Aviões de papel são uma brincadeira antiga, mas isso não quer dizer que eles pararam no tempo. Prova disso é o Power Up, um acessório que vai turbinar os seus origamis voadores com energia elétrica!

Se você sempre invejou todos aqueles que sabiam fazer aviões de papel muito mais estilosos e melhores do que os seus, é hora de dar o troco com um brinquedo que é como uma turbina. O Tecmundo testou o Power Up, e você confere a brincadeira em mais uma análise especial.

De onde vem a energia

O Power Up é basicamente uma hélice conectada a uma bateria por uma haste de fibra de carbono. A estrutura se prende ao papel com pequenos clipes. Tudo o que você precisa fazer é montar um origami de avião comum, encaixar o dispositivo, dar uma carga e curtir voos que podem passar dos 30 segundos, de acordo com a fabricante.

Você deve estar pensando: “Dar carga como?”. Pois bem, no kit do Power Up está incluído um carregador que funciona com três pilhas AA. Uma vez energizado, basta que ele entre em contato com a bateria para que a hélice comece a girar.

Uma carga de 20 segundos fornece energia suficiente para voos de mais de um minuto. Um pequeno problema aqui é a necessidade de desparafusar o compartimento, colocar as pilhas e parafusá-lo novamente, o que pode não ser simples para qualquer criança.

O papel precisa estar na medida certa

Segundo a fabricante, o brinquedo funciona em vários modelos de avião de papel. A única exigência é que eles precisam ser feitos em folhas de tamanho A4 ou, no máximo, de 21,59 por 27,94 centímetros. É preciso respeitar tais limitações por causa da extensão da haste, a qual fará a hélice tocar no papel no caso de medidas maiores do que essas.

Não há nenhum avião de papel incluído no kit do Power Up, mas há um pequeno manual com instruções de dobra para se fazer um modelo adequado para as especificações do propulsor. O problema é que as instruções não são claras.

Para contornar o problema, o jeito foi acessar o site da fabricante para conferir em vídeo o procedimento. Neste momento, pudemos constatar que o segredo é fazer um avião simétrico e usar uma tesoura para fazer três cortes — um em cada asa, para criar dois ailerons (que dão estabilidade), e um no leme.

Montagem e arremesso

Com o avião pronto, o próximo passo é encaixar a estrutura do Power Up, o que é bem simples graças aos clipes na parte de baixo da bateria. Então, é hora de ligar a hélice com o carregador. A partida não pode durar mais do que 20 segundos, como a fabricante esclarece. Neste momento, o mecanismo é ativado e proporciona um ruído bastante agudo.

O arremesso do avião não tem segredo, mas precisa ser forte. Nem sempre se consegue o voo perfeito nas primeiras tentativas, no entanto, alguns problemas são contornáveis. Por exemplo, se o origami mergulha na direção do chão ou sobe e desce instavelmente, o problema está nos ailerons, bastando ajustá-los para cima ou para baixo; já se ele pender para um dos lados, a solução é conferir o leme.

Conclusões

É verdade que o Power Up é um brinquedo de fácil uso que pode proporcionar voos mais longos do que quando se utiliza um avião de papel comum. A estrutura é tão simples que se leva mais tempo dobrando a folha do que ativando e prendendo o propulsor. Outro ponto positivo é que 20 segundos de carga bastam para voos de um minuto, talvez até mais, dependendo das condições do tempo, do modelo do avião e da força do arremesso.

No entanto, deve-se ressaltar que este é um brinquedo de áreas grandes e de solo macio, como parques e praças. Primeiro, porque o arremesso precisa ser forte, uma vez que não adianta esperar que o Power Up decole o avião do nada.

Segundo, a haste de fibra de carbono é resistente, mas a proteção da bateria, não. Ela até suporta impactos contra a grama, mas certamente será danificada se o avião cair em pisos mais duros. Em espaços pequenos, além de não conseguir voos significativos, os impactos contra paredes ou muros certamente vão danificar a estrutura.

Há ainda um terceiro ponto negativo. Power Up é um brinquedo para crianças, mas a supervisão de um adulto faz-se necessária, primeiro para conferir se a montagem do carregador e da estrutura estão corretas e, segundo, para oferecer apoio caso nenhum voo tenha sucesso.

Com o preço de US$ 20, dificilmente este brinquedo vale a pena. Considerando as exigências de local e a fragilidade da estrutura — e lembrando que com um pouco de engenhosidade é possível fazer um brinquedo semelhante em casa —, o Power Up não é espetacular, apenas divertido sob certas condições.

Cupons de desconto TecMundo: