Provavelmente este deve ser o maior pesadelo de muitos chefes Brasil afora: seus funcionários jogando video game durante o horário de trabalho. Mas será que eles têm razão em temer tanto assim? A resposta é: “depende”.

Tudo depende de quanto tempo é gasto com a jogatina. Alguns estudos mostram que a produtividade daqueles funcionários que gostam de jogar video games aumenta quando eles são liberados para jogar alguns minutos todos os dias. Ou seja, ao contrário do que se pode imaginar, deixar os funcionários passarem de 15 a 30 minutos por dia jogando pode fazê-los produzir muito mais.

O famoso italiano Leonardo Da Vinci, segundo a lenda, dormia em média 90 minutos por dia, porém não de forma seguida: dormia somente 15 minutos a cada quatro horas. O mais impressionante é que cientistas do Instituto de Fisiologia Circadiana (em Boston, nos EUA), puseram a lenda à prova e comprovaram que é realmente possível dormir 90 minutos por dia sem perder desempenho cerebral.

Sua empresa também é assim?

Então, se até mesmo o Da Vinci sabia que descansar 15 minutos a cada quatro horas fazia bem para melhorar o desempenho intelectual, por que não aproveitar esse tempo com algo agradável, tal como um video game? No caso do italiano acima, os 15 minutos de descanso eram usados para dormir, mas você há de convir que isso não é possível quando se trabalha em um escritório.

O stress, grande vilão do século XXI, ataca grande parte daquelas pessoas que sofrem a tensão e o conflito do ambiente externo sobre elas. Tanta pressão pode resultar em reações físicas e psicológicas extremamente prejudiciais para um indivíduo, o que pode mudar sua vida drasticamente: tudo o irrita, qualquer coisa é urgente, etc

Galera da redação jogando PES 2009 depois da festinha de aniversário coletiva de final de mês

Para evitar o stress no ambiente de trabalho, deixar de lado os problemas durante os 15 minutos de intervalo pode ser extremamente eficiente. Portanto, não adianta nada passar o “recreio” na sala de descanso da empresa e continuar pensando nos problemas.

Em outras palavras, para que esses 15 minutos sejam bem aproveitados e o funcionário possa voltar deles “com força total” para o trabalho, torna-se necessário o esquecimento dos problemas, ou seja, é preciso desviar os pensamentos para outra coisa e, simplesmente, relaxar.

Contudo, por mais que os video games sejam extremamente benéficos para melhorar a qualidade do trabalho dos funcionários, assim como a qualidade de vida e satisfação pessoal (uma vez que eles se divertem e se livram dos problemas durante alguns minutos), o seu uso deve ser controlado. Não pelo chefe, mas pelo próprio funcionário.

Lembre-se: jogar um pouco de video game pode aumentar a sua produtividade, porém jogar em excesso pode custar o seu emprego! Isso porque você não foi contratado para jogar video games, mas sim para produzir. Portanto, se o uso de video games é liberado em sua empresa, tome cuidado para não deixar que a jogatina atrapalhe a sua produção e todos ficarão felizes, o chefe pelo aumento de produtividade e os funcionários por poderem se divertir!

A sua empresa possui video games e libera a jogatina? Você acha que conseguiria se controlar e não passar o expediente inteiro jogando? Deixe a sua opinião!

Cupons de desconto TecMundo: