Diretor de Arte de Shadowlands revela novidades de Ardena

4 min de leitura
Imagem de: Diretor de Arte de Shadowlands revela novidades de Ardena
Imagem: Blizzard

Conforme o lançamento da expansão Shadowlands de World of Warcraft se aproxima, aos poucos vamos conhecendo um pouco mais sobre suas novas áreas e criaturas. Depois de explorar o lore de Revendreth, nesta semana tivemos a oportunidade de participar de uma entrevista coletiva em vídeo sobre Ardenweald, ou Ardena, em bom português.

Ela é o lar dos guardiões da natureza, o pacto dos Feérios Noturnos. A convite da Blizzard, batemos um papo com Ely Cannon, o diretor de arte do jogo, que gentilmente revelou novos detalhes e curiosidades sobre o seu desenvolvimento. Confira a seguir os melhores momentos de nosso papo!

Como foram os desafios de criar mais um ambiente focado na natureza, um tema onipresente em RPGs?

“Quando falamos em criar uma zona como essa, uma floresta… obviamente já fizemos um monte de florestas em World of Warcraft, então a cada nova versão que criamos, temos que nos empenhar ainda mais. Começamos pensando em quais são os temas mais importantes: para Ardena, um dos pontos de diferença essenciais entre ela e Sonho Esmeralda foram as estações do ano. Quando pensamos no Sonho Esmeralda, a palheta de cores e a apresentação remetem mais ao verão ou primavera, com tudo muito vibrante e verde, com direito a flores desabrochando. Em Ardena, o alinhamento é mais com o inverno e outono, tem um clima mais noturno.

Ely Cannon, o diretor de arte de World of Warcraft Shadowlands, revela os bastidores de ArdenaEly Cannon, o diretor de arte de World of Warcraft Shadowlands, revela os bastidores de ArdenaFonte:  Blizzard 

A forma como traduzimos isso para o jogo foi através da palheta de cores, usando tons mais frios, com bastante roxo e azul escuro. É claro que não queremos colocar tudo nas sombras também, porque os jogadores precisam ver para onde estão indo e contra o que estão lutando, então não dá para ser tudo escuro. Também nos preocupamos em abraçar a natureza mágica desse lugar, e contar a história ambiental de como a anima foi drenada com o passar do tempo. Retrabalhamos todas as áreas para mostrar como elas foram perdendo mágica. Na zona mais central, que é rica em anima, por exemplo, você encontra mais azul, pois é uma floresta celestial com criaturas hibernando. Quanto mais distante de lá, mais as coisas ficam outonais, com vermelho, amarelo e a vida deteriorada ao seu redor.”

E de onde veio a inspiração do time para criar mais criaturas e ambientes?

“Muitas das novas criaturas têm raízes em World of Warcraft mas, além disso, acho que podemos encontrar influências de histórias e contos de fadas nas nossas criações. Pois para mim e para muitos dos desenvolvedores, esses contos estão em nossos corações desde a infância! Como artista, uma grande inspiração minha foi o ilustrador de fantasia Brian Froud. É empolgante seguir os passos dele e de tantos escritores do gênero ao criar um novo mundo fantástico!

Além disso, também estudamos o mundo natural e os animais que vivem nas florestas de verdade. Acho que isso fica especialmente evidente nos chifres, já que bolamos chifres de vários tamanhos e tipos. Nenhum deles é uma cópia de chifres reais, mas pegamos parte dos chifres de vários animais na hora de criar as nossas próprias criaturas fantásticas. Fazemos muito isso de tomar o mundo real como referência, porque isso ajuda as pessoas a entenderem rápido o que nós queremos comunicar, ao mesmo tempo em que cria uma sensação de deslumbre e novidade.”

Vocês chegaram a reaproveitar algum conceito que gostariam de já ter aplicado em outras expansões?

“É interessante porque quando desenvolvemos uma nova expansão sempre temos um monte de ideias, mas o lance é que a forma de cada expansão muda naturalmente com o passar do tempo. Inicialmente, quando estávamos fazendo o Bastião, uma das ecologias que teríamos nessa zona era uma floresta celestial noturna. Achávamos que isso seria um contraponto muito bom para a clareza do resto do Bastião. Então o que fizemos foi manter parte dessa estética em algumas áreas de lá antes do conceito evoluir para o que temos agora.”

Qual novo personagem ou criatura de Ardena você se sente mais orgulhoso de ter criado?

“Eu tenho muitos favoritos! Mas se tem um design de criatura que achei muito bem sucedido e único é o da Winter Queen, pois acredito que ela é uma personagem que se destaca bastante. Gosto de como ela usa materiais próprias da sua área, especialmente em suas roupas. Ela reflete muito do que vemos no pacto dos Feérios Noturnos. Os adereços em seus ombros lembram muito folhas, em uma forma muito elegante. Acho incrível!”

Arte da Winter Queen, de World of Warcraft ShadowlandsArte da Winter Queen, de World of Warcraft ShadowlandsFonte:  Blizzard 

Tem algum detalhezinho ou sutileza de Ardena que você acha que os fãs vão apreciar?

“Cada zona que fizemos tem um clima único, e eu espero que os jogadores gostem disso, porque nos esforçamos para que tudo pareça diferente de como as coisas eram antes! Quando chove em Ardena, por exemplo, vemos uma chuva de Anima, com um pouco de energia caindo do céu e partículas mágicas voando por aí! São coisas interessantes que nossos artistas colocaram na expansão para garantir que os jogadores sempre vejam coisas novas, efeitos climáticos diferentes dos que já conheceram em outras áreas.”

World of Warcraft Shadowlands será lançado na nossa primavera, e o seu beta continua em andamento. Você gostou das novidades de Ardena? Em qual Pacto você planeja entrar? Comente a seguir!

Diretor de Arte de Shadowlands revela novidades de Ardena