A Gaikai e a NVIDIA anunciaram na última terça-feira (15 de março) o lançamento do serviço GeForce GRID, que vai permitir o streaming de games em alta qualidade para computadores que não possuem GPUs dedicadas. Segundo as empresas, basta que a máquina consiga lidar com a codificação de vídeos hospedados na internet para poder aproveitar a novidade.

A novidade conseguiu reduzir a latência na transferência de conteúdos para somente 10 milissegundos, o que vai permitir jogar vários títulos com virtualmente nenhum tempo de atraso. A promessa é que o serviço esteja disponível em televisores, tablet e smartphones com os sistemas operacionais Android e iOS.

(Fonte da imagem: Divulgação/NVIDIA)

Para demonstrar a tecnologia, David Perry, da Gaikai, realizou uma partida do novo FPS Hawken contra uma pessoa que jogava o game em um televisor LG Cinema TV, dispensando completamente qualquer espécie de console adicional. Isso é possível pelo fato de que o GeForce GRID faz todo o trabalho de processamento pesado, simplesmente enviando os resultados para a tela do aparelho — é como se você estivesse jogando em um PC poderoso localizado a centenas de quilômetros de distância sem nenhum lag aparente.

“Jogadores vão poder acessar e jogar sem problemas os melhores títulos do mundo em qualquer lugar, através de celulares, tablets, televisores ou PCs”, declarou Phil Eisler, diretor geral de jogos para a nuvem da NVIDIA. “O GeForce GRID representa uma mudança massiva na maneira como games são entregues e jogados”, complementa.

GPUs para a nuvem

Cada placa usada pelos servidores da NVIDIA possui duas GPUs baseadas na arquitetura Kepler com codificadores próprios, processadores com 3.072 núcleos CUDA e 4,7 teraflops de performance shader 3D. A empresa afirma que o hardware consome somente metade da energia utilizada pela geração anterior de seus produtos.

(Fonte da imagem: Divulgação/NVIDIA)

Embora ainda não haja uma data para a estreia do GeForce GRID, tudo indica que a novidade vai contar com um sistema de assinaturas semelhante ao da Netflix. Isso significa que bastaria pagar uma mensalidade com custo aproximado de US$ 10 para ter acesso irrestrito a uma vasta biblioteca de títulos que podem ser acessados em qualquer lugar em que uma conexão à internet esteja disponível.

NVIDIA VGX

A empresa também aproveitou para estrear o NVIDIA VGX, sistema de servidores que utiliza máquinas com configurações poderosas que lidam com todo o trabalho de codificar os jogos para o usuário final do sistema. Segundo a fabricante, cada módulo produzido é capaz de providenciar conteúdo em alta qualidade para 100 pessoas de forma simultânea, algo que foi demonstrado ao vivo durante o evento 2012 GPU Technology Conference.

(Fonte da imagem: Reprodução/The Verge)

Cada placa utilizada pelo sistema conta com quatro GPUs com 192 núcleos CUDA e 16 GB de capacidade de armazenamento interna. Assim como acontece com o GeForce GRID, o serviço ainda não tem uma data de estreia marcada. O objetivo da companhia é vender a novidade para grandes empresas, processo que deve começar a acontecer a partir do final de 2012.

Fontes: NVIDIA, The Verge

Cupons de desconto TecMundo: