Crackdown 3: Sumo Digital não quer repetir recepção do segundo game

1 min de leitura
Imagem de: Crackdown 3: Sumo Digital não quer repetir recepção do segundo game
Avatar do autor

Em uma entrevista concedida à Games Industry, o diretor de gerenciamento da Sumo Digital, Paul Porter, revelou mais detalhes sobre o processo de desenvolvimento de Crackdown 3, game que chega ao Xbox One em fevereiro de 2019. Segundo ele, a equipe já “completou” o game várias vezes, mas decidiu continuar a trabalhar nele para evitar a recepção mista testemunhada no lançamento de Crackdown 2.

Crackdown 3

“Minha experiência com Crackdown é provavelmente similar à de várias outras pessoas, eu joguei o primeiro até a morte — joguei ele cooperativamente, coletei os orbes. Depois de algumas horas jogando Crackdown 2, eu queria jogar meu controle na TV, e isso foi realmente triste. Essa definitivamente não é a rota que queremos seguir com Crackdown 3”, explicou Porter.

Game já foi terminado várias vezes

Segundo Porter, parte da dificuldade do processo de criação do jogo se deve ao histórico da Sumo Digital, que costuma trabalhar dando apoio a grandes projetos, como Forza Horizon 3 e Hitman. “Eu acredito que é por isso que temos dificuldades de vez em quando, quando somos o principal desenvolvedor, porque não estamos acostumados a falar alto sobre algo. Estamos acostumados a ser aqueles que trabalham quietos no segundo plano”.

Crackdown 3

O diretor de gerenciamento afirma que a Sumo está confiante com o resultado final e que está usando o tempo extra para deixar Crackdown 3 ainda melhor. “A forma de fazer os melhores games é que você termina eles, depois termina eles de novo, e então faz isso mais uma vez. É isso o que estamos fazendo com Crackdown 3”, explicou.

Crackdown 3: Sumo Digital não quer repetir recepção do segundo game