Surpreendendo com seus visuais totalmente desenhados à mão, Jotun estava disponível na forma de uma demonstração para os visitantes da Gamescom 2015. Com uma temática totalmente nórdica, o título chama a atenção dos jogadores ao prometer uma série de batalhas épicas contra chefes que tomam totalmente a tela.

A pequena fatia exibida pela desenvolvedora Thunder Lotus Games, você controla a protagonista Thora, que deve lutar contra os deuses para provar seu valor. O motivo que a leva a fazer isso é o fato de ela ter tido uma morte sem glória, o que a impediu de alcançar os prometidos campos de Valhalla.

A demonstração nos colocava para lutar contra uma única deusa que abusava de habilidades elétricas para atacar o jogador. Para tentar contra-atacar isso, era possível usar poderes que aumentavam temporariamente a velocidade de movimento, criavam uma versão “fantasma” da protagonista ou aprimoravam seu poder de ataque, entre outras opções.

Dificuldade elevada

Ao menos na fatia a que tive acesso, Jotun se mostrou um jogo bastante difícil. Minhas tentativas de desviar dos ataques nem sempre eram frutíferas, muito disso se devendo a certa lentidão nos movimentos de Thora. Além disso, também contribui a falta de conhecimento sobre as habilidades que estavam disponíveis no momento.

Como resultado, minhas três tentativas de derrotar a chefe se mostraram infrutíferas, embora tenha chegado cada vez mais longe em cada uma delas. No entanto, a frustração sentida não foi a resultante de um jogo difícil, mas justo, mas sim a de um game que ainda precisa de certos ajustes para parecer realmente “certo”.

Minhas principais reclamações são quanto às animações da heroína, que muitas vezes parecem tomar mais tempo do que o necessário. Além disso, a movimentação nem sempre acontece da maneira como esperamos, não possuindo a agilidade necessária para você conseguir escapar dos elementos que surgem na tela.

Potencial visível

Compensando os problemas mecânicos, os gráficos do jogo estão simplesmente lindos. A opção por adotar personagens totalmente feitos à mão traz uma personalidade única a Jotun, que deve agradar principalmente quem é fã de animações — a comparação do estilo gráfico com o antigo Herc’s Adventure do PlayStation 1 surgiu de forma imediata em minha mente.

A Thunder Lotus Game garante que o jogo vai ir muito além do que foi apresentado na Gamescom, contando com um sistema de evolução que vai tornar mais acessíveis os confrontos com os chefes. Levando em consideração a qualidade do que pude conferir, acredito que talvez o estúdio simplesmente tenha escolhido uma fatia pouco adequada do game para realizar sua demonstração pública.

Atualmente, o título está passando por uma fase de testes Beta, na qual devem ocorrer uma série de ajustes que vão ajudar a tornar mais atrativas suas mecânicas. Ainda sem data de lançamento determinada, Jotun parece ter o potencial para ser um game que novamente prova a força dos projetos independentes.

O Baixaki Jogos viajou à Gamescom 2015 a convite da Activision Blizzard.

Via Baixaki Jogos.

Cupons de desconto TecMundo: