(Fonte da imagem: Reprodução/Wired)

Um ano se passou e os lançamentos do Xbox One e do PlayStation 4 estão muito próximos. A expectativa era grande no ano passado, quando esperávamos pelos anúncios dos consoles, mas, quanto mais perto estamos da chegada desses aparelhos, mais medo temos de que alguns fantasmas do passado voltem para nos assombrar.

No fundo, temos razão de ter certo receio. O início de uma nova geração de video games é sempre complicado. Na tentativa de atender à demanda pelos produtos e de satisfazer os consumidores, algumas complicações podem surgir e atrapalhar a jogatina (o que é ruim para as indústrias e para os jogadores).

A pressa acaba atrapalhando em diversos fatores, mas os principais inconvenientes estão no baixo cuidado com a fabricação dos video games. Defeitos de hardware foram recorrentes no Xbox 360 e no PlayStation 3. Será que vamos enfrentar uma nova onda de frustração com o Xbox One e o PS4?

Hoje, vamos falar sobre os principais problemas técnicos que podem surgir nos dois aparelhos, devido às novas funcionalidades e aos componentes de hardware que talvez gerem dores de cabeça por conta da sobrecarga de processamento necessário para os novos games.

Superaquecimento

Quem apostou nas primeiras versões do Xbox 360 e do PS3 sabe bem que problemas como o 3RL, o RROD e o YLOD eram mais amedrontadores que os chefes dos jogos. Apesar de nem sempre indicar o superaquecimento, muitas vezes um erro em um componente era agravado com temperaturas elevadas, o que acabava danificando permanentemente a peça.

(Fonte da imagem: Reprodução/OLX)

Com a chegada de novos aparelhos (e novos firmwares), muitos desses inconvenientes ficaram no passado, mas é claro que problemas de superaquecimento podem reaparecer nos consoles de nova geração. Estamos tratando de componentes de computadores (APUs AMD) dentro de caixas menores.

Ainda não tivemos a oportunidade de visualizar o interior do PlayStation 4, mas, de acordo com as especificações, ele é mais poderoso (e deve esquentar mais). Acreditamos que a Sony tenha preparado um cooler eficiente, mas não podemos saber como a APU opera e quais são as temperaturas ideais para longos períodos de jogatina.

O superaquecimento pode acontecer quando algum jogo mais robusto está em execução (e o PS4 terá muitos games desse tipo). Devemos considerar ainda a questão do local onde o jogador reside, o que pode atrapalhar na refrigeração e operação do console.

(Fonte da imagem: Reprodução/Sony)

O caso do Xbox One é complicado. Inicialmente, o sistema de refrigeração do console (que já está em produção há algum tempo) foi projetado para atuar com uma CPU de 1,6 GHz e uma GPU de 800 MHz. Para continuar na competição, a Microsoft resolveu elevar os clocks da CPU para 1,75 GHz (aumento de 10%) e da GPU para 853 MHz (aumento de 6%).

Essa turbinada pode parecer ser uma grande vantagem, afinal você tem algo entre 5 e 10% a mais de desempenho sem precisar gastar nada. A APU da AMD aguenta perfeitamente rodar com frequências ainda mais elevadas, porém em momento algum foi noticiado que haveria alguma mudança no sistema de dissipação do video game.

Bom, não somos engenheiros de console e não duvidamos da capacidade dos profissionais da Microsoft (que mostraram genialidade ao bolar o 3RL e o RROD), mas temos conhecimento de causa de que um simples overclock de 10% pode — e vai! — acarretar na geração de mais calor e, consequentemente, no acréscimo da temperatura.

(Fonte da imagem: Reprodução/Wired)

Talvez, o cooler e as ventoinhas (a principal é monstruosa) do Xbox One sejam suficientes para refrigerar os componentes de hardware, mas novamente devemos notar que isso pode virar um problema maior para jogadores que residem em regiões mais quentes ou com grande quantidade de poeira.

Redes online instáveis

Tanto a Microsoft quanto a Sony estão apostando seriamente nos conteúdos online — o que significa a chegada de redes de games ainda mais robustas (e propensas a quedas). Jogos, filmes, chat, apps, vídeos, demonstrações e diversos recursos dependerão de uma conexão ativa com a web (ainda que seja possível usar os consoles no modo offline).

Muitas funcionalidades já existem nos atuais consoles e não causam grandes problemas, mas, se levarmos em conta que o número de jogadores tende a aumentar consideravelmente (muitos vão comprar o PS3 e outros terão os dois consoles, e o mesmo vale para o caso do Xbox 360 e One), podemos imaginar por que as redes podem apresentar algumas quedas na próxima geração.

(Fonte da imagem: Reprodução/Microsoft)

Agora, pense que muitas novidades (jogar enquanto faz download, transmitir vídeos editados no próprio video game, rodar games na nuvem) desses consoles vão requisitar um absurdo de banda (download e upload), o que pode complicar as coisas para os servidores das duas gigantes que estão trabalhando arduamente para evitar tais inconvenientes.  

Pense no caos que está rolando com o online de GTA V e multiplique isso pelo tanto de jogos que serão lançados junto aos consoles. Há grandes chances de quedas nas conexões, servidores instáveis e assim por diante. Prevendo essas situações, a Sony disse que vai atuar com antecedência para evitar problemas.

Além dessas complicações, devemos lembrar que tanto a LIVE quanto a PSN já passaram por invasões e sérios problemas. Nada impede que novos casos aconteçam com a expansão súbita das redes e a introdução dos novos recursos (que podem gerar brechas).

(Fonte da imagem: Reprodução/Official PlayStation Magazine)

Quer mais? Não são poucos os relatos de jogadores que sofreram para baixar Uncharted 3 (que tem 40 e tantos gigas) e outros jogos com tamanhos exorbitantes. Agora, pense que vários games do PS4 e Xbox One vão ter mais de 50 gigabytes. Tirando o fato de que estamos no Brasil (com conexões discadas), a chance de erros (arquivos corrompidos) é grande!

Erros na hora dos updates

Alguns boatos (publicados no Neogaf) relatam que o lançamento do Xbox One estava programado para 2014 (em muitos países ele só será lançado ano que vem), mas que a data foi antecipada para que o produto não ficasse para trás na corrida contra o PS4.

Essa antecipação no lançamento pode acarretar em alguns problemas de hardware ou até mesmo do funcionamento do sistema. Portanto, podemos esperar que algumas correções de bugs apareçam já nos primeiros dias de vida do Xbox One.

(Fonte da imagem: Reprodução/hckblog)

Por conta desses rumores, podemos aguardar que alguns games também terão problemas com os firmwares (alguns podem requisitar atualizações, outros podem apresentar erros com os novos softwares). Outro inconveniente pode aparecer quando uma atualização acaba corrompendo um savegame.

Acima, citamos apenas detalhes do Xbox One — pois ele está sendo mais comentado nos fóruns e sites —, mas vale notar que nesses quesitos o PlayStation 4 pode sofrer com os mesmos problemas (não precisamos fazer muito esforço para se lembrar que alguns já ocorreram no PS3).

Problemas de hardware diversos

Dito tudo isso, você pode pensar que nem tudo é o fim do mundo, mas, como estamos tratando de eletrônicos, podemos adicionar nesta lista todo e qualquer problema com os componentes de hardware. Ao adquirir um PS4 ou um Xbox One, você pode ser premiado com um dos seguintes defeitos:

  • Mau funcionamento em diversos componentes da placa-mãe
  • Processador defeituoso (superaquecimento e problemas de solda)
  • Chip gráfico (presente na APU) operando com frequência abaixo da programada
  • Memória RAM inoperante
  • Disco rígido com setores danificados
  • Leitor óptico com avarias
  • Fonte de energia com problemas de regulagem de tensão
  • Adaptadores de rede e de Bluetooth estragados (impossibilita a conexão com internet e o uso de controles)
  • Saídas de vídeo com funcionamento comprometido
  • Componentes adicionais responsáveis por comunicação com outros gadgets (Kinect, PlayStation Eye) podem apresentar defeitos

(Fonte da imagem: Reprodução/Wired)

Todos esses erros citados acima são pouco prováveis e, caso ocorram, devem afetar uma minoria de consoles (alguns lotes podem vir com problemas). É a mesma coisa que comprar qualquer outro eletrônico: todo dispositivo está suscetível a defeitos de hardware.

Seja como for, nunca podemos descartar qualquer possibilidade. Quem comprar um dos video games logo nos primeiros dias deve ficar atento a todas as instruções para poder usufruir as garantias e não acabar no prejuízo. Vamos aguardar os lançamentos e ver quais problemas vão atrapalhar a jogatina.

Agora, queremos saber sua opinião, afinal qual será o pior problema nos próximos consoles? Depois de votar, deixe seu comentário com maiores explicações sobre sua opinião!

Via BJ

Cupons de desconto TecMundo: