A SWAT (Armas e Táticas Especiais), unidade norte-americana de polícia especializada em agir durante operações de risco que envolvem, por exemplo, criminosos fortemente armados, surpreendeu um jogador de Counter-Strike nesta semana. Kootra, membro da equipe The Creatures, recebeu voz de prisão enquanto fazia uma transmissão via streaming de sua agitada jogatina (a ação se inicia aos 50 segundos do vídeo postado acima).

Os policiais invadiram o apartamento do garoto, algemaram o gamer e fizeram uma série de perguntas acerca das supostas atividades ilegais de Kootra. “Deite no chão! Deite no chão! Coloque suas mãos nas costas!”, ordenaram os profissionais da SWAT a audíveis e agressivos berros. De acordo com o jornal local 7News Denver (Colorado, EUA), o prédio todo foi evacuado durante a batida.

E tudo não passou de uma “brincadeira”, conforme informa também o 7News Denver. Acontece que uma nova e proibida moda tem se manifestado pelos EUA: sob o nome de “swatting”, a pegadinha leva jogadores de títulos FPS a serem “enquadrados” enquanto disputam partidas online. Uma pessoa liga de forma anônima a um centro policial, faz algum tipo de denúncia envolvendo o uso de armas e leva a SWAT a agir.

“Quem fez a ligação afirmou ter atirado em dois colegas de trabalho e ter feito outras pessoas reféns. O denunciante e suposto atirador disse também que atiraria em qualquer policial que aparecesse em sua porta”, explicou o Departamento de Polícia de Littleton em nota oficial. “Não há vítimas ou qualquer evidência de tiroteio. A investigação irá determinar se o incidente foi uma fraude; em caso de confirmação, o responsável responderá nos conformes da lei”.

Importante mencionar que a ação foi realizada a poucos quilômetros do Instituto de Columbine, palco do conhecido massacre acontecido em 20 de abril de 1999, local onde dois estudantes atiraram contra vários colegas e professores.

Cupons de desconto TecMundo: