Um dos setores de tecnologia que mais cresce, certamente, é o dos jogos eletrônicos. Além de receber um alto investimento anualmente, este setor fatura uma quantidade absurda. Anualmente, milhares de jogos são desenvolvidos, milhões de cópias vendidas, surgem diversas desenvolvedoras e novas táticas são criadas para o público de jogadores — o qual é modificado e cresce aos poucos.

A última tendência em jogos eletrônicos é a possibilidade de jogar através do celular com incríveis inovações. A onda de games em celulares demorou em crescer, pois a divulgação e compra de produtos não era tão simples e acessível. Contudo, com o lançamento do iPhone, os jogos para telefones móveis ganharam um novo sentido. O público encontrou uma nova plataforma de entretenimento, com a vantagem de ter seu console sempre no bolso — um eletrônico que quando não é videogame serve como celular.

A indústria dos celulares mostra seu poder

O smartphone que virou consoleQuando o iPhone foi lançado, ninguém pensava no aparelho como uma plataforma para jogos. Contudo, a Apple mostrou que seu celular era muito mais do que um telefone móvel. Com a criação da AppStore, a empresa da maçã mostrou que o usuário poderia personalizar seu aparelho com aplicativos e jogos diversos. A princípio, a loja virtual da Apple não parecia grande coisa, porque não havia muitos desenvolvedores interessados no iPhone.

No entanto, depois de dois anos de iPhone no mercado dos jogos, as empresas repensaram um pouco sobre o potencial do aparelho para jogos. O acervo de games para iPhone cresceu muito, tão absurdamente, que os jogos disponíveis para o portátil da Apple superam a quantidade de jogos disponíveis para os consoles da Nintendo e da Sony combinados.

Não bastasse isso, o iPhone mostra-se uma grande oportunidade para os desenvolvedores. Empresas que antes desenvolviam jogos simples e vendiam pouco, agora desenvolvem jogos um pouco mais complexos e faturam muito mais. A quantidade de empresas que criam jogos e o incrível número de jogos para o iPhone podem ser um pouco preocupantes para certas desenvolvedoras.

Enormidade de jogos não significa o domínio do mercado

Essa briga acirrada pela venda de jogos obriga, muita vezes, as desenvolvedoras a venderem seus jogos por um preço muito baixo, o qual gera um lucro muito pequeno para elas. Contudo, a real preocupação não é das pequenas desenvolvedoras, mas sim das grandes empresas — a Microsoft, a Nintendo e a Sony. As gigantes do mundo dos videogames sentiram que com o iPhone, a Apple pode roubar uma parte dos jogadores que gostam de videogames portáteis.

Outras fabricantes estão criando suas lojas virtuais

Obviamente, não é somente o iPhone que vem ganhando espaço no mercado de jogos para celulares. Outras fabricantes de telefones móveis vêm investindo pesado nas lojas virtuais, como é o caso da Nokia e da Samsung. Ainda que suas lojas não possuam um tamanho tão grande como a loja virtual da Apple, o investimento destas empresas deve preocupar muito as empresas de videogames, que possivelmente se sentirão ameaçadas, afinal a Nokia e a Samsung vendem muito mais aparelhos do que a Apple.

AppStore da Samsung

A preocupação é recente

Este papo de desenvolver games para celulares entrou em debate há pouco tempo. Na feira de jogos Tokyo Game Show (confira a cobertura do Baixaki Jogos sobre a TGS 2009) esse assunto foi muito discutido, porque algumas empresas anunciaram o desenvolvimento de novos jogos exclusivos para telefones móveis.

Famosas como a Square Enix (desenvolvedora de Final Fantasy) e a Konami — responsável pela série Metal Gear e Silent Hill —, falaram sobre os novos jogos que estão criando, os quais serão exclusivos para smartphones. A Square anunciou a estreia do jogo Kingdom Hearts para celular, sendo que este jogo não será liberado para outras plataformas. Já a Konami, disse que Tokimeki Memorial 4 terá uma versão para smartphones, jogo que antes seria exclusivo do PSP.

Kingdom Hearts - Em breve no seu smartphone

Comparação entre gráficos e jogabilidade

Evidentemente, não poderíamos deixar de comentar a respeito da questão de gráficos e qualidade dos jogos. Os jogos para celulares realmente têm impressionado muito, mas será que eles podem combater contra o poderoso Sony PSP e o famoso Nintendo DS? Se fossemos analisar apenas o hardware, seria muito fácil dizer que aparelhos como o iPhone ou o Samsung Omnia II conseguem reproduzir jogos com gráficos muito melhores, afinal, estes aparelhos possuem processadores mais rápidos do que os consoles portáteis.

Contudo, os smartphones sofrem por um pequeno detalhe: o sistema operacional. Diferente dos consoles portáteis, que possuem um sistema exclusivo apenas para rodar os jogos, os celulares necessitam de um sistema operacional para realizar diversas outras tarefas. O sistema operacional não é desligado enquanto os jogos são executados, fator que limita muito a qualidade dos jogos.

Outro aspecto que restringe muito os jogos nos aparelhos celulares é a jogabilidade. Ainda que seja algo inovador, jogar com os dedos na tela não é nada interessante, afinal o jogador perde um enorme espaço de visualização ao utilizar os controles via touchscreen (veja o vídeo abaixo). Utilizar os sensores de movimento e rotação pode ser interessante, mas também deixa alguns jogadores frustrados, pois ao virar o aparelho para movimentar algo, você acaba não visualizando o jogo em sua plenitude.

Uma ameaça real?

Muitos comentaristas e analistas vêm dizendo que a Microsoft, a Nintendo e a Sony terão de modificar sua visão sobre o mercado de jogos. É evidente que o iPhone e o mercado de jogos para celulares está crescendo absurdamente, mas será que isto realmente é uma ameaça para as gigantes dos videogames?

As desenvolvedoras de jogos, dificilmente, irão sofrer com estas mudanças, porque ter mais uma plataforma para desenvolver novos games é algo fantástico e lucrativo. Falando especificamente das fabricantes de consoles é normal excluir a Microsoft desta briga, pois ela não possui um console portátil e o iPhone apresenta um risco tão insignificante para o XBOX 360, que chega ser ridículo dizer que a Apple seja uma ameaça ao console de última geração da Microsoft.

Sony e Nintendo talvez devam pensar um pouco neste quesito, porque seus videogames portáteis podem, possivelmente, lutar de igual com o iPhone e demais smartphones. Se formos analisar apenas o PSP (veja a galeria de imagens do PSP Go!) contra o iPhone, nota-se claramente que no aspecto gráfico e jogabilidade o PlayStation Portátil tem muitas vantagens. Além de gráficos surpreendentes (como os do novíssimo Gran Turismo e do Metal Gear Peace Walker), o PSP possui controles muito semelhantes ao do Playstation, o que faz o videogame ter um trunfo sobre os smartphones.

Gran Turismo com gráficos impressionantes no novo PSP Go!

O Nintendo DS (acesse a galeria de imagens do Nintendo DSi) pode sofrer uma ameaça maior, contudo ele também tem seus truques e trunfos sobre o aparelho da Apple. Além da exclusividade de jogos da Nintendo, o DS possui duas telas, uma jogabilidade diferenciada e uma fama muito longa. Os gráficos do DS podem ser mais fracos, mas o poder da Nintendo pode fazer o console portátil manter-se vivo por muito tempo — até o lançamento do novo portátil da empresa.

Nintendo DS possui exclusividades de grande sucesso

Considerações importantes

Por fim, devemos lembrar-nos de certos aspectos que manterão os consoles portáteis vivos por muito mais tempo. A Nintendo e a Sony — duas empresas japonesas —, são as empresas mais famosas e poderosas de todos os tempos no mundo dos games. Não basta a Apple chegar com um celular e pensar que em dois anos ela poderá derrubar ou afetar de grande modo o mercado das duas fabricantes.

Não adianta discutir, o iPhone mostra-se um grande aparelho e possui muitos jogos interessantes. Contudo, de maneira alguma se pode afirmar que os jogos deste smartphone possam ser comparados aos games criados para o DS ou para o PSP. Apesar dos anúncios da Square Enix, Konami e de outras tantas empresas, sobre o desenvolvimento de jogos para o iPhone, isto não significa, necessariamente, que o mercado de jogos será radicalmente modificado.

É óbvio que a Sony, a Nintendo e até mesmo a Microsoft estejam pensando em novas táticas para atrair jogadores para seus consoles, mas isto não significa que elas estejam preocupadas diretamente com o iPhone (ou qualquer outro smartphone). As empresas pensam muito mais em combater entre elas, do que ter preocupações com o iPhone. Tal aspecto mostra-se verdade com a declaração que um dos presidentes da Sony, Shu¬hei Yoshida, demonstrou na TGS 2009: “Os jogos para celular têm uma qualidade que pode variar muito e ninguém joga por muito tempo no celular” — indicando que a jogabilidade não é prática e os jogos nem sempre possuem boa qualidade gráfica e um bom enredo.

E ele continuou com uma indagação: “Uma empresa vai conseguir competir somente com jogos deste tipo?”. A afirmação final diz tudo: “Óbvio que não. Os jogos em questão são desenvolvidos em pouquíssimo tempo e por pessoas que ficam sentadas num cybercafé”, uma resposta sarcástica que mostra a inferioridade nos títulos disponíveis para o iPhone e o amadorismo dos desenvolvedores.

Jogos do PSP estão muito além do que há no iPhone

É evidente que a afirmação do presidente da Sony faça todo sentido. Dos mais de 21 mil jogos de iPhone, a maioria são tão simples como o famoso jogo da cobrinha (snake). Há muitos jogos que ganham destaque, contudo, eles nem se comparam aos títulos desenvolvidos para o PSP e para o DS. O iPhone é uma plataforma boa para jogos, porém os jogadores casuais não irão aderir ao celular como uma plataforma de jogo, porque ele não possui os fatores necessários para a adaptação de títulos mais robustos.

Com tudo isso, fica claro que o iPhone não é uma real ameaça, porque ao que tudo indica, ele vai conviver em conjunto com os consoles da Nintendo e da Sony. Apesar de ser comum que toda pessoa possua um celular, ainda é raro encontrar pessoas que tenham um iPhone ou um smartphone de alta qualidade. Se pensarmos a respeito do Brasil, nossa realidade está ainda mais longe disso, pois os smartphones são minoria em nosso país.

No fim, temos que ter em mente apenas o seguinte: o iPhone talvez seja um concorrente do PSP ou do DS, mas de forma alguma deve afetar o mercado do PlayStation 3, XBOX 360 e Wii. Contudo, a real diferença que o iPhone irá trazer é a mudança no mercado dos jogos e dos desenvolvedores. Games que antes sairiam apenas para consoles, agora serão desenvolvidos para celulares também — sendo que certos jogos podem ser disponibilizados ainda antes nos smartphones.

Você pensa o que sobre este assunto? O iPhone é uma ameaça para a Nintendo, Sony e Microsoft? O aparelho irá mudar o mercado dos jogos? Os gráficos e a jogabilidade compensam? As vendas do iPhone irão crescer devido aos jogos? Comente a respeito, debata e fale tudo o que você pensa sobre isso. Nosso artigo fica por aqui, mas você pode conferir alguns outros textos sobre jogos para iPhone no Baixaki Jogos (veja os links abaixo).

 

Cupons de desconto TecMundo: