DO PIOR AO MELHOR – MEDAL OF HONOR

12 min de leitura
Imagem de: DO PIOR AO MELHOR – MEDAL OF HONOR

Sabemos que Call of Duty e Battlefield são as duas maiores franquias de games de tiro em primeira pessoa hoje em dia, mas antes delas serem criadas, uma outra série dominava o gênero: Medal of Honor.

Criada pela EA no fim dos anos 90, a série passou por altos e baixos e, infelizmente, se encontra no fundo do poço. Mesmo assim, seus fãs leais ainda anseiam por um retorno triunfante. Vocês votaram e aqui está o do Pior ao Melhor da franquia Medal of Honor. Aqui estão nossos critérios, prestem bastante atenção:

  • As notas apresentadas são baseadas no agregador de nota Metacritic. Se o título foi lançado para mais de uma plataforma inicialmente, pegaremos as notas de cada uma das versões e faremos uma média aritmética.
  • Nós não consideramos os jogos exclusivos de portáteis, as versões portáteis dos games da lista e nem os dois pacotes de expansão de Allied Assault
  • Se você tem uma opinião diferente, só deixar sua lista aí nos comentários que iremos ler tudo. 

11) Medal of Honor: Warfighter (2012) - 54,3 (PS3, Xbox 360, PC)

O mais recente jogo da franquia, Medal of Honor: Warfighter, lançado em 2012, não foi exatamente o que esperávamos. O game é uma sequência do reboot de 2010 e é o segundo da série a não retratar a Segunda Guerra Mundial, que ocorreu entre 1939 e 1945. 

Com as vendas de seu antecessor, o CEO da EA John Riccitiello afirmou que o feedback dos consumidores, muito provavelmente se referindo as vendas do game, sugeriram que Medal of Honor voltaria a ser uma franquia regular e, logo no começo de 2011, foi anunciado que uma sequência estava sendo produzida novamente pelas mãos da Danger Close Games.

A trama é meio diferentona, acompanhando Preacher e outros soldados do Tier 1 tanto em suas missões militares quanto em suas caóticas vidas pessoais contemporâneas. Entre os locais visitados para tiroteios temos Bósnia e Herzegovina, Paquistão e Somália. 

O game também tem um modo multiplayer em que o jogador escolhe que país ele quer defender e enfrentar outros jogadores pela supremacia. Infelizmente ele não foi nem um pouco bem com a crítica. A história é fraca e confusa, a IA não tem nada de inteligente, a gameplay é muito linear e existe um número gigantesco de bugs e glitches. 

Não foi só em relação a mídia especializada que o game já que suas 300 mil cópias vendidas na semana de lançamento ficaram bem abaixo do esperado. O game ficou com 54,3 de nota. 

10) Medal of Honor: Vanguard (2007) - 59,5 (PS2, Wii)

Medal of Honor: Vanguard, lançado em 2007, foi o único da franquia a chegar ao Wii, só que acabou não impressionando. A história acompanha o sargento Frank Keenan, membro da octagésima segunda divisão airborne, que junto da décima sétima divisão airborne deve derrotas as forças Axis da Alemanha Nazista e o Reino da Itália. Muitas elementos de Vanguard são como dos de Medal of Honor: Airborne, lançado no mesmo ano para PS3, Xbox 360 e PC. 

Vanguard foi lançado também para PS2, mas na versão do console da Nintendo, movimentos do controle realizavam ações como deixar, pular recarregar e atirar. O game ainda contava com um modo multiplayer local para até 4 pessoas com 5 modos disponíveis. 

Como dito logo no começo, ele não impressionou e recebeu críticas relacionadas ao fraco motor gráfico, a falta de um multiplayer online e uma inteligência artificial meio burra. No fim, ele ficou com 59,5 de nota. 

9) Medal of Honor: Rising Sun (2003) - 67,3 (PS2, Xbox, GameCube)

Medal of Honor: Rising Sun, lançado em 2003, acabou indo melhor que os dois games já citados, mas isso não quer dizer muita coisa. O jogo aborda a guerra do pacífico, que aconteceu durante a Segunda Guerra Mundial, e tem como base o ataque japonês à base americana de Pearl Harbor, evento que oficializou a entrada dos Estados Unidos no confronto internacional que tinha começado dois anos antes. 

A história, que acompanha o militar Joe Griffin, que se encontrava dentro da base em que os ataques ocorreram, também possui um modo coop, que permite outro jogador acompanhar o protagonista na aventura. Também há um multiplayer que contém dois modos: Deathmatch, que é cada um por si, e o Team Deathmatch, no qual equipes se enfrentam. 

O jogo acabou vendendo bem, recebendo certificados de ouro e platina em alguns países, mas com a crítica não foi a mesma coisa. Os analistas adoraram a missão inicial, mas as seguintes não acompanharam o mesmo ritmo, o que levantou o questionamento do jogo ter sido lançado sem ser finalizado. Uma sequência era planejada, mas as avaliações mornas fizeram com que ela nunca visse a luz do dia. Ele ficou com 67,3 de nota.

8) Medal of Honor: European Assault (2005) - 72 (PS2, Xbox, GameCube)

Lançado em 2005, Medal of Honor: European Assault acompanha o tenente William Holt, do Office of Strategic Services, desembarcando na França, norte da África, União Soviética e Bélgica para ajudar as forças Aliadas contra os adversários fascistas. 

A história do game foi escrita por John Millus, escritor de filmes como Apocalypse Now e Perseguidor Implacável, mesmo que não tenha sido creditado neste último. Entre as mudanças trazidas pelo game, temos um hud melhorado e o modo adrenalina, que concede invencibilidade e balas infinitas por um curto período de tempo. Sobre a crítica, a história tem seus problemas, mas foi elogiada de forma geral mas sua curta duração não. 

Muitos não gostaram de morrer perto do fim da missão e ter que recomeçar tudo, já que não existem checkpoints, mas alguns disseram que isso é a parte desafiadora do game. Ele ficou com 72 de nota.

7) Medal of Honor (2010) - 73,6 (PS3, Xbox 360, PC)

Medal of Honor, lançado em 2010, foi um reboot da franquia, mudando o foco da Segunda Guerra Mundial para a Guerra no Afeganistão. O modo campanha foi feito pela Danger Close Games e usa o motor gráfico Unreal Engine 3, enquanto o modo multiplayer foi feito pela EA Dice e usa o Frostbite como motor gráfico. 

A campanha possui mais de um personagem principal, o agente especial da marinha americana Rabbit, o Sniper da força Delta Deuce, o especialista do exército Dante Adams e o atirador aéreo Brad Hawkins. Durante as missões, os jogadores podem pedir munição para seus colegas, mas os pedidos são limitados. O modo multiplayer possui classes para o jogador escolher, assim como em Battlefield, e mostra o confronto da Coalizão contra as Forças Opositoras. 

O nome inicial do game era Medal of Honor: Operation Anaconda, mas o subtítulo foi deixado de lado antes do lançamento. O jogo acabou batendo o recorde de pré-compras feitas e alcançou 1.5 milhão de cópias vendidas na primeira semana. E podemos dizer que ele não fez feio com a mídia especializada, mas também não foi um completo sucesso.

Os elogios ficaram por parte do multiplayer, do áudio e do trabalho de voz, mas os problemas técnicos, como texturas mal feitas e o framerate inconstante, e as semelhanças com a Call of Duty e Battlefield não agradaram muito. Ele acabou ficando com 73,6 de nota.

6) Medal of Honor: Airborne (2007) - 75,3 (PS3, Xbox 360, PC)

O décimo primeiro game da franquia, Medal of Honor: Airborne, foi lançado em 2007 e trouxe a história de um soldado da octagésima segunda divisão airborne, soldados que chegam no campo de batalha pulando de paraquedas, que deve ajudar as forças aliadas a derrotarem as forças do Eixo em seis grandes missões que se passam na segunda metade da Segunda Guerra Mundial. o modo multiplayer contém seis diferentes mapas, sendo que três deles aparecem na campanha.

O que fez de Airborne único foi a possibilidade do jogador escolher onde descer e começar sua aventura, tanto sozinho quanto online, por meio de pulos de paraquedas, em que os jogadores podiam controlar a velocidade e a direção. Essa adição foi criada como uma forma de realmente revolucionar a franquia, tornando a experiência do jogador a menos linear possível. 

Com isso, os desenvolvedores tiveram que criar uma inteligência artifical do zero, fazendo com que os NPCs aliados e inimigos fossem capaz de lidar com as mais diversas interações do jogador. E o que a crítica achou? Bem, segundo eles, a campanha só esquenta mesmo nos últimos dois níveis, mas o multiplayer foi muito elogiado e as inovações trazidas também. Para muitos, ele não foi perfeito mas agradou e até impressionou. Ele ficou com 75,3 de nota. 

5) Medal of Honor: Pacific Assault (2004) - 80 (PC)

Em Medal of Honor: Pacific Assault, lançado em 2004, controlamos o soldado da marinha americana Thomas Conlin, que vai ajudar os Estados Unidos a derrotarem o adversários conhecidos como Eixo no Pacífico. 

O game trouxe novas features como chamar ajuda para recuperar vida e dar ordens para seus companheiros, o que tornou a jogabilidade um pouco mais estratégica. O game usou como motor gráfico uma modificação da LithTech junto da física Havok. A trilha sonora foi composta por Christopher Lennertz, que também trabalhou na franquia Mass Effect. 

Ele foi bem de crítica, com seus ambientes realistas, boa inteligência artificial, momentos de quase morte arrepiantes e multiplayer sólido sendo elogiados, mas seus tempos de carregamento são longos, seus bugs na IA e alguns problemas no frame rate foram pontuados pela mídia especializada. Mesmo assim, ele ficou com 80 de nota.

4) Medal of Honor: Frontline (2002) - 83 (PS2, Xbox, GameCube)

Medal of Honor: Frontline, lançado em 2002, foi desenvolvido pela EA Los Angeles, previamente conhecida como DreamWorks Interactive e posteriormente conhecida como Danger Close Games. Os acontecimentos do game se passam ao mesmo tempo que do primeiro jogo, de 1999, e acompanham o Tenente Jimmy Patterson atravessando a Europa para acabar com o exército Nazista da Alemanha. 

Há uma variedade bem grande de missões, coisa que acabou adicionando elementos de stealth e exploração a gameplay, em vez de um tiroteio sem fim contra soldados inimigos. 

No final das missões, o jogador pode ganhar medalhas de honra se cumprir os objetivos requeridos. Quem criou a trilha sonora foi Michael Giacchino, compositor multi premiado por trabalhos em filmes da Disney além de um extenso currículo com trilhas de games.  

Os críticos adoraram seus gráficos, sua história dramática e sua atenção a acontecimentos históricos, mas ele era linear demais, seus controles são estranhos e sua duração é curta. Acabou que ele foi muito mais positivo que negativo e ficou com 83 de nota.

3) Medal of Honor: Underground (2000) - 86 (PS1, Game Boy Advanced)

O segundo jogo da franquia, Medal of Honor: Underground, lançado em 2000, ficou em terceiro lugar da nossa lista. A personagem principal é Manon Batiste, que deve batalhar contra os soldados alemães depois da França ter sido dominada e seu irmão ter sido morto. 

Após ser recrutada pela OSS, a precursora do FBI, ela deve percorrer o Norte da África e a Europa para estragar os planos desses fascistas malditos. 

A protagonista foi inspirada em Hélène Deschamps Adams, que realmente foi integrante da OSS. Ela até aparece na última missão de forma bem breve como um easter egg. A gameplay é bem parecida com de seu antecessor, tendo que cumprir alguns objetivos nas fases como interagir com objetos, pegar itens ou destruir alvos. Depois de completar o jogo, é possível jogar um level bonûs não canônico como o Tenente Jimmy Patterson, que já tinha aparecido no primeiro game.

A introdução de uma protagonista foi elogiada pelos críticos, assim como o contexto histórico e a história da mesma. Infelizmente os problemas de IA continuaram e alguns inimigos são difíceis demais de serem mortos, o que diminui um pouco a verossimilhança. O game ficou com 86 de nota. 

2) Medal of Honor: Allied Assault (2002) - 91 (PC)

O exclusivo de PC Medal of Honor: Allied Assault, lançado em 2002, ficou em segundo lugar, mas por pouco não liderou o ranking. 

O game acompanha o jovem tenente Mike Powell em diversas missões na Europa e no norte da África para acabar com as forças militares do Eixo, isso já na segunda metade da Segunda Guerra Mundial. O level design das fases é constantemente comparado com o filme O Resgate do Soldado Ryan, dirigido por Steven Spielberg. O modo multiplayer possui 4 tipos de partidas: Deathmatch, Team Deathmatch, Rounds e Objetivos. 

Nele, o jogador pode escolher entre o time dos Aliados e do Eixo. O título foi desenvolvido pela 2015 Inc e usa o motor gráfico id Tech 3 com modificações do Heavy Metal: FAKK 2. Além do game base, ele recebeu duas expansões, uma em 2002 chamada Allied Assault Spearhead e uma no ano seguinte chamada de Allied Assault Breakthrough.

O game vendeu 900 mil cópias e faturou 34,2 milhões de dólares até o ano de 2006. Ele não foi um sucesso só de vendas, mas de crítica também. Alguns dos elogios vão para seu realismo, seu roteiro inteligente, sua ótima jogabilidade e sua trama densa. 

O multiplayer tinha alguns problemas de conexão, mas um patch foi chegou pouco tempo após seu lançamento para corrigir ele. O único ponto negativo mais comentado é sua curta duração, mas a qualidade do que foi apresentado mostrou que qualidade é mais importante que quantidade. O game ficou com 91 de nota.

1) Medal of Honor (1999) - 92 (PS1)

E voltamos a origem com ele, o primeiro game da série a ser lançado. Estou falando do primeiro Medal of Honor, que chegou exclusivamente ao PS1 no longínquo ano de 1999. 

Tudo começou quando o diretor e produtor de cinema Steven Spielberg se encontrou com a DreamWorks Interactive trazendo uma ideia para um jogo de videogame em primeira pessoa se passando na Segunda Guerra Mundial. A história foi então criada por Spielberg, o roteiro e produção ficou por conta de Peter Hirschmann e Dale Dye foi o consultor militar. 

O protagonista é o Tenente Jimmy Patterson no final do confronto internacional. Ele deve cumprir missões para a OSS, como resgatar um piloto americano, recuperar uma arte roubada e sabotar um esforço de guerra Nazista. 

Há também um modo split screen deathmatch, em que dois jogadores se enfrentam em diversos mapas. O game foi um sucesso de crítica, com muitos dizendo que ele era o melhor FPS pra PlayStation em muitos anos. 

Os elogios ficaram por conta da gameplay, dos gráficos, da IA inimiga, do level design e da trilha sonora. Ele foi tão bem que abriu espaço para diversas sequências e pavimentou a estrada para o que viria a se tornar uma das maiores franquias de tiro da história dos games. Sua nota foi de 92.

Lembrem-se, essas notas não são nossas, mas sim do agregador de notas Metacritic. Qual sua arma favorita? Prefere campanha ou multiplayer?

DO PIOR AO MELHOR – MEDAL OF HONOR