Considerado por muitos como um dos jogos mais aguardados deste ano, Assassin’s Creed 3 finalmente chegou aos consoles. Depois de acompanharmos a história de Altaïr e Ezio, finalmente chegamos ao ponto em que a saga de Desmond Miles está prestes a acabar. Mas será que estamos preparados para tudo isso?

Abstergo, assassinos, templários, relíquias, Primeira Civilização... Difícil memorizar tudo isso, não é mesmo? Porém, não se sinta envergonhado por não se lembrar do que cada um desses termos significa ou sua importância para a trama, afinal, foram anos acompanhando uma longa jornada e nem todos conseguem ter uma memória tão boa assim para tantos fatos e nomes que fazem parte de toda essa mitologia.

Por isso, antes de você assumir o manto de Connor e caçar alguns templários em terras norte-americanas, que tal fazer uma breve recapitulação dos principais acontecimentos dos jogos anteriores? Preparamos um resumo não só para você que esqueceu algo, mas também para quem quer ter seu primeiro contato com o universo da série. Por isso, pegue suas Hidden Blades e lembre-se: nada é verdade, tudo é permitido.

De 2012 para o século XII

Para entender o conceito básico por trás de Assassin’s Creed, é preciso, primeiramente, olhar para o ano de 2012. Embora a franquia seja famosa por suas referências históricas, sua base narrativa acontece no presente na pele de Desmond Miles, o descendente de uma linhagem de assassinos que há séculos enfrenta a Ordem dos Templários. O grande ponto é que, mesmo sem saber, ele é uma peça-chave nesta guerra e tem um papel fundamental também para impedir o fim da humanidade.

Ampliar (Fonte da imagem: Divulgação/Ubisoft)

É exatamente por isso que, enquanto vivia sua vida pacata de barman, ele é sequestrado pelas Organizações Abstergo — uma corporação gigantesca que funciona como disfarce para os templários nos tempos atuais —, que o colocam em uma máquina chamada Animus. Esse aparelho altamente tecnológico é capaz de fazer com que a pessoa reviva as memórias de seus antepassados com base em informações presentes em seu código genético, permitindo que o herói praticamente “volte no tempo”, mas no papel de outra pessoa.

É nesse ponto que conhecemos Altaïr, um assassino que viveu em Masyaf, reduto da Irmandade no Oriente Médio, no final do século XII. Reconhecido e admirado por todos por conta de suas habilidades, ele é enviado com outros irmãos em uma missão para recuperar um antigo artefato das mãos de seus inimigos. No entanto, ele falha em sua tarefa e não só deixa os templários ficarem com o objeto como também quebra alguns dos conceitos fundamentais do credo dos assassinos. Isso faz com que a vila em que seu povo mora seja atacado.

Por conta de sua falha, muitos inocentes são mortos nas mãos dos cavaleiros da Ordem, o que faz com que o herói seja considerado um traidor e condenado à morte. No entanto, Al Mualim, seu mentor e chefe da Irmandade, o desafia a matar nove templários em troca de perdão.

Ampliar (Fonte da imagem: Divulgação/Ubisoft)

O problema é que essa jornada revela muito mais segredos do que o assassino esperava encontrar, incluindo o fato de que seu próprio líder era um traidor que o usou para obter a chamada Apple of Eden, uma relíquia milenar que permitia ao seu detentor criar ilusões nas pessoas ao seu redor.

Depois de invadir Masyaf e ser atacado por seus antigos companheiros, Altaïr parte para a batalha final contra seu antigo mestre e entra em um intenso combate, mas consegue derrotá-lo e recuperar o artefato. Porém, ao tocar na relíquia, uma projeção revela um mapa com a localização de todos os Piece of Eden — a informação que os templários atuais procuravam.

Após isso, o herói entra em exílio por décadas, aproveitando esse tempo para estudar os mistérios existentes na relíquia. Anos mais tarde, ele retorna ao reduto dos assassinos, onde se torna o novo mentor e realiza algumas mudanças. A principal era a de que manter um reduto fixo era muito arriscado e vulnerável e que, por isso, os assassinos precisavam se espalhar pelo mundo e agir nas sombras. Além disso, ele constrói uma enorme biblioteca para passar seus últimos momentos protegendo a Apple of Eden. As chaves desse lugar são escondidas em Constantinopla.

O (re)nascimento de um herói

De volta a 2012, Desmond descobre a verdade sobre a Abstergo e, com a ajuda de Lucy Stillman, uma assassina infiltrada, consegue escapar para um esconderijo onde outros membros da Irmandade conseguiram reproduzir uma nova versão do Animus. Nessa nova máquina, ele revive as memórias de outro antepassado: Ezio Auditore.

Ampliar (Fonte da imagem: Divulgação/Ubisoft)

Nesse novo período histórico, a consciência do barman visita a Itália Renascentista e, ao contrário do que os templários da Abstergo desejavam, essa viagem ao passado não serve apenas para recolher informações escondidas no DNA do herói, mas também permitir que ele desenvolva as habilidades de seu antepassado, considerado um dos maiores assassinos de todo os tempos — e, para isso, é preciso acompanhar todo seu crescimento.

A ação começa de verdade após Ezio ver seu pai e irmãos serem mortos pelos templários. Diante dessa tragédia, ele decide vestir o manto dos assassinos e ir em busca de vingança. É claro que isso não será feito sozinho, e ele conta com a ajuda de vários aliados, como Leonardo Da Vinci, Maquiavel e outras figuras famosas do período.

As coisas começam a mudar de figura após Ezio perceber a gravidade da situação. Embora a morte de sua família realmente tenha sido um plano dos templários, a verdade é que ela é apenas uma pequena parte de um plano muito maior arquitetado por Rodrigo Bórgia para dominar a Itália a partir dos poderes do Piece of Eden.

Ampliar (Fonte da imagem: Divulgação/Ubisoft)

Depois de muitos confrontos com soldados menores ou peças fundamentais do governo inimigo, a luta entre os dois acontece em Roma após Bórgia ter se tornado Papa e usado o Piece of Eden presente em seu cetro para aumentar sua influência. Mesmo com esse novo poder, ele é derrotado por Ezio, que consegue entrar em uma câmara secreta. Lá, ele encontra Minerva, uma entidade milenar que diz ter conduzido o assassino até aquele ponto para revelar a seu futuro descendente, Desmond, que ele impedirá uma catástrofe que vai acabar com a humanidade.

Rodrigo insiste em sua luta e, com a ajuda de seus filhos e demais aliados, tenta conquistar a cidade. Ezio, então, passa a recrutar novos assassinos e a treiná-los. Essa decisão faz com que ele ressuscite a influência da Irmandade na Europa e, por conta disso, é escolhido como seu novo líder — e começa suas ações dando início a uma nova guerra contra a Ordem dos Templários.

Depois de vários confrontos, a batalha chega ao fim após Ezio derrotar as tropas de Cesare Bórgia, filho de Rodrigo, e recuperar um dos Piece of Eden que estava em suas mãos. Para manter o artefato seguro, ele o esconde em uma nova câmara.

Ampliar (Fonte da imagem: Divulgação/Ubisoft)

De volta a 2012, Desmond leva seus aliados até o ponto em que seu antepassado guardou o objeto. Lá dentro, eles se deparam com uma nova entidade, Juno. Ela fala um pouco mais sobre o destino da humanidade e força o rapaz a usar sua Hidden Blade para matar Lucy, revelando que ela era uma templária infiltrada na Irmandade. O jovem entra em choque e é retirado de lá em coma para ser posto, mais uma vez, na Animus, onde sua consciência tenta se estabilizar.

Para isso, ele revisita as memórias de Ezio. O assassino, agora bem mais velho e experiente, decide ir em busca dos registros de Altaïr em sua biblioteca para entender um pouco dessa guerra com os templários. Porém, para chegar até lá, ele precisa recuperar as chaves que seu ancestral escondeu em Constantinopla há mais de dois séculos.

Depois de se envolver em uma série de conflitos políticos na cidade, ele retorna a Masyaf e consegue o acesso à área restrita. Lá dentro, ele encontra sua resposta ao se deparar com o esqueleto de Altair segurando a chave que leva à Apple of Eden. Ezio então decide abandonar sua vida como assassino acreditando que a resposta para esse conflito não estava nele, mas no futuro, nas mãos de Desmond.

Ampliar (Fonte da imagem: Divulgação/Ubisoft)

Nesse ponto, a consciência do rapaz se encontra com Júpiter, outra entidade milenar, que revela que o mundo está realmente condenado e que somente o assassino é capaz de impedir o desastre. Para isso, ele precisa ir até uma das câmaras construídas por esses deuses para obter o conhecimento necessário para evitar a catástrofe que se aproxima. Assim, ele acorda sabendo que a resposta de tudo está nos Estados Unidos — onde conheceremos a conclusão da saga sob o ponto de vista de Connor em Assassins Creed 3.

Cupons de desconto TecMundo: