Você já deve ter ouvido falar de uma das mais recentes empreitadas de Kim Kardashian. Basicamente, a socialite instalou um vórtice sugador de tempo e dinheiro tanto na Google Play quanto na App Store. Se a mudança que se vê atualmente no cenário mobile se originou ou culminou ali, ainda é arriscado dizer. Entretanto, há quem defenda que, sim, as mulheres atualmente gastam mais tempo e dinheiro em jogos para smartphones e afins.

Uma pesquisa conduzida pelo site Flurry revelou que o mercado mobile atual pode não ser mais o mesmo dominado por públicos masculinos, normalmente em idade escolar. Utilizando por base jogos que foram despachados para mais de 1,1 milhão de aparelhos, a plataforma descobriu que as mulheres gastam, em média, 31% mais em itens e pacotes dentro dos aplicativos.

Além disso, a Flurry também descobriu que as mulheres gastam em média 35% mais tempo com aplicativos de jogos do que os homens. “Embora o fato de as mulheres investirem mais tempo em apps de games, sobretudo em apps de gerenciamento e simulação, jamais tenha sido questionado, a conclusão de que as mulheres também gastam mais do que os homens dentro dos aplicativos veio como uma surpresa para nós”, consta na publicação do referido site.

Mulheres em nove das categorias mais rentáveis

Ademais, o mesmo estudo também revelou que o público feminino é um tanto mais fiel aos seus jogos favoritos. Em geral, as mulheres tem uma “taxa de retenção” de jogos por semana 42% maior do que os homens — com dados registrados em escala global. Dessa forma, talvez o gráfico divulgado pelo Flurry não devesse surpreender tanto.

A prospecção executada pela plataforma revelou que os aplicativos de jogos destinados às mulheres ocupam nove postos entre a lista dos gêneros mais bem-sucedidos — em que também há títulos considerados “neutros”. Na verdade, entre estes, os dois que encabeçam o critério de “maior tempo gasto” são títulos projetados para o público feminino. Não obstante, os homens ainda são maioria em jogos de corrida, estratégia e RPG de ação.

Um convite aos anunciantes

“Embora a ampliação do mercado de jogos mobile não represente tanto para o público masculino hardcore, isso certamente soa convidativo para anunciantes que buscam por suas audiências”, lembra (convenientemente) o Flurry. Não por acaso, é verdade, já que atualmente bilhões de dólares em anúncios são remetidos às plataformas destinadas ao mercado mobile — cujo alvo principal não poderia ser outro que não o sujeito que se mantém 24 horas por dia “grudado ao seu celular”.

Além disso, conforme lembrou o site, os jogos respondem atualmente por 32% do tempo gasto em smartphones e afins. “O fato de esse segmento atrair tanto homens quanto mulheres de todas as idades o torna ainda mais interessante para anunciantes e agências.”

E, por fim, para quem acha que a senhorita Kardashian trouxe sozinha uma nova tendência em troca de milhões de dólares, a coisa talvez não tenha sido exatamente assim. O Flurry reforça: “nossos dados sugerem que essa tendência começou antes mesmo de Kim Kardashian surgir no mercado mobile — e é algo que não dá sinais de parada”. De qualquer forma, deve ser seguro prever que as metas de Kim Kardashain Hollywood serão alcançadas com sobras.

Via BJ

Cupons de desconto TecMundo: