Devs de Wolfenstein querem acabar com cultura de trabalho excessivo

1 min de leitura
Imagem de: Devs de Wolfenstein querem acabar com cultura de trabalho excessivo
Avatar do autor

Responsável pelo desenvolvimento dos capítulos mais recentes da série Wolfenstein, a Machine Games afirmou recentemente que não é a favor do “crunch” e quer tomar medidas para acabar com isso. Embora tenha admitido em um AMA do Reddit que passa por períodos em que há mais trabalho e horas extras, a empresa afirma que está buscando meios de eliminar isso, mesmo que a decisão torne mais difícil a vida de seus gerentes.

Wolfenstein

“Descobrir o que é divertido em um game é algo difícil de planejar”, afirmou o chefe de tecnologia John Jennings. “As leis trabalhistas na Suécia são muito claras sobre o que é legal, mas o crunch também é algo que estamos trabalhando ativamente para eliminar em nosso estúdio e eu digo isso genuinamente, em vez de ser somente uma resposta educada de relações públicas”.

Política levada a sério

“Construímos uma política nos 12 últimos meses e estamos colocando um monte de esforços para nos ater a ela, mesmo que de vez em quando ela torne a vida de nós no gerenciamento um pouco mais difícil da perspectiva dos negócios”, complementou Jennings. O crunch tem sido um tópico de discussão frequente nos últimos meses, tendo despertado críticas de funcionários de estúdios como Rockstar Games e NetherRealm, entre outras.

Wolfenstein

Parte da Bethesda, a Machine Games trabalha atualmente em Wolfenstein: Youngblood, game que traz características cooperativas para a série. Vendido por US$ 30, o game nos coloca no controle de Soph e Jess Blazkowicz (filhas de B.J.) e tem lançamento programado para PC, PlayStation 4, Xbox One e Nintendo Switch.

Devs de Wolfenstein querem acabar com cultura de trabalho excessivo