(Fonte da imagem: Reprodução/Folha de S.Paulo)

Desenvolvedores internacionais de jogos estão preocupados com o comportamento de usuários brasileiros em games online. Uma reportagem publicada nesta segunda-feira (20) no jornal Folha de S.Paulo mostra que os gamers estão sendo acusados de promover assaltos e arrastões online.

A reportagem mantém o foco no game DayZ, mas confirma que os incidentes são comuns em títulos como Call of Duty, World of Warcraft, DotA e Minecraft. No fórum de League of Legends, é possível ler frases como “brasileiros são o submundo dos games online, o mais infame e odiado tipo de jogador”.

Mendigos virtuais

Entre as práticas nada agradáveis comuns aos usuários brasileiros, os desenvolvedores destacam a mendicância virtual, ou seja, usuários que pedem moedas ou equipamentos velhos para quem passar por perto. Além disso, há também o bullying virtual, em que brasileiros pedem dinheiro em troca de não denunciar indevidamente alguém.

O arrastão virtual acontece quando vários brasileiros se unem para reportar uma conta, o que pode gerar suspensão ou até mesmo o banimento de forma injusta de alguns usuários. “Jogadores brasileiros em games online são uma gangue e não um grupo”, afirma Isac Cobb, desenvolvedor independente que cogitou bloquear os brasileiros do seu novo jogo.

“É só um jogo, estamos nos divertindo. Não é pra levar tão a sério, curtimos tocar o terror”, destaca Caio Simon, 19 anos, jogador de DayZ entrevistado pelo jornal.

Cupons de desconto TecMundo: