Tales of Crestoria traz bom pacote para os fãs

4 min de leitura
Imagem de: Tales of Crestoria traz bom pacote para os fãs
Imagem: Bandai Namco
Avatar do autor

Com cada vez mais produtoras levando suas séries de RPG para o mundo mobile, era de se esperar que a Bandai Namco fizesse algo com a franquia Tales of em algum momento. Levou um tempo, mas enfim temos a chance de conferir o que Tales of Crestoria pode oferecer.

Apesar de ser um título gratuito (com possibilidade de compra de itens na loja do jogo), Tales of Crestoria apresenta um pacote recheado de coisas para fazer, incluindo uma história inédita, PvP e muitas outras frentes.

Fonte:  Bandai Namco 

Carregue seus pecados

A história vista aqui nos apresenta a um novo grupo de personagens, mas sem deixar de lado a inclusão de alguns rostos conhecidos. Tudo começa com uma seção de treinos de Kanata, o protagonista da série que tem Cress (do primeiro game da série) como seu mentor.

Após uma seção de treinos, o protagonista avança por algumas missões no clássico estilo “herói da vizinhança”: ajudando conhecidos, provando que pessoas acusadas são inocentes e por aí vai. Porém, tudo muda quando ele descobre um esquema um tanto quanto maligno envolvendo seu pai e a venda de crianças de um orfanato, levando-o a cometer um ato desesperado e, ao mesmo tempo, pesado.

Fonte:  Bandai Namco 

Desse ponto em diante somos apresentados a diversos elementos inéditos, como marcas de pecado, guardiões do bem e do mal e coisas do gênero. Todo esse avanço da história acontece em um esquema de gasto de energia, mas sendo bem franco você vai conseguir avançar tranquilamente por todos os capítulos disponíveis até o momento (a história não está completa), tendo em vista que a reposição dessa energia pode ser feita tranquilamente subindo de nível ou usando item.

Apesar de ser uma medida compreensível da parte da Konami, talvez seja uma boa ela não alongar muito para disponibilizar a história principal por completo, já que pode ser um tanto quanto fácil esquecer alguns detalhes do enredo. Para complementar esse pacote, também temos algumas histórias paralelas envolvendo protagonistas de games passados, o que ajuda a aumentar o tempo de vida da campanha.

Fonte:  Bandai Namco 

Falando em personagens

Tales of Crestoria é um game no estilo “gatcha”. Caso não tenha familiaridade com esse termo, significa que você vai depender de sorte com os recursos oferecidos pelo jogo (ou gastar muito dinheiro) para liberar os melhores personagens, que se enquadram na categoria SSR. Via de regra, você terá apenas essas unidades e as SR para usar em combate, sendo que as primeiras possuem um golpe mais forte que é utilizado conforme você realiza ações para preencher uma barra (unidades SR não apresentam esse recurso).

O jogo até é bonzinho e oferece uma unidade SSR de início (dica: leia as guias e escolha a que mais lhe será útil). Eu escolhi Luke, de Tales of the Abyss, e até não me arrependo, mas acabei obtendo algumas outras posteriormente que são piores que determinadas unidades SR. Formar o time certo até não influencia tanto no PvE, mas o PvP e até mesmo Raids e a Phantom Tower podem ficar comprometidos com times mais fracos.

Fonte:  Bandai Namco 

Também é importante observar o elemento dos seus personagens (o jogo indica forças e fraquezas para as batalhas que se encontram pelo caminho) e até mesmo combinar Memoria Stones para deixá-los mais fortes. Essas pedras oferecem bônus específicos aos atributos e até mesmo a grupos de personagem, podendo ser evoluídas da mesma forma que as habilidades dos combatentes (usando itens para acelerar esse processo).

Outro detalhe é que em boa parte das batalhas você terá a chance de emprestar o personagem de algum outro jogador, o que pode ser uma boa pedida em lutas contra chefes. Até o ponto da história em que avancei (capítulo 5, o último disponível), apenas uma dessas lutas eu consegui vencer usando o meu time sem essa interferência, que é até benéfica e rende pontos que podem ser trocados por itens.

Fonte:  Bandai Namco 

Elementos extras

Caso não tenha problemas com o fato de obter os melhores personagens do jogo na sorte e de maneira totalmente aleatória, ainda vai encontrar bastante coisa para fazer por aqui. O PvP, por exemplo, vai colocar à prova se o seu time está realmente bem equilibrado para as batalhas, enquanto missões temporárias ajudam a manter o jogo com ares de novidade. Porém, é nas Raids e na Phantom Tower que “o bicho pega”.

As Raids apresentam batalhas contra oponentes realmente poderosos e que muitas vezes precisam da ajuda de outros jogadores para serem vencidos. A Phantom Tower, por outro lado, não permite nenhum tipo de interferência e traz desafios gradativos, rendendo belas recompensas para quem chega ao topo — e arrisco dizer, algumas das batalhas mais difíceis em níveis elevados. (vale mencionar, em Tales of Crestoria todas elas acontecem por turnos e sem a possibilidade de mover os combatentes como em outros títulos da séries).

Por fim, o game também apresenta um sistema de Guild, missões diárias, semanais e especiais, recompensas por login diário e até mesmo sistema de cozinhar comidas para ganhar atributos extras em combate.

Fonte:  Bandai Namco 

Vale a pena?

Caso não se incomode com o ponto mencionado anteriormente (da sorte para conseguir personagens) e com o fato de o game receber atualizações recorrentes que chegam a beirar 90 MB, certamente você vai se divertir com o que Tales of Crestoria tem a oferecer.

Fontes

Tales of Crestoria traz bom pacote para os fãs