Microsoft alega que demissão de Isadora Basile não teve relação com assédio

1 min de leitura
Imagem de: Microsoft alega que demissão de Isadora Basile não teve relação com assédio
Imagem: Isadora Basile

Como informamos no último 16, a então apresentadora do canal Xbox Brasil, Isadora Basile, foi desligada do cargo, o que causou bastante controvérsia, já que há tempos ela sofria ameaças criminosas em suas redes sociais vindas majoritariamente de seguidores dos extintos canais da rede Xbox Mil Grau.

Na ocasião, a Xbox Brasil se limitou a usar o seu Twitter para emitir uma nota bem vaga sobre o ocorrido, como você pode relembrar abaixo:



Finalmente, hoje, 22 de outubro, a Microsoft emitiu um novo posicionamento, desta vez diretamente à IGN, alegando: "Nós não toleramos assédio ou desrespeito de qualquer forma e agimos para ajudar a Isadora quando os ataques pessoais contra ele foram trazidos à nossa atenção."

"As mudanças de programação reveladas na semana passada não estão relacionadas com isso. Elas são resultado direto de nosso esforço continuado para alcançar mais jogadores em mais idiomas, com notícias em tempo real e informações disponíveis na nossa rede mundial de notícias, a Xbox Wire".

Na prática, pouco ou nada mudou. Mesmo que a alegação seja verdadeira, o desligamento de Isadora apenas legitimou os anseios da parcela mais tóxica da comunidade entusiasta de Xbox na internet. No entanto, é notório que esse posicionamento contradiz a nota de despedida de Isadora:



Ao afirmar que "Devido a todos esses ataques, a Microsoft encontrou como melhor opção me desligar do cargo de apresentadora para que eu não esteja mais exposta a situações como essas", Isadora contradiz frontalmente a nova nota da empresa. Seguimos acompanhando o caso.

Fontes

Microsoft alega que demissão de Isadora Basile não teve relação com assédio