King Dedede e Waddle Dee, decidem ajudar o alien Magolor a arrumar sua nave chamada Lor Starcutter. 

Para isso, eles precisam juntar 5 peças vitais e 120 esferas de energia. A gameplay do título é o clássico side scrolling 2D, com modelos 3D para os personagens e vilões. O jogo introduz novos poderes temporários relacionados ao sistema de cópia, chamados de Super Abilities, os quais podem destruir parte do ambiente ou dar muito dano em área, mas depois de ser usado, ele é descartado. 

O jogo conta com um sistema cooperativo do tipo drop in, que os jogadores podem entrar e sair da partida quando quiserem, para 3 players extras, que selecionar um dos colegas de Kirby citados anteriormente. Os analistas elogiaram o game pelos seus visuais e jogabilidade, mas criticaram a falta de dificuldade, principalmente no modo multiplayer e a falta de inovação. O game também ficou com 77 de nota.

4) Kirby & The Amazing Mirror (2004) - 80 (Game Boy Advance)

Kirby & The Amazing Mirror, lançado em 2004, conta a história de um mundo espelhado que existe nos céus da Dream Land. Nesse mundo, qualquer desejo refletido vira verdade, mas um dia isso acaba copiando a mente de uma misteriosa figura chamada de Dark Mind, o que transforma o lugar refletido em um ambiente maligno. No meio disso, Kirby acaba sendo cortado pelo Dark Meta Knight, a versão malvada de seu aliado. 

Agora, dividido em quatro partes de cores diferentes, Kirby tem que encontrar oito fragmentos de um espelho quebrado para salvar seu amigo e o mundo espelhado. Diferente dos outros games, Kirby & The Amazing Mirror é bem próximo de um Metroidvania e tem um layout de labirinto. O jogador deve explorar os mundos, resolver puzzles, derrotar inimigos e coletar itens para, assim, ir avançando na história. Além da campanha, há 3 minigames disponíveis que podem ser jogados sozinhos ou junto de amigos. 

A crítica achou os gráficos e sons fofos, mas não incríveis, o level design como desafiador, mas o layout como assustador. Sua nota é 80.

4) Kirby: Triple Deluxe (2011) - 80 (Nintendo 3DS)

E, em mais um empate, temos Kirby: Triple Deluxe, lançado em 2011. Kirby estava tranquilo em mais um dia normal em Dream Land mas, na calada da noite, um pé de feijão chamado Dreamstalk começa a crescer, levando aos céus diversas estruturas, como a casa de Kirby e o castelo do Rei Dedede. 

Ao acordar, nosso herói percebe que está em um local diferente chamado Floralia, que é comandado por uma aranha de seis pernas chamada Taranza, que capturou Dedede. Agora, Kirby tem que ajudar seu amigo e colocar as coisas em seu devido lugar. 

O game contém algumas novas habilidades de cópia, como Beetle, Bell e Archer, além de pelo menos 20 presentes em outros jogos retornarem nesse. O game contém dois novos subgames, um sendo Kirby Fighters, que é de porrada parecida com Super Smash Bros, e Dedede's Drum, que é um ritmo com Dedede tocando tambores. 

O game foi muito criticado por sua baixíssima dificuldade e a simplicidade do jogo, mas recebeu elogios pelas suas boss battles, level design, gráficos, uso do 3D do console e os controles. Sua nota também é 80.

3) Kirby's Dream Land 2 (1995) - 81 (Game Boy)

Em terceiro lugar temos mais um empate. O primeiro game é Kirby's Dream Land 2, lançado em 1995. Kirby tem como tarefa derrotar a força maligna Dark Matter, que roubou a ponte do arco-íris, que conecta as sete ilhas do arco-íris. Felizmente o protagonista contará com o auxílio de 3 amigos animais, feature introduzida no game. Os aliados são Rick o Hamster, Coo a Coruja e Kine o Peixe. Eles ajudam o protagonista a correr, voar ou nadar mais rápido. 

Excluindo isso, grande a gameplay se mantém a mesma de seu antecessor, com o personagem lutando contra inimigos e pulando plataformas para avançar as fases. Por conta das limitações do Game Boy, o game não possui cores, diferente de seu antecessor lançado para o Nintendinho, mas se o game for colocado em um Super Game Boy, aí sim o jogo ganha cores, além de novos efeitos sonoros. 

O game foi elogiado pela quantidade de habilidades, mas muitos conteúdos foram reciclados de outros games. Ainda assim, o título é extremamente divertido e tem uma dificuldade bem alta. Isso fez com que ele também ficasse com 81 de nota.

3) Kirby: Planet Robobot (2016) - 81 (Nintendo 3DS)

Kirby: Planet Robobot, lançado em 2016, também ficou em terceiro lugar. Na história, acompanhamos Kirby que tem que defender seu planeta Popstar de uma corporação alien chamada Haltmann Works Co. que planeja mecanizar o planeta para servir como fonte de recursos naturais. 

A grande novidade que o título trouxe foi a habilidade de usar um Mecha chamado de Robobot Armor que serve tanto para resolver alguns puzzles quanto sentar a porrada nos inimigos que aparecerem no caminho. Outra novidade são três novas Copy Abilities: Doctor, Poison e ESP, além da possibilidade de ganhar novas habilidades e itens escaneando os bonequinhos Amiibo. 

Para os fãs dos minigames, esse título trouxe dois novos, que são o Team Kirby Clash e o Kirby 3D Rumble. O jogo foi elogiado pela gameplay, level design, personagens, visuais, trilha sonora e modos extras, mas a dificuldade é fácil demais, e assim como em outros jogos da franquia, isso não foi bem visto. Sua nota também é 81.

2) Kirby's Adventure (1993) - 84 (NES)

Com o fim dos empates, vamos para o segundo colocado: Kirby's Adventure, lançado em 1993. O segundo game da franquia foi o primeiro a chegar nos consoles de mesa, no clássico Nintendinho. 

A história gira em torno de Kirby consertando a Star Rod depois que o Rei Dedede destruiu ela e deu as peças para seus minions. Esse foi o primeiro jogo da série a contar com a habilidade de copiar, em que Kirby ganha poderes especiais ao inalar alguns inimigos, que se tornou marca registrada da franquia. 

No total, são quarenta níveis divididos em sete mundos diferentes, a maioria deles contando também com minigames que dão ao protagonista vidas extras. O título foi muito elogiado principalmente pela originalidade da habilidade de cópia e do design dos inimigos. 

O jogo também recebeu elogios por seus gráficos, animações e controles. Alguns reclamaram dos sprites do personagem e da dificuldade, mas o game se provou e até hoje é citado como um dos melhores títulos do NES. Sua nota é 84.

1) Kirby Super Star (1996) - 86 (SNES)

E em primeiríssimo lugar temos Kirby Super Star, lançado em 1996 para o Super Nintendo. Ele é o mais peculiar dos games da franquia, contando com sete subseções, que são Spring Breeze, Dyna Blade, Gourmet Race, The Great Cave Offensive, Revenge of Meta Knight, Milky Way Wishes, The Arena e dois minigames que podem ser jogados sozinhos ou com amigos. 

Com isso, a Nintendo vendeu o jogo como se fossem 8 games diferentes dentro de um, mesmo que grande parte deles use as mesmas mecânicas. Ainda assim, ele traz uma variedade bem grande à gameplay e consegue agradar quase todo tipo de jogador. 

Isso é tão verdade que ele acabou ficando em primeiro na nossa lista. Os analistas elogiaram seus gráficos, suas músicas, e as partes multiplayer. Ele vendeu mais de um milhão de cópias no Japão e foi considerado um sucesso comercial e de crítica. Sua nota é 86.

Lembrem-se, essas notas não são nossas, mas sim do agregador de notas Metacritic. Esse foi o Pior ao Melhor da franquia Kirby, que faz parte do especial de fim de ano do Voxel. Qual sua habilidade especial favorita? Prefere jogar a campanha ou os minigames com os amigos?

Kirby: do pior ao melhor segundo a crítica